Created with Sketch.
Susana Pinto

À conversa com: Arte Magna – fotografia de casamento

Arte Magna, fotógrafos de casamento são os nossos companheiros de conversa de hoje.

Apresento-vos a Teresa e o Dado, dois sotaques de língua portuguesa, de Joane, Vila Nova de Famalicão, para Portugal de lés a lés.

Sentem-se connosco, fiquem a conhecê-los melhor e prestem atenção demorada ao seu trabalho: é assim bonito!

 

Não temos nenhuma fórmula, somos apenas genuínos e queremos que os nossos clientes se sintam seguros e relaxados. Gostamos de ser organizados e de ir mantendo contacto até e depois do casamento. No fundo, o que procuramos criar é uma relação de confiança.

 

Contem-nos um pouco da vossa viagem profissional até aqui, à fotografia de casamento.

Teresa: eu posso dizer que a minha viagem sempre esteve na mesma rota. Comecei de mão dada com o meu pai, mais tarde estudei no IPF Porto e hoje, junto com o Dado, temos a nossa Arte Magna.

A história do Dado é bem mais longa, mas por mais empregos que tivesse todos foram sempre relacionados com fotografia: laboratórios, edição de imagem, fotógrafo de festas infantis, até chegar aos casamentos.

 

Há quanto tempo fotografam? E porquê casamentos?

Dado: juntos, fotografamos desde 2014. Porquê casamentos? Acho que esta é a resposta mais fácil que podemos dar: o pai da Teresa sempre foi um apaixonado pelo que fazia (também ele fotógrafo de casamentos e fundador da Arte Magna há 40 anos) e ele era tão feliz no que fazia que contagiou a Teresa e ela, anos mais tarde, contagiou-me a mim.

 

O vosso trabalho é feito a duas mãos. Como o definem e como construíram essa assinatura?

Dado: acho que tudo surgiu de uma forma natural. Temos olhares e experiências de vida diferentes e achamos que isso é o que influencia e caracteriza o nosso trabalho e formas de fotografar. Procuramos fotografias que tenham alma para contar histórias que serão as memórias de uma família.

 

Achas que o ponto de vista feminino, os detalhes que escolhes fotografar e como o fazes, a narrativa que constróis, é diferente das escolhas que o Dado faz, do seu ponto de vista masculino? Como convergem?

Teresa: sim, mas acho que vai além da questão de género. Como o Dado disse, temos olhares diferentes e as nossas experiências de vida fazem com que sejamos únicos. Estas diferenças é que enriquecem o nosso trabalho e por isso é que consideramos vantajoso ter dois olhares diferentes, mas cúmplices, num casamento.

 

Arte Magna - fotografia de casamento

 

Arte Magna - fotografia de casamento

 

Arte Magna - fotografia de casamento

 

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vão buscar inspiração?

Teresa: inicialmente devorávamos muito o trabalho de outros colegas fotógrafos de casamento, mas com o tempo, tanto eu como o Dado temos procurado encontrar inspiração nos filmes que vemos e livros que lemos, mas sobretudo nas pessoas que fotografamos. Queremos um olhar e uma mente limpa.

 

Quando precisam de fazer reset, para onde olham, o que fazem?

Dado: viajar, ver um filme projectado na parede do nosso sotão e estar com as nossas pessoas. Gostamos de momentos simples, mas que nos renovem.

 

Do Norte para o mundo, ou Portugal de lés a lés: fotografar casamentos estrangeiros é diferente de fotografar casamentos nacionais?

Dado: fotografar fora é sempre um prazer, mas também gostamos de explorar o nosso país. Adoramos sair dos “nossos lugares” e é isso o que nos fascina. Mesmo a fotografar dentro de Portugal, basta mudar de região e já vemos tradições diferentes tal como quando saímos do país. E agora, com Portugal na moda e cada vez mais estrangeiros a casar por cá, será que podemos considerar isto como um dois em um?

 

Qual é o vosso processo de trabalho, como acontece a ligação ao cliente?

Teresa: não temos nenhuma fórmula, somos apenas genuínos e queremos que os nossos clientes se sintam seguros e relaxados. Gostamos de ser organizados e de ir mantendo contacto até e depois do casamento. No fundo, o que procuramos criar é uma relação de confiança.

 

Arte Magna - fotografia de casamento

 

Arte Magna - fotografia de casamento

 

Arte Magna - fotografia de casamento

 

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gostam de registar?

Dado: nos casamentos mais pequenos e inimistas acabamos por conseguir criar uma ligação especial não só com os noivos, mas também com os convidados. Sentimo-nos todos mais próximos uns dos outros e isso faz com que as pessoas se sintam mais soltas na nossa presença. No final, damos valor à emoção e muita diversão na pista sejam 20 ou 180 convidados.

 

Qual é a melhor parte de fotografar casamentos? E o mais desafiante e difícil?

Teresa: somos uns privilegiados, pois temos a oportunidade de contar uma bonita história, conhecer novos lugares e fazer o que mais gostamos. Durante o dia do casamento estamos numa posição privilegiada a ver como se olham quando se vêem pela primeira vez como noiva e noivo, sentimos a alegria na pista de dança, a emoção ao ouvirem as palavras carinhosas dos amigos e familiares.

Desafiante: estar sempre alerta por mais simples que o momento possa ser. Difícil: eu como chorona que sou, confesso que é segurar as lágrimas. Na entrega de cada trabalho, sentimos a honra de estar a criar memórias para as gerações futuras.

 

Escolham uma imagem favorita do vosso portfolio e contem-nos porquê:

fotografia de casamento Arte Magna

 

Teresa: a escolha foi a mesma! Esta fotografia da Alice e do João, pode não ser a mais perfeita nem com o melhor enquadramento, mas é umas das fotografias que mais nos fez e faz rir sempre que recordamos o momento. Quando estávamos a fotografar eu, Teresa, ia a andar de costas cheia de confiança e bati com a cabeça numa ávore. O Dado apanhou o momento em que eles se riram! Tivemos que parar uns momentos para recuperarmos todos: eu da dor e eles do ataque de riso. Doeu, mas valeu a pena! Se for preciso voltarei a bater com a cabeça com a segurança de que o Dado fará uma grande fotografia.

 

Os contactos detalhados da Arte Magna estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de belas imagens, e contactem a Teresa e o Dado directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Marta Ramos

Palavras doces, por Invite – Momentos Felizes

Quem casa quer levar boas recordações para casa – podia ser um ditado! A Invite – Momentos Felizes mostra-nos hoje um livro de honra que fez para um casal, entre outras peças bonitas, e pedi-lhes que nos falassem um pouco da importância deste objecto num dia como o do casamento. Já pensaram nisto, no vosso livro de honra? Escutem:

«Os livros de honra são pequenas lembranças para os noivos, para viverem e reviverem o dia. Lerem o que os seus convidados quiserem dizer. Pequenas memórias do que viveram. Podem ter demasiadas formas, desde livros até placards ou cartões, por exemplo, em frasquinhos ou em garrafas. Tudo o que permita uma pequena mensagem, um pequeno apontamento.
A maioria dos noivos não quer apenas assinaturas, quer pequenas frases, palavras, quer sentir que os seus convidados participam e lhes deixam conselhos, ou apenas palavras de amor.

Temos uma noiva que pretende que o seu livro de honra circule, que não fique estanque num sítio, pois acha que a maioria das pessoas não vão até eles. Para esta noiva é importante este apontamento, são importantes estas mensagens. Na nossa opinião, os livros devem estar visíveis, e de preferência em sítios de passagem, que agucem a curiosidade, com mensagens divertidas.
Há quem torne este momento divertido, o que facilita as pessoas a quererem deixar a sua mensagem, por exemplo, utilizando a fotografia. Quem não gosta de tirar uma fotografia que possa depois levar como recordação? Melhor ainda se for em duplicado – uma para levar e outra para deixar ao casal, com as tais palavras doces.»

Podem começar a pensar no formato que faz mais sentido para vocês, enquanto vêem o livro da Marta e do André, pela lente da Terra Fotografia.

 

 

 

 

A Ana e a Andrea são ambas apaixonadas pelo mundo dos casamentos e pensaram em oferecer aos futuros noivos a mesma felicidade que sentiram quando viram tudo o que tinham sonhado reflectido nos convites, marcadores, missais, etc, que escolheram quando casaram. A alegria que os clientes sentem quando vêm as suas ideias tornadas reais é a parte mais gratificante do seu trabalho. Releiam todos os artigos que já publicámos acerca da Invite e falem com elas, que estão à vossa espera para vos ajudar a contar a vossa história e a guardar as vossas mais doces memórias.

Marta Ramos

Ouro sobre chocolate, por Pitada d’Amor

Esta é uma história cheia de Simplesmente Branco. A Isabel e o Tiago casaram no Clube Universitário do Porto, um dos espaços exclusivos do nosso fornecedor seleccionado Silva Carvalho Catering, e onde decorreu o nosso showcase You+Us=Fun de Janeiro de 2017. Não foi nesse evento, mas noutro posteriormente organizado pelo Simplesmente Branco, que o casal viu um bolo feito pela Cláudia, da Pitada de Amor, e se apaixonou pela cor escura do chocolate. Foi então que lhe pediram uma criação com esse mesmo precioso ingrediente para o seu casamento.

«Eu dei a sugestão da ganache de chocolate negro com aplicação de ouro comestível. Eles adoraram a ideia e queriam muito framboesas frescas a toda a volta e no topo. Para o interior pediram bolo de chocolate com recheio de frutos do bosque. O bolo teria de servir 150 pessoas.
Montei o bolo no local e fui muito bem recebida por toda a equipa do Clube Universitário do Porto que elogiou muito o bolo quando o terminei! A  decoradora do espaço era a Susana, da Inspirarte, que fez um trabalho lindíssimo!
Os noivos, durante a lua de mel, disseram-me que o bolo estava muito bonito e exactamente como queriam.»

Tenho consciência que que os bolos de casamento são os que mais gosto de fazer. Já me disseram que o auge do meu trabalho são os bolos de casamento. Gosto que o cake design transmita emoções. É tão bom marcarmos a vida das pessoas desta forma! Se posso fazer os outros um pouco mais felizes, então eu sou, sem dúvida, uma pessoa muito feliz.

 

 

Leiam o nosso artigo de wise words dedicado ao bolo dos noivos, para o qual contámos com a assessoria da Cláudia Almeida, assim como todos os artigos que já publicámos sobre os seus trabalhos. Não deixem de consultar a ficha de fornecedor seleccionado Pitada d’Amor – e falem com a Cláudia, serão recebidos com muita doçura.

Marta Ramos

Wise words: Como escolher os profissionais de fotografia e vídeo?

A fotografia e o vídeo serão das primeiras alíneas que quererão ver resolvidas na checklist de organização do vosso casamento. Percebe-se porquê: as imagens que daí resultarem serão as memórias palpáveis que vos ficarão para reviver o dia ano após ano, para partilhar com gerações futuras, para construir a história palpável da vossa família e poder contá-la a quem não tenha assistido a todos os episódios. Se vão investir, tanto em dinheiro com em tempo e dedicação, para que todos os detalhes do vosso casamento estejam perfeitos, quererão investir igualmente em guardiões desses detalhes que vos façam brilhar.

Há muitos bons profissionais da imagem a trabalhar em Portugal, é um motivo de orgulho para nós – só aqui na nossa lista de fornecedores seleccionados encontrarão mais de 50 fichas para analisar. Então, a questão que se coloca agora é: como escolher?

Para que possam desfrutar verdadeiramente do prazer de revisitar e de partilhar este breve dia um ano, dez anos, vinte anos depois, com a mesma emoção à flor da pele, recomendamos que escolham com o coração e a razão. – Queres casar comigo?

Para nos ajudar a compor este artigo, pedimos algumas dicas ao Luís e à Marta da Lounge Fotografia – e. claro, as belas imagens que as acompanham.

 

 

 

 

Para começar, a antecedência! Os melhores profissionais são também os mais concorridos, e no caso dos fornecedores que terão que estar presentes no dia do casamento isso implica que ou vocês fecham a data primeiro, ou alguém o fará no vosso lugar. Seis meses no mínimo, mas um ano dá-vos mais folga. Comecem por analisar os vossos sites de referência com descontracção. Vão anotando os nomes que vos agradam e tomem notas para cada um deles. Lembrem-se de que a palavra-chave aqui é afunilar, por isso qualquer coisa que vos desagrade deve empurrar o nome correspondente para o fim da lista.

Lembra-nos a Lounge de que «muitas vezes as pessoas acham que os fotógrafos são todos iguais, e não são! Há estilos muito próprios, posturas diferentes, níveis de experiência diferentes.» Então, depois de verem e reverem os trabalhos dos vossos candidatos online, e depois de ordenarem e reordenarem a lista de preferências, peguem nos cinco primeiros nomes de fotografia e de vídeo e arrumem os restantes. Contactem o top 3 – com um email personalizado, simpático e já com muita informação relevante, para agilizar o processo. As respostas que receberem também vos ajudarão a confirmar se estão no caminho certo. É uma coisa que se sente, se a pessoa do lado de lá está verdadeiramente sintonizada convosco ou não. Próximo passo: agendar reuniões presenciais.

 

 

 

 

Levem uma listinha de assuntos essenciais convosco – não se preocupem que o Luís e a Marta ajudaram-nos a prepará-la para vocês:

. ver, pelo menos, um álbum/filme completo de um casamento (uma coisa é agrupar imagens fantásticas, outra contar a história inteira do dia com graça);

. confirmar quais são os membros da equipa a estar presentes no vosso casamento;

. acertar quais os graus de interferência no dia que são confortáveis para ambas as partes (pausas para sessões a dois, fotos de grupo, etc.);

. alinhar as fotografias que não podem faltar (dependendo da vossa vontade, claro, poderão ser fotos com os pais, com os avós, com os amigos – sejam quais forem as vossas escolhas, ponham-nas desde logo por escrito) e nomear um mestre de cerimónias, ou seja, o vosso braço direito que, no dia, ajudará os fotógrafos e videógrafos a encontrar as pessoas certas para as fotografias solicitadas, sem que tenham que ser vocês a preocupar-se com isso;

. definir bem prazos de entrega das fotos e do álbum final, e de vídeos highlights + filme completo;

. clarificar se os valores finais incluem IVA.

Se acham que se identificam com o trabalho apresentado mas resta ainda alguma dúvida, agendem uma sessão de noivado. É a melhor ocasião para quebrar o gelo e verem a forma de estar dos fotógrafos/videógrafos: se são descontraídos, afáveis, divertidos, se vos fazem rir, se vos direccionam muito ou pouco. E, no final, sentir se há magia nas imagens entregues! – Lounge

As e-sessions são, de facto, um factor importante neste processo. Mesmo que já tenham decidido, não saltem essa parte. Para além de serem memórias acrescida, é uma oportunidade de ouro para interagirem com os fotógrafos e videógrafos que estarão encarregues de registar o dia do vosso casamento. Ganha-se à vontade e descontração, que serão essenciais no grande dia; afinam-se vontades e expectativas; e, de repente, já vocês tratam as câmaras por tu e já elas vos conhecem de cor, de modo que tudo flui com muito mais naturalidade.

 

 

 

 

Este é o vosso dia. Gravem-no nos sentidos, da forma mais doce; e em imagens, da forma mais profissional. – Queres casar comigo?

Ora bem, então, recapitulemos. Analisem a oferta com antecedência e, na hora do aperto de mão, não descurem o contrato – leiam e confirmem cada detalhe. Desistam de quem não vos responde em tempo útil, ou o faz de modo pouco profissional, evasivo ou invasivo – e confiem no vosso instinto, dêem relevância à empatia, já que no dia do casamento vocês vão precisar de sentir que estão todos na mesma equipa. Certifiquem-se de que o profissional que estará presente no vosso casamento é mesmo aquele que vocês preferem, quando se trata de empresas com equipas grandes. Confiem nas dicas dos profissionais mas não se esqueçam de que a última palavra tem que ser a vossa. Se sentirem que de lado de lá estão a puxar numa direcção que vai contra a vossa natureza, acreditem, não vai resultar. A qualidade do trabalho dos fotógrafos e videógrafos que vocês escolherem deve ser, claro, um argumento de topo; mas valorizem igualmente a qualidade do atendimento. Se se sentirem acarinhados, certamente que o vosso casamento será filmado e fotografado na mesma medida.

Posto isto, a palavra final é… descontraiam! Sim, é possível. Vivam o vosso dia plenamente, sintam cada instante, saboreiem cada emoção, cada gargalhada. E depois deleitem-se com as imagens.

 

Agora, peguem nestas wise words e comecem já a pô-las em prática, passando a pente fino a nossa selecção de fornecedores de fotografia e de vídeo. Têm muito trabalho pela frente, é verdade: mas o resultado final será garantidamente espectacular.
As fotos deste artigo são assinadas pelo nosso fornecedor seleccionado Lounge Fotografia.
Sobram dúvidas? Falem connosco, têm a caixa dos comentários inteiramente à vossa disposição. E não deixem de acompanhar todos os artigos de wise words que vamos publicando, sempre à segunda-feira.

Susana Pinto

Casamento elegante na Quinta de Prata: Claudia + Michal

Hoje temos para vos mostrar um casamento elegante na Quinta de Prata: o mais bonito dos dias da Claudia + Michal.

Com eles, uma bela equipa de fornecedores Simplesmente Branco: Edgar Félix, que filmou o belo vídeo que vos mostramos, Dj Nuno Rodrigues, que pôs toda a gente a dançar e a equipa de animação da Sóanimarte.

A leitura é curtinha, o que vos deixa os 5 minutos necessários para se deleitarem com o filme de casamento deste bonito casal.

Bom fim-de-semana!

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Elegante , sofisticado e romântico.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Sempre muito calmos, pensámos em todos os pormenores com muito cuidado. Todas as decisões foram tomadas pelos dois.

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Quando escolhemos o espaço , tudo começou a fazer sentido , depois a igreja dos nossos sonhos.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Muito fiel, nós sabíamos exatamente o que queríamos, desde o começo. Não fizémos tudo sozinhos.

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

O design do casamento e a decoração eram muito importantes. Tudo foi importante.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais difícil foi escolher o fotógrafo e o videógrafo, as nossas expectativas eram enormes e não foi fácil encontrar alguém em quem confiássemos. O mais fácil foi escolher a cor dos vestidos das damas. Cinzento era e sempre foi a cor perfeita.

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Os discursos, muita emoção e muitas lágrimas.

 

E o pico de diversão?

O jogo icebreaker no início do casamento, envolveu toda a gente e o ambiente era perfeito.

 

Um pormenor especial…

Só um ? Para nós todos os pormenores no casamento foram especiais. O tema em si, “momentos”.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Nada!

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Cada dia da organização do casamento deve ser uma diversão, porque o dia propriamente dito dura mesmo poucas horas. Ser noiva é uma fase linda, aproveitem!

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

espaço e bolo dos noivos: Quinta de Prata;

decoração: Maria de Lurdes Weddings;

convites e materiais gráficos: todos feitos por nós;

fato do noivo e acessórios: Versace e Ted Baker;

vestido de noiva e sapatos: Rosa Clara;

maquilhagem: Julia Mota;

cabelo: Fátima Castro Cabeleireiro;

fotografia: Pedro Lopes;

video: Edgar Félix;

animação: Sóanimarte;

Dj: Nuno Rodrigues.

 

Marta Ramos

Gold and blue – estacionário de casamento por A Pajarita

Faltava menos de uma semana para o casamento, quando a Alexandra Barbosa, d’A Pajarita, foi contactada por uma empresa de organização de eventos com um problema: a sua fornecedora habitual de estacionário não conseguiria entregar a encomenda a tempo, por motivos pessoais.

«Aquilo que me foi pedido: duas cartas com os votos de casamento, 78 menus individuais, 78 marcadores de lugar, 78 cartões individuais + 8 números para o seating plan e os 8 marcadores de mesa», conta-nos a Alexandra.
«Segundo me informaram, os noivos gostavam de manchas de pintura, papéis diferentes e caligrafia, e as cores-base deveria ser o azul noite e o dourado. A partir dai, estive à vontade para fazer a minha interpretação – faltavam uns dias para o evento e não havia tempo para fazer provas.
Usei dois papéis com algodão e caligrafia manipulada digitalmente com manchas de aguarela de três azuis para o azul ter mais expressão, com sobreposição de tinta de cor ouro. Só os números dos marcadores de mesa é que foram pintados à mão.

Foi-me dito que a minha proposta superou as expectativas e que os noivos adoraram, simplesmente, que estavam muito felizes. Não foi um processo normal, faltou a habitual cumplicidade, mas gostei muito do resultado e de ter contribuído de forma anónima para o dia de Tonia & Mario.»

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Falem com a Alexandra Barbosa sobre o tipo de estacionário que imaginam para o vosso casamento: a equipa d’ A Pajarita terá muito gosto em torná-lo realidade. Como vêem, os milagres acontecem – mas será sempre muito melhor tratar de todo o processo com a devida antecedência.

Não deixem de ler todos os artigos que já publicámos sobre o trabalho d’A Pajarita – um sonho.

Susana Pinto

À conversa com: Lourenço Wedding Photography – fotografia de casamento

A conversa desta semana é com o João Lourenço, fotógrafo de casamento, que assina como Lourenço Wedding Photography.

A primeira foto que acompanha este texto, é a minha favorita: é luminosa e imensamente feliz, porque estes noivos estavam imensamente felizes. É a fracção de segundo certa onde está fixado, para sempre, o amor palpável e contagiante deste casal. É esse o papel e a importância das fotografias e o que faz delas um assunto tão mágico.

Fiquem a conhecer melhor o trabalho do João Lourenço e, se gostarem, sentem-se também a conversar com ele. Vale sempre a pena!

 

Gosto de descrever a minha forma de trabalho como “emotional storytelling”. Penso que o casamento são as emoções, é definido por elas e, em última análise, são as emoções que dão sentido ao casamento. Como tal, o meu objectivo é contar a história do dia com base na captura dessas emoções e reacções.

 

Lourenço Wedding Photography - fotografia de casamento

 

Lourenço Wedding Photography - fotografia de casamento

 

Lourenço Wedding Photography - fotografia de casamento

 

Conte-nos um pouco da sua viagem profissional até aqui, à fotografia de casamento.

Sempre fui um criativo, desde muito pequeno. Depois do desenho, a fotografia apareceu naturalmente e fiquei fascinado com as potencialidades. Na Universidade tirei engenharia, que me permitiu viajar por esse Mundo fora em lazer e trabalho. A determinada altura decidi comprar equipamento profissional para obter melhores resultados e comecei a dedicar-me à fotografia social e de viagem. Foi nessa altura que se deu o click de que podia fazer carreira na fotografia. Durante 2 anos tentei conciliar a fotografia e a engenharia até que tive que escolher uma área – a fotografia foi uma opção emocional e que nunca me arrependi de tomar. Hoje sinto que a fotografia me salvou de uma vida de escritório cinzenta e entediante!

 

Há quanto tempo fotografa? E porquê casamentos?

Profissionalmente, desde 2013. Gostava de fotografia social e de foto-reportagem, tinha também já fotografado o casamento de uns amigos anos antes. Decidi experimentar a sério e adorei!

 

Nestes tempos globais, em que as imagens circulam a uma velocidade vertiginosa e todos temos acesso a tudo, a qualquer hora, onde vai buscar inspiração?

Precisamente à globalidade que nos rodeia. Inspira-me a forma como colegas fotógrafos de diferentes culturas captam as suas tradições de uma forma bonita e duradoura.

 

Como construiu a sua assinatura, como a define?

Gosto de descrever a minha forma de trabalho como “emotional storytelling”. Penso que o casamento são as emoções, é definido por elas e, em última análise, são as emoções que dão sentido ao casamento. Como tal, o meu objectivo é contar a história do dia com base na captura dessas emoções e reacções.

 

Lourenço Wedding Photography - fotografia de casamento

 

Lourenço Wedding Photography - fotografia de casamento

 

Lourenço Wedding Photography - fotografia de casamento

 

Quando precisa de fazer reset, para onde olha, o que faz?

No dia-a-dia tento passar sempre um bocadinho de tempo com a família. Tenho uma filha de 1 ano de idade e quero passar o máximo de tempo possível com ela. Afasto-me de tudo o que tenha um ecrã e aprecio aqueles momentos únicos a três.

Também é importante para mim conseguir fazer uma vez por ano uma viagem que nunca tenha feito, com o objectivo de conhecer locais e culturas. Dá-me um prazer imenso a fotografia de viagem.

 

De Lisboa para o mundo, ou Portugal de lés-a-lés: fotografar casamentos estrangeiros é diferente de fotografar casamentos nacionais?

Gosto do tradicional casamento português e adoro casamentos de casais estrangeiros que se casam em Portugal. Gosto de variar, fotografar em locais novos e de ver cerimónias diferentes.

 

Qual é o seu processo de trabalho, como acontece a ligação aos seus clientes?

A chave de uma reportagem íntima é um bom relacionamento com os casais que fotografo. Sou o primeiro a dizer-lhes que devem escolher o profissional com quem se dão melhor, porque isso se vai notar muito no resultado final. Também ofereço sempre uma sessão fotográfica de solteiros porque é a forma de passar tempo de qualidade com eles, é assim que me recebem no dia de casamento como um amigo.

 

Lourenço Wedding Photography - fotografia de casamento

 

Lourenço Wedding Photography - fotografia de casamento

 

Lourenço Wedding Photography - fotografia de casamento

 

Casamentos grandes ou pequeninos, nacionais ou estrangeiros, cerimónias emotivas, festas de arromba – qual é o tipo de festa que mais gosta de fotografar?

De tudo um pouco, o importante é a química e cumplicidade do casal e dos amigos mais próximos. Já fotografei casamentos nacionais com muitos convidados e que adorei, assim como casamentos estrangeiros pequeninos que ficaram fantásticos. No entanto prefiro um pouco mais os casamentos pequenos e íntimos, em locais bonitos.

 

Qual é a melhor parte de ser um fotógrafo de casamento? E o mais desafiante e difícil?

A melhor parte é sem dúvida fazer o que gosto – estar de máquina na mão, a “caçar” emoções. É quase um desporto e muitas vezes ao longo do dia penso que adoro o que faço. A parte mais desafiante é lidar com os diferentes tipos de clientes e gerir o negócio, é a parte escondida de ter negócio próprio que pode ser tão frustrante.

 

Escolha uma imagem favorita do teu portfolio e conte-nos porquê…

 

 

 

É difícil! Cada vez mais olho para as fotografias como uma sequência de imagens e tenho imensa dificuldade em escolher uma que ilustre tudo aquilo a que dou valor. Algumas das fotografias com mais carga emocional não são as mais bonitas, e algumas das mais bonitas são menos emotivas..

Vou quebrar as regras (porque também é isso que diferencia o meu trabalho) e enviar duas fotografias. A primeira, que gosto pela simplicidade, é a de uma noiva a olhar para o noivo enquanto o véu esvoaça com o vento. É um casal que adorei fotografar, com uma química incrível e que fez com que um dia cansativo se tornasse num dia maravilhoso e inspirador.

A segunda, é a de um casal a beijar-se depois do corte do bolo, enquanto o filho deles come bolo aproveitando a distração dos pais. Por trás deles, dois amigos completamente distraídos do grande momento que se está a passar, e, ao fundo, o pai do noivo e o pai da noiva. É uma fotografia com imensa simbologia e que concentra tudo o que tento captar no dia do casamento, se bem que precisa de uma descrição para ser entendido.

A primeira imagem tem impacto, a segunda tem simbolismo. Qual escolher?

 

 

Os contactos detalhados Lourenço Wedding Photography estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de belas imagens, e contactem o João Lourenço directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!