Created with Sketch.
Marta Ramos

As cores do entardecer, por A Pajarita

No passado fim-de-semana, Alexandra Barbosa levou A Pajarita a um evento de apresentação de serviços para casamentos em Lousada e, para nossa sorte, os fotógrafos da Lovati Photography registaram minuciosamente a sua presença.

Esta foi a minha proposta, longe do Pantone do ano: cores mais escuras e fortes, típicas de um entardecer, e papéis manuais, tinta-da-china e aguarela. O papel de inspiração foi um floral pictórico que recorda uma bela natureza morta a óleo. A decoração floral, pitoresca, prima pelas texturas.

Pajarita é uma palavra espanhola que define origami em forma de pequeno pássaro, gravata borboleta ou a planta Linaria Vulgaris. Uma palavra tão versátil como a equipa d’A Pajarita, composta por diversas mãos talentosas que ajudam Alexandra Barbosa, a directora criativa, a criar o estacionário, a decoração e todos os outros detalhes para o vosso dia.
A Alexandra é formada em Arte e fascinada pela perfeição, e começa sempre todos os seus projectos do zero, longe da estandardização e à imagem de quem comemora o que de mais belo a vida tem.
Vamos ver as imagens desta proposta quente e texturada da Alexandra?

Não deixem de ler todos os artigos que já publicámos sobre o trabalho d’A Pajarita: para além de haver muita coisa bonita de se ver, há também bons conselhos e reflexões importantes: «Eu tenho alguns problemas com o desperdício, evito-o tanto a nível pessoal como profissional, por isso, tenho sempre especial atenção à gestão dos materiais e à qualidade dos mesmos. No estacionário, só usamos papeis livres de ácidos e gerimos a produção de modo a minimizar ao máximo o desperdício de papel, aconselhando sempre medidas que optimizam a área de impressão.»
E falem com a Alexandra sobre o tipo de casamento que imaginam: a equipa d’ A Pajarita terá muito gosto em inspirar-se nos vossos desejos para dar asas à criatividade.

Marta Ramos

Um casamento em tons de rosa e beringela, com Jardin d’Époque

Ana e Marc casaram no dia 1 de Setembro de 2018 no Palácio do Freixo e fizeram da sua festa uma verdadeira celebração cosmopolita. Ana é portuguesa, Marc é alemão, e vivem em Hong Kong. Para decorar o seu grande dia, escolheram uma dupla de wedding planners muito conceituada do mercado brasileiro: Fábio Borgatto e Telma Hayashi. E foi esta dupla que contactou Ema Ramos, do Jardin d’Époque, a quem confiou a curadoria, a selecção das espécies de flores e folhagens e o desenho e execução das peças de design floral.

Reuni presencialmente com o Fábio e a Telma no início de Março e houve uma empatia imediata, talvez por eu ter um carinho muito grande pela cultura brasileira e por ‘aquele’ sotaque adocicado que me recorda os tempos que passei por terras de Vera Cruz e os amigos especiais que ainda tenho por lá. – Ema Ramos

Começaram por definir uma paleta de tons rosa e beringela suaves e quentes, aos quais adicionaram toques de verde e castanho: «Pretendíamos peças florais ricas em texturas, com uma estrutura orgânica e uma linguagem assumidamente ‘despenteada’. Às rosas inglesas, às nigella, às scabiosa e a uma série de outras espécies vindas de longe, juntámos bagas, dálias, ramos de carvalho e de magnólia dos jardins de pequenos produtores nacionais.»
Foram mais de cinquenta mil pés de flores e folhagem que se transformaram no cenário do dia feliz de Ana e Marc: instalações suspensas na tenda montada no jardim; um arco quebrado e assimétrico meticulosamente colocado no jardim italiano de forma a que o Rio Douro fosse o seu horizonte; arranjos com mais de um metro de largura que emolduraram a mesa dos doces; jarrões que pontuavam os percursos e os nichos dos muros do palácio. Às flores, juntaram-se cerca de quarenta oliveiras estrategicamente colocadas na tenda em vasos gigantes de terracota, segundo o projecto dos decoradores, balizando áreas de estar, a zona de jantar e a pista de dança.

«O trabalho em equipa foi crucial», conta Ema Ramos. «Estar rodeada de pessoas imbuídas do mesmo espírito, sensíveis, com um sentido estético apurado e totalmente disponíveis foi, definitivamente, o meu verdadeiro braço direito. A equipa do Jardin d’Époque foi composta por doze pessoas que, ao longo de uma semana intensiva, tornaram possível este projecto. E foi igualmente maravilhoso partilhar o momento de construção de algumas peças florais com a mestria do Fábio. A partilha de técnicas de trabalho e de métodos de construção e organização não tem preço e poder fazê-lo com profissionais tão talentosos foi um verdadeiro privilégio.»

Créditos:

fotografia: Inga Freitas
planeamento e decoração: Fábio Borgatto e Telma Hayashi
flores: Jardin d’Époque
espaço: Palácio do Freixo
apoio à produção: Romã Eventos
aluguer de materiais: Saiotes / O Saltimbanco

Marta Ramos

Um casamento feito de flores, por Flor de Laranjeira

Pouco mais de uma dezena de pessoas especiais foi o necessário para tornar o dia da Maria e do Tomé o mais feliz das suas vidas. A Flor de Laranjeira desempenhou um papel fundamental neste casamento tão intimista em que as flores assumiram um lugar de destaque, já que todos os convidados teriam flores: todas as mulheres levavam flores no cabelo e os homens na lapela; a lembrança oferecida aos convidados foi um raminho de flores; e a noiva levava, para além do bouquet, flores no cabelo e uma pregadeira no ombro.

Conta-nos a Teresa: «Divertidos e descontraídos, a Maria e o Tomé sabiam que queriam arranjos coloridos de cores quentes. Optámos por gerberas, lisianthus, dálias, narcisos, frésias, cameleira, monstera e uvas. O resultado foi quente e vibrante – e o mais importante para os noivos foi estar com os familiares num fim-de-semana tão especial.»

O casamento decorreu na Quinta do Vento, em Palmela, e a fotografia ficou a cargo da Amarephotoart.

 

 

 

 

 

 

 

A Flor de Laranjeira nasceu da união de dois amores: a designer de interiores por formação dá a mão à florista por criação e juntas dedicam-se ao desenho com flores. A inspiração vem da paixão: trabalham com flores frescas, de preferência sazonais e nacionais. Desde o ramo de noiva e complementos, aos locais de celebração e festa, tudo é permitido e possível, tendo como única condição o respeito pela essência da flor​. E do amor, claro.

Vejam aqui OUTROS TRABALHOS DA FLOR DE LARANJEIRA e FALEM COM A TERESA. Ela terá todo o prazer em ouvir as vossas ideias e conhecer os vossos gostos, para depois traduzi-los em flores.

Marta Ramos

Sinfonia de cores e flores, por Flor de Laranjeira

Se quisermos adjectivar o casamento da Yasmin e do Pedro, as duas palavras mais adequadas serão diversidade e simplicidade. Trata-se de casal que sabia exactamente o que queria: flores tropicais, exóticas mas com uma mistura de flores nacionais. Foram estas algumas das indicações dadas à Flor de Laranjeira, que ficou encarregue das flores do seu grande dia: «mas foi-nos dada total liberdade para criar, tendo em conta a harmonia perfeita entre texturas diversas, formas e cores», conta-nos a Teresa. «A Yasmin escolheu jarras de vidro transparentes para que pudessem sobressair sempre as cores das flores. Flores e verduras exuberantes como Anturium, estrelícia, delfim, heliconia, amarilis, girassol, craspédia, mulucella, gladilo, liatres e dendrobium alegraram o espaço e garantiram o ambiente que os noivos desejavam.»

Mais um trabalho delicado e cheio de detalhes bonitos com assinatura Flor de Laranjeira. Vamos ver as fotos? São da Amarephotoart.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Flor de Laranjeira nasceu da união de dois amores: a designer de interiores por formação dá a mão à florista por criação e juntas dedicam-se ao desenho com flores. A inspiração vem da paixão: trabalham com flores frescas, de preferência sazonais e nacionais. Desde o ramo de noiva e complementos, aos locais de celebração e festa, tudo é permitido e possível, tendo como única condição o respeito pela essência da flor​. E do amor, claro.

Vejam aqui OUTROS TRABALHOS DA FLOR DE LARANJEIRA e FALEM COM A TERESA. Ela terá todo o prazer em ouvir as vossas ideias e conhecer os vossos gostos, para depois traduzi-los em flores.

Marta Ramos

Do Brasil para Évora, por Flor de Laranjeira

A Maria Estella e o José Pedro atravessaram o Atlântico, entre o Brasil e Portugal,  para casar no bonito Convento do Espinheiro, em Évora. Conta-nos a Teresa, da Flor de Laranjeira, que o dia do casamento estava bem quente mas nada impediu que a boa disposição reinasse. A inspiração para o casamento assentava na criação de uma atmosfera elegante, sofisticada e contemporâneo. A noiva queria bastante cor a salpicar o salão, pelo que as opções para o design floral se traduzram numa conjugação de cores, formas e alturas sobre as mesas e aparadores da sala, que tornavam o ambiente leve e colorido. «Para o ramo de noiva, a escolha das cores foi mais suave: Lisianthus, Rosas, Túlipas, Astilbe, Bouvardia e Papyrus branco e  blush, misturado com verduras diversas.»

Mais um trabalho delicado e cheio de detalhes bonitos com assinatura Flor de Laranjeira. Vamos ver as fotos? São da Amarephotoart.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Flor de Laranjeira nasceu da união de dois amores: a designer de interiores por formação dá a mão à florista por criação e juntas dedicam-se ao desenho com flores. A inspiração vem da paixão: trabalham com flores frescas, de preferência sazonais e nacionais. Desde o ramo de noiva e complementos, aos locais de celebração e festa, tudo é permitido e possível, tendo como única condição o respeito pela essência da flor​. E do amor, claro.

Vejam aqui OUTROS TRABALHOS DA FLOR DE LARANJEIRA e FALEM COM A TERESA. Ela terá todo o prazer em ouvir as vossas ideias e conhecer os vossos gostos, para depois traduzi-los em flores.

Marta Ramos

Um destination wedding em Sintra, por Flor de Laranjeira

A serra de Sintra por si só já é um cenário mágico, com recantos de se nos cortar a respiração. É difícil não nos perdermos por entre a beleza daquela vegetação mística. Foi exactamente isso que fez com que a Suzanne e o Raul, um casal muito descontraído e divertido que optou pelo nosso país para juntar os seus entes queridos vindos de dois lados opostos do planeta, se apaixonassem pela Quinta de São Thiago e quisessem, juntamente com os seus familiares e amigos, dizer ali o “sim”. «A Suzanne teve, como em todo o conto de fadas que se preze, uma fada-madrinha ajudante, a irmã, que durante todo o processo agilizou os pormenores e fez com que tudo ficasse ao gosto dos noivos», conta-nos a Teresa, da Flor de Laranjeira, escolhida pelos noivos para assegurar que o seu dia feliz tivesse as mais belas das flores.

E teve, mesmo: «Os noivos sabiam que queriam uma mistura de cores fortes para marcar e contrastar com a o verde da quinta: vermelhos escuros, salpicados a brancos, misturados com texturas e formas onde o azul profundo e o cinza das folhas de senécio se fizessem notar.  Foi uma cerimónia recheada de charme e bom gosto.»

Venham daí até Sintra, através da lente da Golden Days Wedding Photography.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Flor de Laranjeira nasceu da união de dois amores: a designer de interiores por formação dá a mão à florista por criação e juntas dedicam-se ao desenho com flores. A inspiração vem da paixão: trabalham com flores frescas, de preferência sazonais e nacionais. Desde o ramo de noiva e complementos, aos locais de celebração e festa, tudo é permitido e possível, tendo como única condição o respeito pela essência da flor​. E do amor, claro.

Vejam aqui OUTROS TRABALHOS DA FLOR DE LARANJEIRA e FALEM COM A TERESA. Ela terá todo o prazer em ouvir as vossas ideias e conhecer os vossos gostos, para depois traduzi-los em flores.

Marta Ramos

Um casamento DIY, por Flor de Laranjeira

A Catarina e o Tiago tiveram uma abordagem muito DIY ao seu casamento. «Mostraram desde o primeiro momento ser um casal muito cúmplice e com a ideia do que o mais importante era todos estarem felizes», conta-nos a Teresa, da Flor de Laranjeira, a quem os noivos confiaram o design floral do grande dia. De resto, muita da decoração foi idealizada e feita pela Catarina e pelos seus familiares.

No dia em que devia ter delegado tudo a terceiros para se poder preparar, a Catarina escolheu deixar o seu toque pessoal em vários pormenores – e isso tornou este casamento tão especial.

Um dos truques para se conseguir assumir, em mão própria, é ter uma grande capacidade de organização. E, segundo a Teresa, foi esse o caso: «A Catarina mostrou-se sempre muito prática e decidida nas suas escolhas, segura na sua capacidade de cumprir com as tarefas atempadamente.» Se estiverem a considerar o mesmo para o vosso casamento, não deixem de ler as nossas wise words dedicadas ao assunto, serão uma boa ajuda.

E quando teve que delegar, fê-lo também com confiança. «Confio no teu bom gosto» foi a indicação que deu à Teresa quando ao bouquet. Partindo do conheceimento da preferência da Catarina pela cor branca e por um toque suave de azul, a Flor de Laranjeira meteu mãos à obra e escolheu lisianthus brancos, rosas piano e verónicas, com uma mistura de eucaliptos e senécio.

Vamos ver as imagens, assinadas por Amare Photoart.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Flor de Laranjeira nasceu da união de dois amores: a designer de interiores por formação dá a mão à florista por criação e juntas dedicam-se ao desenho com flores. A inspiração vem da paixão: trabalham com flores frescas, de preferência sazonais e nacionais. Desde o ramo de noiva e complementos, aos locais de celebração e festa, tudo é permitido e possível, tendo como única condição o respeito pela essência da flor​. E do amor, claro.

Vejam aqui OUTROS TRABALHOS DA FLOR DE LARANJEIRA e FALEM COM A TERESA. Ela terá todo o prazer em ouvir as vossas ideias e conhecer os vossos gostos, para depois traduzi-los em flores.