Created with Sketch.
Marta Ramos

Wise words: decoração do casamento DIY

Na semana passada, dedicámos as nossas  wise words às vantagens de contratar um decorador para o casamento. Mas sabemos que, com tanta informação disponível hoje em dia, com tanta inspiração fantástica e tanta gente competente a partilhar o seu conhecimento, é natural que muitos de vocês já tenham ideias muito precisas acerca do ambiente que pretendem para o vosso casamento e se sintam com vontade de criar o cenário desejado pelas vossas próprias mãos.
Assim sendo, as nossas wise words de hoje falam a todos os que estejam a contemplar a decoração do casamento DIY.

Antes de mais nada, vamos a contas: calculem detalhadamente o dinheiro e ao tempo (vosso e dos vossos ajudantes) que irão gastar (atenção às parcelas invisíveis, como gasolina, deslocações, compras avulso, etc.), pois a decisão de assumir a decoração do vosso casamento poderá não resultar na poupança que imaginaram. Se, à parte disso, querem mesmo fazê-lo por questões de personalidade e gosto, estas são algumas das sugestões que achamos importante partilhar.
Considerem bem os timmings e as tarefas necessárias. Para além do vosso tempo livre, a maior parte delas terá de acontecer na véspera e no próprio dia (montagem e desmontagem), que são os dias mais intensos e ocupados. Certifiquem-se de que os ajudantes estão disponíveis e devidamente informados. Deleguem e confiem, preparem-se bem e não deixem nada ao sabor do improviso, que o tempo será sempre curto e o factor stresse estará, mesmo para os mais optimistas, inevitavelmente presente. É aqui que a falta de experiência poderá pesar mais.
Se optaram por comprar jarras, jarrinhas, copos, velas, molduras, têxteis e um sem fim de acessórios e miudezas, pensem antecipadamente no que irão fazer a todo o material posteriormente. Uma boa solução para que esta questão nem se ponha, é o aluguer. Façam a vossa pesquisa com tempo e poderão ter boas surpresas.
Escolham flores da época e nacionais, mais acessíveis e resistentes, e deleguem a tarefa na amiga com mais jeito e tempo para ensaiar. Fazer um arranjo bonito requer mais talento e paciência do que parece; fazer vinte na véspera do casamento e transportá-los e montá-los no dia seguinte é só para quem tem nervos de aço, capacidade de organização e gestão de tempo, e bons ajudantes!

Podem comprar as flores nos grandes distribuidores e produtores, por grosso, reservando um dia ou dois para as limpar e preparar, acomodando-as sempre em local fresco e escuro: se casam num sábado, encomendem-nas numa terça-feira e vão buscá-las na quinta-feira. A probabilidade de haver surpresas é grande quando são encomendas de espécies que vêm de fora; por isso, joguem pelo seguro, sem grandes invenções, e apostem no que é nacional e robusto.
Depois de feitos os arranjos, não se esqueçam de acomodar devidamente o seu transporte dos arranjos: pouca água – preenchem com mais já no local -, tudo colocado em caixas, bem travado, e uma condução delicada. Em alternativa, podem levar a matéria-prima para o local e contar com tempo para fazer lá os arranjos. Muito tempo, para evitar dissabores.

Conselho final, sempre válido em todas as situações desta grande aventura que é organizar o vosso casamento: cuidem bem da relação com a equipa que vos receberá no espaço em que irá decorrer a vossa festa. Apresentem todas as pessoas envolvidas (os vossos ajudantes e os responsáveis no local) e partilhem ideias e contactos, para que tudo corra sem solavancos – e, caso os haja, para que sejam resolvidos de modo ágil, simpático e com boa vontade. – Queres casar comigo?

 

Romã Eventos - organização de casamentos

 

Romã Eventos - organização de casamentos

 

Romã Eventos - organização de casamentos

 

Agora que já estão a par deste lado mais operacional, vamos abraçar o processo criativo. Ferramentas: Pinterest, caderno de notas (ou ferramenta digital equivalente) e folha de orçamento (sempre!).
A inspiração é muita, há milhares de imagens disponíveis com cenários lindos de morrer, mesas fantásticas, bouquets de perder a cabeça, e é natural que passem por uma fase de indecisão, mesmo que já tenham alinhavado generosamente as vossas pastas do Pinterest. Não se preocupem: haverá um fio condutor a emergir naturalmente: um conjunto de cores que é constante nas imagens seleccionadas, ideias e elementos decorativos que se repetem, flores e formas que estão sempre presentes. Escolher uma paleta de cores como base é um óptimo ponto de partida; definir um estilo que funcione com o espaço é outra parcela importante da equação.

A decoração tem o dom mágico de transformar um espaço sem interesse em particular num local acolhedor e bonito, preparando-o para ser o cenário perfeito do vosso casamento, presente em todas as imagens registadas ao longo do dia. Às vezes é preciso um grande investimento, mas muitas vezes nem por isso, apenas olho clínico para definir os pontos que farão a diferença.
Peguem nas vossas notas e revejam os pontos fortes e fracos do espaço escolhido. Com isto em mente, acertem um estilo e definam o ambiente que querem ter, a tal paleta de cores, o tipo de iluminação e os detalhes, incluindo o design floral. Se há uma regra a respeitar, é esta: espaço e ambientem devem estar em sintonia. Se escolheram um sítio com cariz histórico, dificilmente funcionará com uma decoração contemporânea ou demasiado descontraída: façam escolhas simples e elegantes, tirem partido da grandiosidade e história do local. Para amaciar o ambiente austero, a solução é uma decoração floral à séria, elegante, sofisticada: brancos e pastéis, ou apenas uma cor, e, para um toque romântico,  muitas e muitas velas (nada de luzes frias e gerais).
Se optaram por um espaço sem características que saltem à vista, direccionem a atenção para as mesas. Cor e um ambiente caloroso são as palavras de ordem, com flores de cores fortes e detalhes bonitos. Para tornar a sala mais interessante, trabalhem a entrada com arranjos florais, escolham um ou dois recantos, adicionem uns sofás, flores de dimensões generosas e velas de tamanho XL. A transformação será enorme!
Se houver espaço no orçamento, peçam copos coloridos (para dar um ar da sua graça à loiça básica que compõem o serviço).
Dispensem luzes fortes e mesas de acrílico, não são estes elementos que irão acrescentar valor a este tipo de espaço, apenas acentuar os defeitos e adicionar alguma frieza: aqui a regra é tornar o ambiente caloroso através da cor e limar as arestas com cantinhos simpáticos.

 

Romã Eventos - organização de casamentos

 

Romã Eventos - organização de casamentos

 

Romã Eventos - organização de casamentos

 

Vão casar ao ar livre? Que bom e que desafio! Terão certamente espaço com fartura e muitas dúvidas acerca de por onde começar. Uma regra básica é orientar as mesas para uma zona pouco ventosa e com sombra. Para o catering, é importante que estejam perto da casa principal; e, com isto em mente, é só desenhar o resto do plano. Se possível e se têm arvoredo em quantidade razoável, dispensem a tenda e apostem em toldos ou velas penduradas entre as árvores, é suficiente para criar zonas de sombra. Se optaram por jantar, deixaram de ter um problema! Troquem as mesas redondas por quadradas ou rectangulares, corridas (ou ambas), e toalhas simples de algodão – se os tampos estiverem em condições e forem bonitinhos, um runner de linho ou papel será suficiente. Juntem loiça branca ou desemparelhada, idem para os copos, somem arranjos florais com uma bonita mistura, descomplicada e harmoniosa, e terão um resultado boémio e chique.
Não se esqueçam da sinalética útil e bem desenhada e de um quadro de distribuição de lugares, ementa e programa da festa verdadeiramente bonitos, que ajudam a criar e completar o ambiente. Apliquem a mesma fórmula às mesas de buffet: cavaletes e tampos, um arranjo floral campestre de dimensões generosas e umas lanternas grandes farão o feito.
Preparem uma sala de estar ao ar livre, para que os vossos convidados desfrutem verdadeiramente do campo e do ambiente romântico que se instala ao pôr-do-sol: sofás confortáveis, movéis de rattan ou colchões com pés (ou sobre paletes), com tecidos bonitos; não se esqueçam de mesinhas de apoio, uns leques para o calor, chapéus para quem veio desprevenido (e protector solar disponível na casa de banho), cinzeiros e mantinhas leves para a noite, assim como alguns repelentes de mosquitos, orgânicos e de cheiro aceitável. Para rematar, luzinhas de feira ou de natal e uma pista de dança feita com mosaico de madeira, comprado, em peças de 1m2, nas lojas de bricolage: evita a poeira, o desgaste do relvado e o desalinho do terreno.

E pronto: que comece a festa! Certamente que não cobrimos aqui todas as variantes possíveis de uma decoração DIY – mas partam deste esquema e acrescentem-lhe os vossos toques. É importante haver uma boa base de planeamento para que possam ver tudo no papel antes de meterem mãos à obra – provavelmente, irão cortar coisas redundantes nesta fase. Fundamental, nunca será demais repetir, é ter sempre o orçamento actualizado ao cêntimo. E, claro, divertirem-se muito no processo!

 

 

Fotos: Romã Eventos

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.