Created with Sketch.
Marta Ramos

Um arzinho dos Açores, por Vive la Fête

A Vive la Fête traz-nos um arzinho dos Açores – de facto, este tempo remete-nos para as ilhas – com propostas de decoração com hortênsia (ou hydrangea). Este arbusto originário do Japão encontra-se em todas as ilhas açorianas e as suas sebes floridas são mesmo um dos elementos típicos da paisagem do arquipélago.  Supõe-se que a hortênsia tenha sido trazida de terras nipónicas em meados do séc. XIX; a sua presença remete-nos imediatamente para ambientes frescos e vastos. Nos Açores, encontram-se em floração desde o início de Primavera até ao Outono, nos tons lilás, vermelho/rosa, azul ou branco.

A Vive la Fête é uma loja online de artigos decorativos originais para crianças e adultos que desenvolve produtos de marca própria totalmente personalizáveis: placas, nomes e frases em madeira, cake toppers, entre outros. Também podem contar com a ajuda da Vive la Fête para criar toda a identidade gráfica do vosso casamento. A Rita Leite escolheu trabalhar nesta área porque «é um mundo em que a nossa criatividade e capacidade de adaptação é constantemente posta à prova e em que a harmonia e a estética têm de estar sempre presentes.» Orgulha-se da sua capacidade de personalização total, de comunicação e de estar sempre a aprender e a descobrir novas inspirações. E quando olha para o futuro, vê-se a fazer aquilo de que mais gosta: criar cenários e ajudar a construir histórias únicas.

Vamos então aos cenários ilhéus?

 

Vive la Fête - cake toppers e detalhes de casamento

 

Vive la Fête - cake toppers e detalhes de casamento

 

Vive la Fête - cake toppers e detalhes de casamento

 

Vive la Fête - cake toppers e detalhes de casamento

 

Vive la Fête - cake toppers e detalhes de casamento

 

Apetece viajar!

A Vive la Fête integra a nossa selecção de novos talentos, uma das novidades do Simplesmente Branco. Ao fim de sete anos online, decidimos abrir uma janela suplementar no nosso portal para dar visibilidade a talentos emergentes – gente cujo potencial nos anima, e que estamos certos que irão florescer. Queremos ser os primeiros a dar-lhes a mão. Para tal, criámos um segundo directório de fornecedores seleccionados – a que demos o nome de Novos Talentos – com condições que se ajustam especialmente ao perfil de quem está a desabrochar. Não deixem de consultar a ficha de fornecedor seleccionado da Vive la Fête para ficarem a conhecer melhor a Rita e o seu trabalho.

Marta Ramos

Wise words: decoração do casamento DIY

Na semana passada, dedicámos as nossas  wise words às vantagens de contratar um decorador para o casamento. Mas sabemos que, com tanta informação disponível hoje em dia, com tanta inspiração fantástica e tanta gente competente a partilhar o seu conhecimento, é natural que muitos de vocês já tenham ideias muito precisas acerca do ambiente que pretendem para o vosso casamento e se sintam com vontade de criar o cenário desejado pelas vossas próprias mãos.
Assim sendo, as nossas wise words de hoje falam a todos os que estejam a contemplar a decoração do casamento DIY.

Antes de mais nada, vamos a contas: calculem detalhadamente o dinheiro e ao tempo (vosso e dos vossos ajudantes) que irão gastar (atenção às parcelas invisíveis, como gasolina, deslocações, compras avulso, etc.), pois a decisão de assumir a decoração do vosso casamento poderá não resultar na poupança que imaginaram. Se, à parte disso, querem mesmo fazê-lo por questões de personalidade e gosto, estas são algumas das sugestões que achamos importante partilhar.
Considerem bem os timmings e as tarefas necessárias. Para além do vosso tempo livre, a maior parte delas terá de acontecer na véspera e no próprio dia (montagem e desmontagem), que são os dias mais intensos e ocupados. Certifiquem-se de que os ajudantes estão disponíveis e devidamente informados. Deleguem e confiem, preparem-se bem e não deixem nada ao sabor do improviso, que o tempo será sempre curto e o factor stresse estará, mesmo para os mais optimistas, inevitavelmente presente. É aqui que a falta de experiência poderá pesar mais.
Se optaram por comprar jarras, jarrinhas, copos, velas, molduras, têxteis e um sem fim de acessórios e miudezas, pensem antecipadamente no que irão fazer a todo o material posteriormente. Uma boa solução para que esta questão nem se ponha, é o aluguer. Façam a vossa pesquisa com tempo e poderão ter boas surpresas.
Escolham flores da época e nacionais, mais acessíveis e resistentes, e deleguem a tarefa na amiga com mais jeito e tempo para ensaiar. Fazer um arranjo bonito requer mais talento e paciência do que parece; fazer vinte na véspera do casamento e transportá-los e montá-los no dia seguinte é só para quem tem nervos de aço, capacidade de organização e gestão de tempo, e bons ajudantes!

Podem comprar as flores nos grandes distribuidores e produtores, por grosso, reservando um dia ou dois para as limpar e preparar, acomodando-as sempre em local fresco e escuro: se casam num sábado, encomendem-nas numa terça-feira e vão buscá-las na quinta-feira. A probabilidade de haver surpresas é grande quando são encomendas de espécies que vêm de fora; por isso, joguem pelo seguro, sem grandes invenções, e apostem no que é nacional e robusto.
Depois de feitos os arranjos, não se esqueçam de acomodar devidamente o seu transporte dos arranjos: pouca água – preenchem com mais já no local -, tudo colocado em caixas, bem travado, e uma condução delicada. Em alternativa, podem levar a matéria-prima para o local e contar com tempo para fazer lá os arranjos. Muito tempo, para evitar dissabores.

Conselho final, sempre válido em todas as situações desta grande aventura que é organizar o vosso casamento: cuidem bem da relação com a equipa que vos receberá no espaço em que irá decorrer a vossa festa. Apresentem todas as pessoas envolvidas (os vossos ajudantes e os responsáveis no local) e partilhem ideias e contactos, para que tudo corra sem solavancos – e, caso os haja, para que sejam resolvidos de modo ágil, simpático e com boa vontade. – Queres casar comigo?

 

Romã Eventos - organização de casamentos

 

Romã Eventos - organização de casamentos

 

Romã Eventos - organização de casamentos

 

Agora que já estão a par deste lado mais operacional, vamos abraçar o processo criativo. Ferramentas: Pinterest, caderno de notas (ou ferramenta digital equivalente) e folha de orçamento (sempre!).
A inspiração é muita, há milhares de imagens disponíveis com cenários lindos de morrer, mesas fantásticas, bouquets de perder a cabeça, e é natural que passem por uma fase de indecisão, mesmo que já tenham alinhavado generosamente as vossas pastas do Pinterest. Não se preocupem: haverá um fio condutor a emergir naturalmente: um conjunto de cores que é constante nas imagens seleccionadas, ideias e elementos decorativos que se repetem, flores e formas que estão sempre presentes. Escolher uma paleta de cores como base é um óptimo ponto de partida; definir um estilo que funcione com o espaço é outra parcela importante da equação.

A decoração tem o dom mágico de transformar um espaço sem interesse em particular num local acolhedor e bonito, preparando-o para ser o cenário perfeito do vosso casamento, presente em todas as imagens registadas ao longo do dia. Às vezes é preciso um grande investimento, mas muitas vezes nem por isso, apenas olho clínico para definir os pontos que farão a diferença.
Peguem nas vossas notas e revejam os pontos fortes e fracos do espaço escolhido. Com isto em mente, acertem um estilo e definam o ambiente que querem ter, a tal paleta de cores, o tipo de iluminação e os detalhes, incluindo o design floral. Se há uma regra a respeitar, é esta: espaço e ambientem devem estar em sintonia. Se escolheram um sítio com cariz histórico, dificilmente funcionará com uma decoração contemporânea ou demasiado descontraída: façam escolhas simples e elegantes, tirem partido da grandiosidade e história do local. Para amaciar o ambiente austero, a solução é uma decoração floral à séria, elegante, sofisticada: brancos e pastéis, ou apenas uma cor, e, para um toque romântico,  muitas e muitas velas (nada de luzes frias e gerais).
Se optaram por um espaço sem características que saltem à vista, direccionem a atenção para as mesas. Cor e um ambiente caloroso são as palavras de ordem, com flores de cores fortes e detalhes bonitos. Para tornar a sala mais interessante, trabalhem a entrada com arranjos florais, escolham um ou dois recantos, adicionem uns sofás, flores de dimensões generosas e velas de tamanho XL. A transformação será enorme!
Se houver espaço no orçamento, peçam copos coloridos (para dar um ar da sua graça à loiça básica que compõem o serviço).
Dispensem luzes fortes e mesas de acrílico, não são estes elementos que irão acrescentar valor a este tipo de espaço, apenas acentuar os defeitos e adicionar alguma frieza: aqui a regra é tornar o ambiente caloroso através da cor e limar as arestas com cantinhos simpáticos.

 

Romã Eventos - organização de casamentos

 

Romã Eventos - organização de casamentos

 

Romã Eventos - organização de casamentos

 

Vão casar ao ar livre? Que bom e que desafio! Terão certamente espaço com fartura e muitas dúvidas acerca de por onde começar. Uma regra básica é orientar as mesas para uma zona pouco ventosa e com sombra. Para o catering, é importante que estejam perto da casa principal; e, com isto em mente, é só desenhar o resto do plano. Se possível e se têm arvoredo em quantidade razoável, dispensem a tenda e apostem em toldos ou velas penduradas entre as árvores, é suficiente para criar zonas de sombra. Se optaram por jantar, deixaram de ter um problema! Troquem as mesas redondas por quadradas ou rectangulares, corridas (ou ambas), e toalhas simples de algodão – se os tampos estiverem em condições e forem bonitinhos, um runner de linho ou papel será suficiente. Juntem loiça branca ou desemparelhada, idem para os copos, somem arranjos florais com uma bonita mistura, descomplicada e harmoniosa, e terão um resultado boémio e chique.
Não se esqueçam da sinalética útil e bem desenhada e de um quadro de distribuição de lugares, ementa e programa da festa verdadeiramente bonitos, que ajudam a criar e completar o ambiente. Apliquem a mesma fórmula às mesas de buffet: cavaletes e tampos, um arranjo floral campestre de dimensões generosas e umas lanternas grandes farão o feito.
Preparem uma sala de estar ao ar livre, para que os vossos convidados desfrutem verdadeiramente do campo e do ambiente romântico que se instala ao pôr-do-sol: sofás confortáveis, movéis de rattan ou colchões com pés (ou sobre paletes), com tecidos bonitos; não se esqueçam de mesinhas de apoio, uns leques para o calor, chapéus para quem veio desprevenido (e protector solar disponível na casa de banho), cinzeiros e mantinhas leves para a noite, assim como alguns repelentes de mosquitos, orgânicos e de cheiro aceitável. Para rematar, luzinhas de feira ou de natal e uma pista de dança feita com mosaico de madeira, comprado, em peças de 1m2, nas lojas de bricolage: evita a poeira, o desgaste do relvado e o desalinho do terreno.

E pronto: que comece a festa! Certamente que não cobrimos aqui todas as variantes possíveis de uma decoração DIY – mas partam deste esquema e acrescentem-lhe os vossos toques. É importante haver uma boa base de planeamento para que possam ver tudo no papel antes de meterem mãos à obra – provavelmente, irão cortar coisas redundantes nesta fase. Fundamental, nunca será demais repetir, é ter sempre o orçamento actualizado ao cêntimo. E, claro, divertirem-se muito no processo!

 

 

Fotos: Romã Eventos

Marta Ramos

Wise words: contratar um decorador para o casamento

Com tanta informação disponível hoje em dia, com tanta inspiração fantástica e tanta gente competente disponível para partilhar o seu conhecimento, é natural que muitos de vocês já tenham ideias muito precisas acerca do ambiente que pretendem para o vosso casamento e se sintam com vontade de assumir a decoração vocês mesmos. Falaremos mais sobre isso em breve.
As nossas wise words de hoje pretendem salientar as vantagens de contratar um decorador para o casamento. Podem aplicar-se a vocês, que têm essas ideias muito precisas e vontade de pô-las em prática, mas reconhecem que não conseguem fazer tudo e preferem delegar; podem aplicar-se a quem esteja completamente perdido; e podem aplicar-se a quem saiba aquilo de que gosta mas não seja capaz de fazê-lo acontecer.

Quando se contrata um profissional, não é apenas o serviço de execução e a logística, são ideias, conceitos e criatividade, é experiência e conhecimento, capacidade de execução e de vos levar do ponto A (um espaço “qualquer”) ao ponto B (um dia mágico), de modo feliz e eficaz: a decoração está presente em todos os detalhes e cenários, confere ambiente e deixa toda a gente feliz (incluindo o fotógrafo!). – Queres casar comigo?

Então, por onde começar? Avaliar o portefólio e experiência do fornecedor são fundamentais, assim como o feedback de outros clientes. A capacidade de saber fazer e resolver representam o valor deste profissional e o seu custo; estes são factores de decisão mais importantes que um conjunto de imagens bonitas. A realidade no terreno é bem diferente de uma sessão fotográfica promocional onde há tempo para tudo, a luz é perfeita e o arranjo final (apenas um e não 20 ou 30) está ao serviço do enquadramento que se quer obter. Trabalhar a contra-relógio com imprevistos, pessoal pouco colaborativo, condições atmosféricas inesperadas e problemas afins é um cenário comum e só corre bem quando o fornecedor é valente e muito capaz.
Perante todas as imagens maravilhosas que vocês vão encontrando na Internet, mantenham os pés bem assentes na terra: não se esqueçam da vossa escala e realidade (número de mesas, pontos focais, outros detalhes e orçamento disponível) e inquiram sobre a viabilidade da vossa “decoração de sonho” e sobre o custo que isso poderá ter.

 

 

 

 

Como em todas as outras áreas, o nosso método recomendado para escolherem as pessoas que vão trabalhar convosco para concretizar o vosso casamento é o seguinte: seleccionem três fornecedores cujos portefólios vos tenha agradado particularmente e preparem um simpático email. Se possível, mencionem já o espaço escolhido, incluindo o endereço do site, para que o fornecedor se possa situar. Não receberão orçamentos na volta do correio – este é um assunto que precisa e merece uma conversa prévia (existem muitas variantes e um valor genérico pouco ou nada terá a ver com o orçamento final). Receberão, isso sim, um pedido de marcação de reunião. E não queiram saltar esta parte: «Hoje comunica-se demasiado através do email e de outras plataformas digitais. Por vezes contactam-me apenas para pedir um orçamento sem querer agendar uma reunião presencial», diz-nos Susana Abreu, da Inspirarte. «Na minha opinião, é uma forma bastante redutora de fazer uma triagem. Tem que haver empatia, tem que se “captar” a essência do projeto que está a ser proposto, tem que se gostar dos materiais que o profissional tem disponíveis… Acima de tudo, tem que se perceber o que é que realmente esse profissional poderá oferecer. E isso não se consegue por email.»
Façam o vosso trabalho de casa – os boards do Pinterest, as anotações e a folha de orçamento – e reúnam com os vossos profissionais preferidos, com tempo e disponibilidade. Conversem sobre a festa que esperam ter, o tipo de convidados (e as suas necessidades), o que é fundamental, o que é acessório e ideias que gostariam de pôr em prática, e deixem que o fornecedor inicie o seu processo criativo. Quer tenham uma visão bem definida ou uma ideia vaga, confiem no decorador. Não o considerem um mero executante, mas um criativo capaz, cujo objectivo é prestar-vos o melhor serviço possível. Se sentirem que há imposição de gostos ou modelos (novamente, a importância da empatia!), desistam e passem ao próximo contacto. É provável que não obtenham uma proposta completa e detalhada no fim deste primeiro encontro. Desenhar um projecto de decoração de raiz e orçamentá-lo é um processo criativo e aritmético, é necessário tempo para pensar, pesquisar e orçamentar, e esse investimento por parte do fornecedor espera um compromisso da parte do cliente; por isso, o mais natural é uma proposta simplificada e uma baliza de valores. Se estiver dentro do que têm em mente (ideias e custos), é sinal para avançar. Contactem os outros fornecedores não seleccionados e informem-nos da vossa decisão, libertando-lhes a data, previamente acautelada com o primeiro contacto.

Definida a escolha, é altura de combinar uma visita conjunta ao espaço onde decorrerá o vosso casamento (as deslocações do fornecedor deverão estar por vossa conta). Aproveitem a oportunidade para apresentar os diversos profissionais uns aos outros, avaliem as várias intervenções necessárias e estejam disponíveis para algumas sugestões. Desta visita sairão os dados que faltavam para um projecto e orçamento detalhados e é altura de assinar o contrato. Contem com uma adjudicação ou sinal (pelo menos 20%), que dá início ao processo de trabalho, e com possíveis alterações de última hora, desde que aconteçam com o vosso acordo. Deverá ser-vos também facultada uma lista de todo o material fornecido (do qual passam vocês a ser os responsáveis), que deverão partilhar com os profissionais do catering e do espaço, para que tudo retorne a quem de direito, e um valor de caução, para as peças que se extraviarem, que forem levadas por convidados mais entusiasmados ou simplesmente que se estraguem.
Atempadamente, peçam uma prova da mesa completa, se possível no local – é uma boa oportunidade de analisar a qualidade dos têxteis, o estado das cadeiras, a categoria da loiça. Para o restante ambiente, confiem no portefólio que viram, no feedback divulgado por anteriores clientes, nas conversas que tiveram e na empatia criada.

Ao fim de umas centenas de casamentos, o know how que tenho soluciona-me muitos problemas e dissipa muitas dúvidas e receios. Fazer os meus noivos entenderem que por vezes as ideias que têm em mente não resultam, e demonstrar-lhes isso, é dos desafios mais interessantes do meu trabalho. Digo-lhes sempre que quando procuram um verdadeiro profissional desta área têm de se sentir confiantes – porque 1) sabemos o que estamos a fazer e porque 2) mais do que ninguém, queremos que o resultado do nosso trabalho seja fantástico aos olhos de todos! – Susana Abreu, da Inspirarte

 

 

 

 

Terminamos com esta ressalva: um decorador não é um wedding planner. Não esperem dele competências organizacionais, de gestão de equipas, de resolução de problemas maiores ou que saiam do restrito âmbito da decoração. Se concluírem que vos faz falta esse apoio profissional, contratem-no. Há quem disponha de ambos os serviços e essa especificação deverá estar devidamente mencionada e contratualizada e terá o seu custo adicional.
No próprio dia, desfrutem. Haverá sempre alguma coisa que não ficou exactamente como se pensou, mas também algumas surpresas boas, cortesia de um bom profissional com brio no que faz, atento ao detalhe e especialista em criar cenários especiais para dias especiais.
 
Fotos: Inspirarte

Marta Ramos

Um pedido de casamento, por Romã Eventos

Nos primeiros dias deste ano, fomos contactadas pelo Ricardo, que precisava de alguma ajuda para organizar o pedido de casamento à sua namorada. O Ricardo tinha tantas ideias e estava tão empenhado que foi um prazer dar-lhe algumas sugestões (adorámos saber, por exemplo, que queria que fosse tocada ao vivo uma canção que ele escrevera para ela)! Ficámos muito felizes quando, um mês depois, voltámos a receber notícias dele – desta vez, as perguntas já respeitavam à organização do casamento, pelo que pudemos constatar que ela tinha dito sim!

Hoje ficamos a saber um pouco mais sobre estes dois, porque, em boa hora, o Ricardo seguiu uma das nossas sugestões e contactou a Romã Eventos para garantir que a pergunta de todas as perguntas era feita exactamente como ele a sonhara. Conta-nos a Rute: «Existem ocasiões que não sabemos muito bem como descrever, esta foi uma delas. Pensamos que momentos assim só existem no cinema, mas este foi bem real. Fomos surpreendidos pelo contacto do Ricardo: pedir em casamento a mulher da sua vida num dia de Inverno num terraço perto do mar, ao som de uma música com uma letra a preceito! O resultado não poderia ter sido melhor. Ficámos encantados por poder testemunhar a felicidade do momento. Desejamos que sejam felizes para a vida toda!»

O design floral deste pedido de casamento ficou a cargo de outro fornecedor seleccionado SB, Jardin d’Époque. Testemunhem também a magia sonhada pelo Ricardo e orquestrada por esta gente tão talentosa – o vídeo e as fotografias ficaram a cargo dos StoryTellers.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Créditos:

 

concepção, styling e planeamento: Romã Eventos
design floral: Jardin d’Époque
música: Música na Igreja
fotografia e vídeo: Storytellers

 

Ora aqui está um casamento que teremos muito gosto em partilhar, daqui a uns tempos. A avaliar por esta amostra, temos conto de fadas à vista!

Marta Ramos

Um olhar delicado sobre as anémonas, de Por Magia

A paixão pelas flores, por ouvir histórias e conhecer novas pessoas, levou a Andreia e o Bruno Ribeiro a dedicarem-se a criar dias memoráveis. Juntos interpretam sonhos e reinventam ideias. Desenham todos os detalhes da vossa festa do início ao fim, desde o bouquet à decoração dos centros de mesa ou à total decoração do evento, trabalhando cuidadosamente todas as texturas, cores e tecidos para que o conjunto se reflicta em pormenores elegantes e distintos. Já contamos há algum tempo com a Por Magia entre os nossos fornecedores seleccionados, na área da decoração para casamentos. Recentemente, duplicámos a dose, com a Andreia e o Nuno a estenderem a sua paixão à fotografia. Assim nasceu a Por Magia Photography, que defende uma imagem simples, elegante, intemporal, que nos transporta para dias vividos de uma forma autêntica.

As imagens que vos trazemos hoje são o resultado de um momento de liberdade criativa da Andreia e do Bruno. Depois de um trabalho com anémonas, não resistiram a criar uns quadros inspiradores e a fotografá-los com delicadeza: «Anémonas… São delicadas e com uma natureza selvagem, são enigmáticas e com um toque obscuro! Prendem o olhar e fazem-nos sentir atraídos, transportam-nos para um ambiente etéreo e mágico… São fabulosas aos nossos olhos!»

 

 

 

 

 

 

 

Quanta doçura e quanto carácter!
Não deixem de consultar a ficha de fornecedor seleccionado de Por Magia Photography para ficarem a conhecer melhor o seu trabalho, assim como o seu portefólio de decoração para casamento. E falem com a Andreia e o Bruno sobre as vossas ideias e os vossos sonhos. Eles terão muito prazer em dar-lhes vida.

Marta Ramos

Romance no palacete, por Bouquet de Liz

A Casa do Vinho Verde, sede da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes desde meados da década de 1940, é um dos mais ricos exemplares arquitectónicos do abastado período dos «brasileiros de torna-viagem» na cidade do Porto. Em meados do séc. XIX era mesmo considerada a casa mais luxuosa da Invicta – na altura, denominada Palacete Silva Monteiro. Hoje é também anfitriã de eventos e a Bouquet de Liz foi convidada a criar um editorial que mostrasse os encantos do espaço.  Conta-nos Maria do Rosário Pinho: «Quando conheci o palacete, apaixonei-me pela arquitectura, pelas cores e pelo intimismo do espaço. Os marsalas das paredes, o dourado dos lustres e dos pormenores incríveis dos tectos e dos frisos, os vermelhos das tapeçarias foram a base para a minha escolha das cores. A selecção das flores passou muito pelo ar mais bucólico e romântico que poderiam imprimir e que contrastasse também com a imponência do espaço.

O jardim, que mantém ainda a maioria das árvores originais e com uma vista maravilhosa para o Douro,  foi sem dúvida também uma inspiração.

As orquídeas, hydrangeas e rosas mini foram as escolhas fundamentais, mas que combinei com flores mais silvestres como a flor de cera e o eucalipto, bem como algumas flores preservadas como as rosas inglesas, que estão quer nas aplicações do vestido, quer no toucado. Para um dos bouquets usei ainda anémonas e ranunculos – que são, possivelmente, as minhas flores favoritas na primavera.»

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Créditos:

 

styling e decoração: Bouquet de Liz – Maria do Rosário Pinho

fotografia: Memorabilia Studio

vídeo: Daniel Sousa

maquilhagem: Noémia Pereira

vestido: by TFNC London, modificado com véu e aplicações florais pela Bouquet de Liz

modelo: Mafalda Tavares

 

Vejam mais trabalhos com este toque apaixonado e elegante da Bouquet de Liz nos artigos que já lhes dedicámos; e consultem a ficha de fornecedor para verem imagens bonitas e recolherem todas as coordenadas de que necessitam para entrar em contacto com a Maria do Rosário e lhe pedir que traduza o vosso sonho em flores.

Marta Ramos

Wise words: como escolher a decoração do casamento

Já escolheram o espaço para o vosso casamento? Muito bem, agora falta torná-lo ‘vosso’. Esse é o trabalho do decorador, e o temas das nossas wise words de hoje.
Quando se contrata um profissional, contrata-se mais do que apenas o serviço de execução e a logística; são ideias, conceitos e criatividade, é experiência e conhecimento, capacidade de execução e de vos levar do ponto A (um espaço “qualquer”) ao ponto B (um dia mágico), de modo feliz e eficaz.

Seja qual for o ambiente e o tipo de espaço escolhido, contratar um bom profissional é fundamental: a decoração está presente em todos os detalhes e cenários, confere ambiente e deixa toda a gente feliz (incluindo fotógrafo!).

Falámos com a Filipa Soeiro, a directora criativa & magical maker da Momentos com Design, que nos traz bons conselhos para vos ajudar a escolher o decorador do vosso casamento – e imagens bonitas para ilustrar este artigo!

Recomendamos a todos os noivos que definam em primeiro lugar o budget disponível. Depois, que pensem num ambiente em que se sintam bem, em que se sintam felizes e com o qual se identifiquem. E também no que querem transmitir ou partilhar no dia do casamento.

Avaliar o portefólio e experiência do fornecedor são fundamentais, assim como o feedback de outros clientes. Seleccionem três fornecedores para contactar, cujo portefólio vos tenha agradado, e preparem um simpático email. Se possível, mencionem já o espaço escolhido, incluindo o endereço do site, para que o fornecedor se possa situar. Não receberão orçamentos na volta do correio – este é um assunto que requer e merece uma conversa prévia – mas sim um pedido de marcação de reunião.

Façam o vosso trabalho de casa – os boards do Pinterest, as anotações e a folha de orçamento – e reúnam, com tempo e disponibilidade. Conversem sobre a festa que esperam ter, o tipo de convidados (e as suas necessidades), o que é fundamental, o que é acessório e ideias que gostariam de pôr em prática, e deixem que o fornecedor inicie o seu processo criativo.

 

 

 

 

«Temos um questionário feito no Google Forms com algumas perguntas», conta-nos a Filipa, «como data e local do evento, número de convidados, qual o tema ou inspiração para o casamento, que espaços pretendem decorar (zona da cerimónia, mesas de refeição, zona exterior, etc), uma lista de peças gráficas e decorativas que podem escolher ter, uma lista de serviços com quem temos parceria. Pedimos se nos podem enviar alguma imagem/inspiração do ambiente que sonham/imaginam para o dia deles. Recentemente, uns noivos para quem vamos fazer o casamento este ano comentaram que este questionário era uma grande ajuda pois ajudava-os também a eles a guiarem-se por tudo o que poderia fazer sentido terem no casamento.»

Quer tenham uma visão bem definida ou uma ideia vaga, confiem no profissional, não o considerem um mero executante, mas um criativo capaz, cujo objectivo é prestar-vos o melhor serviço possível. Se sentirem que há imposição de gostos ou modelos (novamente, a importância da empatia!), desistam e passem ao próximo contacto.

Procurem conhecer um pouco o trabalho de cada fornecedor e sentir o que transmite. Nós gostamos depois de marcar um encontro no nosso ambiente, para nos conhecerem e ao nosso estilo. Criar uma empatia, um momento. – Momentos com Design

É provável que não obtenham uma proposta completa e detalhada no fim deste primeiro encontro. Criar um projecto de decoração de raiz e orçamentá-lo é um processo criativo e aritmético, é necessário tempo para pensar, pesquisar e orçamentar, e esse investimento por parte do fornecedor espera um compromisso da parte do cliente, por isso, o mais natural é uma proposta simplificada e uma baliza de valores.

Se estiver dentro do que têm em mente (ideias e custos), é sinal para avançar. Contactem os outros fornecedores não seleccionados e informem-nos da vossa decisão, libertando-lhes a data, previamente acautelada com o primeiro contacto.

«O ideal é visitar o espaço com os noivos enquanto estamos a desenvolver as ideias», salienta a Filipa. Façam uma visita conjunta ao espaço (as deslocações do fornecedor deverão estar por vossa conta), aproveitem a oportunidade para apresentar ambas as partes envolvidas, avaliem as várias intervenções necessárias e estejam disponíveis para algumas sugestões.

Daqui sairão os dados que faltavam para um projecto e orçamento detalhados e é altura de assinar o contrato. Contem com uma adjudicação ou sinal (pelo menos 20%), que dá início ao processo de trabalho, e com possíveis alterações de última hora, desde que aconteçam com o vosso acordo.

 

 

 

 

Deverá ser também incluída uma lista de todo o material fornecido (do qual passam vocês a ser os responsáveis), que deverão partilhar com os profissionais do catering e do espaço, para que tudo retorne a quem de direito, e um valor de caução, para as peças que se extraviarem, que forem levadas por convidados mais entusiasmados ou simplesmente que se estraguem.

Atempadamente, peçam uma prova da mesa completa, se possível no local – é uma boa oportunidade de analisar a qualidade dos têxteis, o estado das cadeiras, a categoria da loiça.

Para o restante ambiente, confiem no portefólio que viram, nas conversas que tiveram e na empatia criada, são garantia suficiente de um bom trabalho!

Terminamos com esta ressalva: um decorador não é um wedding planner. Não esperem dele competências organizacionais, de gestão de equipas, de resolução de problemas maiores ou fora do restrito âmbito da decoração. Se concluírem que vos faz falta esse apoio profissional, contratem-no. Há quem disponha de ambos os serviços e essa especificação deverá estar devidamente mencionada e contratualizada e terá o seu custo adicional.

No próprio dia, desfrutem. Haverá sempre alguma coisa que não ficou exactamente como se pensou, mas também algumas surpresas boas, cortesia de um bom profissional com brio no que faz, atento ao detalhe e especialista em criar cenários especiais para dias especiais!