Created with Sketch.
Susana Pinto

Casamento rústico em Penafiel: Ana + Joep

Para hoje, escolhemos um casamento rústico em Penafiel, na Quinta da Eira.

Foi um dia mágico e muito animado (inclui um jogo de futebol e uma entrada da noiva a cantar), que a Ana, portuguesa e o Joep, holandês, festejaram com a presença da pequena Sophie e de um animado grupo de familiares e amigos, de difrentes origens e nacionalidades.

A ajudá-los a concretizar o dia que imaginaram, estiveram quatro amigos especiais e uma selecção cuidada de fornecedores do Simplesmente Branco: as fotografias são dos Feel Creations, o estacionário e detalhes gráficos foram feitos pela dupla In Love Unique Weddings e a organização do casamento ficou a cargo da equipa de wedding planners, Something Borrowed.

 

Casamento rústico em Penafiel, na Quinta da Eira.

 

 

 

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Exactamente como o concretizámos, um casamento em Portugal, um casamento português e holandês, com os nossos amigos, família e, acima de tudo, com a nossa pequenina Sofie presente!

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Foi um caminho tranquilo e sem medos, só na semana antes do casamento é que a ansiedade tomou um pouco conta de nós!

 

 

 

 

 

 

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Quando tivemos uma reunião em casa, com os nossos mestres de cerimónia!

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

O resultado foi muito, muito melhor do que estávamos a espera, tivemos um dia fantástico e foi, sem dúvida, o melhor dia das nossas vidas! Tivemos a ajuda dos Mestres de Cerimónia que foram extraordinários (Alice, Leonie, Jens e Robert). Eu e o Joep decidimos escolher dois amigos cada um, para nos ajudarem a preparar o nosso dia. Logisticamente, com cerca de 50 convidados holandeses a chegar, foi imprescindível a ajuda deles! Depois a Quinta da Eira, não poderia estar mais satisfeita com toda a ajuda e empenho para que o casamento corresse às mil maravilhas! E também tivemos a ajuda das wedding planners da Something Borrowed.

 

 

 

 

 

 

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Como se diz em holandês, que o dia fosse “gezellig” para toda a gente, como iria ser para nós: que toda a gente gostasse e aproveitasse este dia tanto quanto nós, e que fosse memorável! Não estávamos nada preocupados com horários e timeline.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi dizer “sim”, e o mais difícil foi o dia seguinte, pensar que tudo aconteceu tão depressa e que já tinha terminado!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

O primeiro momento, quando a Ana, acompanhada pelo o pai e damas de honor, entrou a cantar a música “Amor para a vida toda”, da Carolina Deslandes, acho que quase toda gente chorou!

 

Um pormenor especial?

A primeira música ter sido tocada ao vivo pela Estudantina Feminina de Coimbra, grupo de que a Ana fez parte

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Nada, foi muito melhor do que alguma vez imaginámos, agora é só recordar e para isso temos as fantásticas fotografias da FeelCreations!

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Aproveitem ao máximo e deixem que as coisas aconteçam naturalmente, os momentos inesperados são, na maior parte das vezes, aqueles que ficam na memória de cada um!

 

 

 

 

 

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: In Love Unique Weddings;

organização: Something Borrowed;

espaço, decoração e bouquet da noiva: Quinta da Eira;

vestido de noiva: Pronovias;

fotografia: Feel Creations;

banda: The Trip Band.

 

 

Marta Ramos

Elopement em Seteais, com assinatura In Love | unique weddings

A Inês Marujo e a Rita Pedro, da In Love | unique weddings, convidam-vos a um magnífico passeio de fim de tarde até Sintra, mais precisamente ao Tivoli Palácio de Seteais, para desfrutarem das maravilhas do cenário composto com extremo cuidado e elegância. Vamos seguindo através das imagens de uma belíssima sessão fotográfica desenhada para inspirar noivos que tenham em mente um destination wedding. O objectivo é conquistá-los com a beleza de Portugal e dos seus recantos históricos – e garanto-vos que é amor à primeira vista!

As fotografias são assinadas pela fotógrafa canadiana Nazanin, da Perla Photography, sediada em Montreal, e a equipa inclui ainda vários outros profissionais de excepção – muitos deles pertencentes à nossa lista de fornecedores seleccionados.

«Este maravilhoso palácio do século XVIII, inserido na paisagem verdejante da serra de Sintra e convertido em hotel de luxo, tem tudo para tornar qualquer casamento num glamouroso conto de fadas», conta-nos a Inês Marujo. «Para dar brilho a esta sessão, os detalhes gráficos e decoração foram pensados ao pormenor pela In Love | unique weddings e as flores pelo Atelier Decorelle. Foi escolhida uma paleta entre os cinzas e os azuis para todas as peças de estacionário e decoração, iluminados por detalhes dourados, tão condizentes com este imponente espaço. Optámos por utilizar elementos desenhados à mão, dando ênfase ao arco triunfal do palácio, combinado com caligrafia e lacre nos detalhes especiais. O conceito que pretendemos representar foi o de um elopement mágico e íntimo, digno da realeza.
O bolo de três andares, com detalhes em ouro, foi toque final para esta sessão elegante. Um trabalho fantástico da cake designer Susana Pinto, da  Sweet Stylist. Não quisemos deixar de registar a dinâmica do casal em vídeo e o registo foi primorosamente conseguido pelo Hugo Sousa Films
Passeamos?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Créditos:

 

conceito, styling & estacionário: In Love | unique weddings

flores: Atelier Decorelle

bolo: Susana Pinto Sweet Stylist

vestido e fato: Penhalta

maquilhagem: Katya Kornilova Makeup

vídeo: Hugo Sousa Films

espaço: Tivoli Palácio de Seteais

Susana Pinto

À conversa com: InLove Unique Weddings, convites de casamento

Hoje conversamos com a Rita Pedro e a Inês Marujo, que assinam como InLove | Unique Weddings e fazem convites de casamento e todo o estacionário e detalhes que completam este interessante objecto.

A Rita e a Inês estudaram design na Faculdade de Belas-Artes (por onde eu também passei), uma casa artística onde se aprende a pensar e a olhar para as coisas de uma forma mais ampla, crítica e complexa. É uma grande escola de onde se traz uma óptima bagagem para a vida profissional, e isso é claríssimo na qualidade do trabalho que fazem.

Se gostam de detalhes, de pormenores surpreendentes e ricos e de trabalho artesanal, no verdadeiro sentido da palavra (pensem em caligrafia, em aguarela), então a InLove | Unique Weddings é, claramente, o vosso fornecedor de convites de casamento!

Acredito que um bonito convite de casamento é para guardar para sempre, é o início de uma história de amor que culmina no grande dia! Como designer, gosto de pensar que todas as peças que desenho cumprem uma determinada função (nem que seja só a de nos deslumbrar!) e o estacionário de casamento tem objectivos: orientar, informar ou divertir, e intergrar-se e reflectir o ambiente onde é colocado.

Contem-nos um pouco da vossa viagem profissional, do design gráfico para o universo dos casamentos. Foi um caminho natural ou uma situação específica que o apontou?

Ambas temos formação em design industrial e foi nessa área que trabalhámos, depois de terminarmos a faculdade. Uma em design de exposições e interiores, e a outra em design cerâmico. Passados uns anos juntámo-nos para trabalhar por conta própria em design corporativo. Na altura em que decidimos fundar a marca InLove, as empresas tinham desinvestido na comunicação e o mercado corporativo (sobretudo para as pequenas agências) estava muito complicado. Começámos a explorar outro tipo de trabalhos e quando a Rita se casou decidimos tornar a coisa mais séria e, depois de muita pesquisa, percebemos que havia espaço para desenvolver um trabalho de qualidade, diferenciado e criativo.

 

Há quanto tempo trabalham nesta área? E porquê este universo dos casamentos?

Já trabalhamos na área dos casamentos e eventos há 6 anos, é uma área muito satisfatória. Eu, Inês, enquanto noiva, tive um casamento muito atípico, porque sempre achei esta temática desinteressante e (na falta de melhor expressão), foleira. Quando me propus a ajudar a Rita no seu “projecto”, percebi que se calhar estava a ver as coisas pela perspectiva errada e como designer tinha espaço para contribuir para melhorar a oferta. Trabalhámos muito para conhecermos este universo, que é bem grande e diversificado e, felizmente, cada vez com melhores profissionais.

 

Como definem o vosso trabalho e como construíram essa assinatura?

A nossa distinção principal é a personalização. Nunca desenhamos dois convites iguais nem pensamos dois conceitos similares. Cada casal tem uma história, tem gostos e preferências diferentes, por isso propomo-nos sempre a fazer algo completamente ao seu gosto. Formámo-nos na Faculdade de Belas-Artes, uma escola que nos ensina a olhar de forma crítica, analítica e apaixonada para cada projecto, a criar um conceito e a desenhar uma história para cada desafio que nos colocam.

 

Esse estilo faz parte do ADN da marca ou é um conceito que escolheram para explorar e trabalhar este ano? Porquê?

Este estilo sempre fez parte, apesar de já termos tentado explorar outras abordagens (como termos algumas colecções de estacionário para consumo mais “imediato”), mas a verdade é que os clientes que nos procuram querem essa proximidade, esse poder escolher exactamente o querem e como querem. O que temos vindo a perceber é que de facto imprimimos muito do nosso estilo pessoal às técnicas que decidimos explorar, como a caligrafia, as aguarelas e outros trabalhos mais manuais.

 

In Love Unique Weddings - convites de casamento

 

In Love Unique Weddings - convites de casamento

 

In Love Unique Weddings - convites de casamento

 

As tendências da estação… são um assunto de trabalho ou apenas fait divers?

Por acaso não tem sido muito. Gostamos de ir acompanhando o que se escreve e o que se fala, mas nunca deixámos que isso determinasse a nossa linha de trabalho.

 

Ter o controle das decisões é importante? Têm uma perspectiva perfeccionista e específica sobre o resultado e a forma como querem que o vosso trabalho seja consumido ou é o prazer de discutir ideias, de criar, que vos interessa mais na relação com cada projecto, cada cliente?

No início da InLove perdíamos um pouco o “rasto” aos trabalhos que fazíamos e na verdade poucas vezes chegávamos a ver o resultado in loco. A nossa experiência no desenho e decoração de interiores impeliu-nos a alargar os nossos serviços a esta área e, como consequência, neste momento a maioria dos casamentos que fazemos envolve toda a parte de styling e decoração, o que faz com que o “controlo” sobre o resultado seja maior, o que para nós é muito mais gratificante. De qualquer forma, temos alguns trabalhos em que apenas desenhamos 2 ou 3 peças de estacionário, mas que nos dão um tremendo prazer pelo desafio criativo e técnico que apresentam.

 

Existem fórmulas vencedoras que aplicam, ou cada convite, produto ou serviço é pensado totalmente de raiz?

Não acredito em fórmulas, acredito na experiência e em aprendermos com ela. Há muitos erros que já não cometemos, muitos conselhos que podemos dar e muitas sugestões que fazemos, tudo isto de forma a que cada trabalho corra da melhor maneira, mas sim, privilegiamos fazer tudo de raíz e cada evento traz sempre algo novo.

 

Onde buscam inspiração para cada nova temporada de trabalho?

Obviamente acompanhamos sempre o trabalho dos nossos colegas e parceiros e das publicações de referência, mas também tentamos olhar para outras áreas como a cerâmica, a arquitectura ou a moda.

 

In Love Unique Weddings - convites de casamento

 

In Love Unique Weddings - convites de casamento

 

In Love Unique Weddings - convites de casamento

 

Quando precisam de fazer reset, para onde olham, o que fazem?

No fim de 2016 fizemos o nosso maior reset quando percebemos que estávamos a planear a época seguinte exactamente da mesma forma que a anterior. Concluímos que havia coisas que já não nos satisfaziam e que os nossos clientes se estavam a tornar cada vez mais exigentes e informados. Então decidimos mudar, evoluir. Procurámos soluções diferentes, sobretudo no que diz respeito aos acabamentos em papel, começámos a fazer mais trabalho manual, voltámos a desenhar à mão, foi um back to basics que nos trouxe coisas boas e um salto muito grande no nosso portefólio. Começámos também a desenhar e produzir muitas peças de decoração que agora temos ao dispor dos nossos clientes e parceiros. Na verdade o sítio para onde olhamos é para nós mesmas e não para os outros, em vez de tentarmos correr atrás do que achamos que os outros vão gostar, procuramos perceber aquilo em que somos boas e que nos levará a oferecer o melhor serviço/produto possível.

 

Qual é a importância do convite de casamento (e respectivo conjunto de estacionário), na grande lista de itens e tarefas?

Não vamos ser hipócritas e dizer que é o mais importante, acho que aquilo que os convidados realmente retêm na memória depois de um casamento, é se a comida era mesmo boa e a música animada, mas obviamente não podemos dar a resposta de forma tão simplista. Acredito que um bonito convite de casamento é para guardar para sempre, é o início de uma história de amor que culmina no grande dia! Como designer, gosto de pensar que todas as peças que desenho cumprem uma determinada função (nem que seja só a de nos deslumbrar!) e o estacionário de casamento tem objectivos: orientar, informar ou divertir, e intergrar-se e reflectir o ambiente onde é colocado. Podemos falar aqui de criar uma identidade visual para todo o casamento e queremos acreditar que o estacionário desempenha um papel de relevância e por isso deve ser pensado com cuidado e carinho.

 

Qual é o vosso processo de trabalho, como acontece a ligação ao cliente?

Actualmente temos muitos clientes estrangeiros que tratam de todo o processo (escolha de fornecedores, adjudicações e compra efectiva) à distância, e nesses casos falamos essencialamente via email ou skype. De qualquer forma privilegiamos sempre o contacto pessoal, gostamos que venham conhecer o nosso espaço, falar connosco, tocar nas peças que temos para mostrar, sentir as texturas dos papéis, ver todos os formatos. Os clientes noivos não são geralmente clientes de repetição, o que nos dá apenas uma hipótese de fazer as coisas bem, por isso gostamos da proximidade, sentimos que nos ajuda a criar melhor. Ouvimos as suas histórias, tentamos perceber o que esperam do grande dia, apresentamos sugestões e um orçamento. Trabalhamos sempre com um orçamento aprovado pelo cliente e depois começamos a desenhar, até estarem satisfeitos.

 

Qual é a melhor parte de criar convites de casamento, ser o primeiro capítulo visível da história que leva ao grande dia? E o mais desafiante e difícil?

O universo dos casamentos permite-nos explorar toda a nossa criatividade, desenhar coisas sempre diferentes, testar novos papéis e novos acabamentos, e para nós, enquanto designers, isso é maravilhoso. A outra grande vantagem é trabalharmos com o “cliente final” e quem já trabalhou em design corporativo percebe o que quero dizer. Aqui temos contacto directo com quem vai “consumir” o que desenhamos e o seu feedback é imediato, ainda mais porque estamos a acompanhar um período extremamente emotivo e significante para os nossos clientes. O mais difícil às vezes é perceber o que os noivos pretendem, as inspirações são tantas e tão variadas, que é fácil perderem-se e só quando vêm algo já concretizado é que percebem que afinal não era nada daquilo que queriam.

 

In Love Unique Weddings - convites de casamento

 

In Love Unique Weddings - convites de casamento

 

In Love Unique Weddings - convites de casamento

 

Escolham o convite de que mais gostam no vosso portefólio, e conte-nos porquê:

Curiosamente não é nenhum convite de casamento, foi o convite que fizémos para um evento no Tivoli Palácio de Seteais. Tivemos total liberdade criativa e de produção. Obviamente, pensámos em algo que sugerisse uma identificação imediata com aquele espaço e com o acontecimento em questão, mas o cliente permitiu-nos desenhar o que queríamos e escolher as técnicas que considerámos mais adequadas, e foi um sucesso! Um papel de algodão maravilhoso em impresso em letterpress e estampagem dourada, dentro de um envelope rosa pálido, com uma fotografia do palácio no interior da pala e selado com lacre dourado. Elegante e simples, mas inesquecível, como nós gostamos.

 

Convite - In Love Unique Weddings - convites de casamento

 

 

Os contactos detalhados de InLove | Unique Weddings, estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, feita de imagens bonitas, e contactem a Inês Marujo e a Rita Pedro directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

Susana Pinto

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva: Angela + Laurentiu

Fechamos a semana com dias de verão: é o casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, da Angela + Laurentiu.

Esta foi uma festaça, acreditem! Um dos meus luxos de editora é poder navegar pelas galerias completas e viver a festa como se fosse uma das convidadas. E este foi um casamento muito especial, cheio de gente feliz, descontraída, muito bem vestida e cool, miudagem feliz e à solta, e um sentido de estilo absoluto!

A pista de dança foi o ponto alto da festa, e a animação esteve a cargoa da Rituais. O estacionário e detalhes bonitos, é da In Love Unique Weddings, e o registo fotográfico, electrizante e peculiar como sempre, é da conta da dupla Menino conhece Menina, em grande forma.

 

Bom fim-de-semana!

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

When the answer was “yes!”, how did you imagine your day?

Well, assuming that there was a yes, is a bit of a jump! It would mean a question was asked…

When Laurentiu popped the ring, there were some very sweet and incoherent sentences in the mumbling that was going on, but definitely not a question, at least that we can remember. Not that is was needed, thought. It was clear we were the one for each other.

We started planning our day on that same evening, in Lanzarote, walking back to our rented flat. It was clear what we wanted: spend a good time with all our best friends and family without the hush rush that usually comes with wedding days.

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Did you feel prepared or was it a nerve-racking path?

Can’t say we were prepared, as being married had never been on our life plans, so we had no preconceived ideas to go with.

However, by end of day one, we already had the “masterplan” in our heads. We knew what we wanted, and, most importantly, what we did not want. From that moment on, everything went as planned, even though we felt running a little out of time, when two weeks left for the big day we were still looking for some parts of the outfits we had in mind for the day. No stress.

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

At what point in the wedding planning did you feel, “this is for real”?

Never. Even today, 6 months later, it still feels like: Is this for real? Are we really husband and wife? Oh yes!

 

Is the result true to the initial ideas or is it very different? Did you have any help?

100% as we wanted it to be: simple, fun and relaxed. No great conventions or protocol, just us with family and friends. Enjoying a fantastic weekend in the Algarve countryside, not too far from the coast, so we could go for a swim in the ocean.

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

What was fundamental to you? And unimportant?

Fundamental: we wanted to keep it simple and spend time with our family and friends. We wanted everyone to feel comfortable and at home. If they wanted to be on flip flops, be it; if they wanted to be on tuxedo and fancy gown, be it as well. We wanted everyone to be as they felt like, to fully enjoy their time off with us.

Unimportant: the formality and etiquette.

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

What was easier? And what was more difficult?

Easy: choosing the location. The day after the ring showed up, we had already decided to marry in Portugal in Pedralva. We found it by pure chance while browsing the internet. It was perfect. Unpretentious, with its rustic stone white walls and beautiful little cottages. We loved it. It was just us. A village where we were the locals, and where we could have everyone together, while still enjoying some privacy, with no TV, no internet and poor mobile reception. A place to “be in” and relax. Luckily, the weekend of September 23rd was the last one available, perfect. Booked!!!

Living abroad meant that we couldn’t do a lot ourselves, so we had wedding planners with whom was not always easy to get our message across: a simple wedding. But by far, the biggest challenge was to go through all the bureaucracy. For us to get all necessary papers to have a civil wedding was a huge task. After long queues on embassies and notaries, translations and flights to Portugal, we succeed. We got our moment of joy and celebration when we finally got the right papers in our hands.

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

What was the sentimental peak of your day?

We had our song playing out a few times over the day: “I Follow River” by Triggerfinger, but it was only when the party was in full swing and the song came on again, that it hit me. For Laurentiu, when he saw me coming out of our little cottage holding hands with my father, at the sound of our song.

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

And the peak of fun?

We had attempted to rehearse a few months before the wedding an electric swing dance, very unsuccessfully. So the time we wanted to show some skills, we totally forgot the steps and quickly had to improvise. I must say, we did it quite well and almost could be mistaken for professional dancers!

Or, if you prefer, the moment at the end of the ceremony, when we realized I had forgotten the bouquet in our cottage.

 

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

A special detail …

Everyone wrote us a letter that was posted to us at the end of the party, and, as we speak, we still receive postcards from our family and friends.

 

Now that it has happened, would you change anything?

On our way back home, impossible to avoid the thoughts: would have been better if we had done this, or that, but you know what? It was beautifully chaotic and genuinely full of laughs. Looking back, it could have not been better.

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Some words of advice for upcoming brides …

Plan the day for yourselves and not for what you believe others would want or expect. This is not easy, and we almost fell on that trap as well. At the end, we had to stop and think: it’s our day and we should enjoy it the most.

So be yourselves, all way through. Own your party, and have it as you dream it!

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Casamento descontraído na Aldeia da Pedralva, com fotografia de Menino conhece Menina

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: In Love Unique Weddings;

espaço e catering: Aldeia da Pedralva;

cabelo e makeup: Jordana & Dorota;

boquet de noiva e decoração: Teresa Beja, Aldeia da Pedralva;

fotografia: Menino conhece Menina;

luzes e DJ: Rituais Eventos.

 

Marta Ramos

Sabem tudo o que a In Love pode fazer por vocês?

Provavelmente, a primeira coisa que vos ocorre quando pensam na In Love | unique weddings são os convites e o estacionário que a Inês Marujo e a Rita Pedro desenham de raiz, com muita pinta e delicadeza, à medida de cada cliente. Começam por conversar convosco e perceber exactamente aquilo de que precisam, para depois transformarem as vossas ideias em peças únicas e exclusivas, com todo o tipo de acabamentos, para contarem a vossa história exactamente como vocês imaginaram.

Hoje gostávamos de chamar-vos a atenção para toda uma série de outras coisas que a Inês e a Rita podem fazer pelo vosso grande dia, usando o mesmo método cuidado. Poderão contar com a consultoria da dupla em decoração e design floral, por exemplo. Sabendo que a decoração do vosso casamento é o elemento unificador do vosso espaço, na In Love criam um conceito à vossa medida e ajudam-vos a escolher os pormenores certos e as flores que vão combinar com os vossos sonhos. Para resultados perfeitos, recorrem à sua própria colecção de peças e trabalham com outros fornecedores para vos poderem oferecer um leque variado de opções. Também desenvolvem peças únicas, desenham sinalética e constroem cenários e acessórios para fotografias totalmente personalizados.

No caso de quererem assumir a decoração por conta própria, poderão obter um apoio importante por parte da In Love, recorrendo ao seu bonito stock de peças de decoração originais, disponíveis para aluguer, que permitem criar ambientes distintos: estruturas para centros de mesa, iluminação, cavaletes e outros suportes, e diferentes soluções de sinalética adaptáveis a qualquer espaço para que os locais de cada momento do casamento sejam fáceis de identificar. E para um toque extra de bom humor e criatividade, podem sempre encomendar-lhes acessórios de photobooth – desde as peças mais comuns (molduras, chapéus, óculos) a elementos personalizados e tridimensionais e até com iluminação. Expliquem-lhes que ambiente desejam criar e elas dão-lhe vida.

Ideias não faltam – peçam-lhes o catálogo de peças para aluguer, contem-lhes as vossas ideias e vejam como, de repente, tudo parece encaixar-se no seu devido lugar.

 

 

 

 

 

 

 

Até mesmo os prestadores de serviços na área dos eventos poderão usufruir do bom gosto e do talento destas duas criativas – seja recorrendo às peças que alugam para usarem em casamentos, sessões fotográficas, etc, seja entregando a comunicação da sua marca às suas hábeis mãos. A Inês e a Rita comprometem-se a ajudá-los a crescer, tornando os seus negócios mais apelativos e competitivos – por exemplo, através da criação de packaging para fotógrafos, kits de apresentação, material de estacionário interno, entre muitas outras possibilidades.

São uma fonte inesgotável de coisas bonitas, estas duas meninas! Não deixem de folhear todos os artigos que já publicámos acerca do trabalho da In Love | unique weddings. E falem com elas. A Inês e a Rita estão à espera de ouvir a vossa história para depois a contarem à sua maneira unique.

Susana Pinto

Casamento no Funchal: Cristina + Tiago, o amor é partilhado

Fechamos mais um ano de publicações de casamentos bonitos, próximos, emotivos, pessoais e que são o espelho de cada casal que celebra desta forma o mais bonito dos dias. Publicamos quase meia centena de histórias de amor e de partilha, cheias de abraços apertados, algumas lágrimas, sorrisos que não terminam e muitas emoções.
As nossas sextas-feiras são sempre mais ricas, mais especiais, somos também convidados dos nossos queridos noivos e esta partilha colectiva de informação, conhecimento e memórias é um acto de generosidade. Agradecemos de coração cheio, com a responsabilidade e a honra que merece.

O último casamento que publicamos em 2017,  chega-nos do clima tropical do Funchal, é a festa da Cristina + Tiago, pensada com tanto carinho e entusiasmo, a duas cabeças, para que o dia fosse, dizem eles, “a nossa cara, simples, descontraído, natural e genuinamente carregado de bons sentimentos.”

De Coimbra para o Funchal, com dedinho da Molde Design Weddings, da In Love Unique Weddings e toucado da Cata Vassalo, fechamos 2017 com a mesma convicção: “é mesmo isto!”.

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Imaginámos um dia que fosse a nossa cara, simples, descontraído, natural e genuinamente carregado de bons sentimentos. Queríamos que tudo fluísse naturalmente, sem grandes imposições, nem preocupações em cumprir protocolos. Acima de tudo, imaginámos um dia com muita energia positiva com as pessoas que nos são mais queridas, presentes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Foi, acima de tudo, um caminho muito divertido. Adorámos cada fase do planeamento do casamento e vivemos esses meses (foi quase um ano!) em clima de grande entusiasmo. Idealizámos todos os pormenores e preparámos tudo com muito carinho e dedicação. Claro que também foi um caminho com algum stress. Principalmente porque tivemos de organizar tudo à distância (vivemos em Coimbra e o casamento foi no Funchal, terra natal da noiva).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Acho que sentimos isso muitas vezes. Sempre que sentíamos o entusiasmo das pessoas à nossa volta com o nosso casamento. Sempre que tínhamos alguma ideia e a concretizávamos… Mas o autêntico “é mesmo isto”, fomos sentindo verdadeiramente ao longo do próprio dia do casamento, em que vimos tudo o que idealizámos a acontecer e a conseguir até superar as nossas melhores expectativas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Sabíamos bem qual o estilo de casamento que queríamos e tinha que combinar connosco. Queríamos algo descontraído, emotivo, intimista e intenso.

O maior problema foi mesmo surgirem muitas ideias e ter um noivo que embarcava em todas as loucuras, sem nunca colocar um travão. Todos os pormenores foram pensados por nós e deu-nos um gozo tremendo executar algumas coisas, como os rótulos das garrafas de cerveja que tínhamos para o primeiro brinde, os missais, os livrinhos para as crianças e parte do estacionário. Também contámos com a ajuda das meninas da Molde Design Weddings que conseguiram captar muito bem o nosso estilo e desenvolveram peças lindas. O nosso cunhado Maligno também se revelou uma preciosa ajuda ao executar diversas peças em madeira que idealizámos. O resultado final não nos podia ter deixados mais felizes, e os elogios e sorrisos genuínos das pessoas não nos podiam ter deixado mais orgulhosos.

 

 

 

 

 

 

 

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Fundamental era conseguirmos estar com as pessoas e vivermos tudo com grande intensidade. Demos importância a tudo o que fazia sentido para nós.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi desfrutar em pleno aquele maravilhoso dia. Para o noivo o mais difícil foi encontrar o “pantone” certo da gravata. Para a noiva foi encontrar os brincos. Para ambos, foi pagar a conta no final!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Tivemos vários picos sentimentais durante o dia. Mas se só pudessemos escolher um, escolheríamos o momento na cerimónia onde lemos um texto escrito por nós e que relatava metaforicamente a nossa história e onde demos graças pelo sentimento que estávamos a viver. Tivemos a sorte de ser o Padre Tolentino Mendonça a fazer a nossa celebração e foi um momento verdadeiramente emotivo, do início até ao fim. Desde as palavras sabiamente escolhidas, a toda a serenidade e sensibilidade que só ele nos consegue transmitir. É algo que vamos guardar para sempre como um momento mágico e único!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E o pico de diversão?

A festa foi para nós tão divertida, que toda ela foi um longo pico, dando a sensação que estávamos nas nuvens. Mas a escolher um momento, escolhemos a loucura da nossa entrada na sala de jantar ao som da música “I was born to love you” dos Queen. Nada foi planeado, mas chegámos lá e foi como se disséssemos um ao outro “Isto é tudo nosso!”. Foi engraçado porque, tendo sido o casamento num hotel, vários turistas assistiram à nossa entrada, e deixaram-se também contagiar pela música e animação, fotografando e filmando o momento.

Mas tivemos tantos outros momentos. O discurso do noivo, num registo cómico-sentimental, deixou toda a gente a rir… A nossa primeira dança, que depois de tantos ensaios à porta fechada, saiu um pouco ao lado. Mas divertimo-nos imenso!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um pormenor especial…

A escolha da #bastaquesim logo que começámos a planear o casamento. Trata-se de um regionalismo madeirense, que exprime admiração por algo que aconteceu ou serve para quebrar o silêncio entre conversas. Foi engraçado porque, mesmo antes do casamento, os convidados interiorizaram o conceito e já se referiam ao nosso casamento como o “bastaquesim”.

 

 

 

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Não mudávamos nada. Talvez me tivesse preocupado um pouco menos com as flores e com a decoração e tivesse entrado na igreja um pouco mais devagar!

 

 

 

 

 

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Aproveitem e vivam com intensidade a fase de preparação do casamento. Apesar de dar muito trabalho e de a certa altura já não sabermos para onde nos virar, é tão bom sonhar e idealizar cada pormenor. É uma fase que deixa muitas saudades.

Não se deixem influenciar pelas opiniões das outras pessoas. O casamento é vosso e deve espelhar as vossas opções. E acima de tudo, não contem tudo, deixem algumas surpresas para o próprio dia. Ninguém viu o meu vestido e outros pormenores antes do dia do casamento. Foi difícil aguentar, mas valeu a pena!

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Molde Design Weddings, In love Unique Moments e os noivos;

espaço, catering e bolo dos noivos: Pestana Casino Park Hotel;

fato do noivo e acessórios: fato e botões de punho Dielmar; camisa Vicri; sapatos Aldo; gravata HolmesTies

vestido de noiva, sapatos e acessórios: vestido de noiva Inês Pimentel; sapatos Atelier Fátima Alves; brincos Juliana Bezerra Jewellery; toucado Cata Vassalo;

maquilhagem e cabelo: Ricardo Cecílio (Urban Hair Studio);

bouquet de noiva: A Tulipa;

decoração: idealizada e feita por nós, com a preciosa ajuda do nosso cunhado Maligno que executou grande parte dos materiais em madeira;

ofertas aos convidados: feitas por nós: um frasquinho de mel, da produção dos pais do Tiago;

fotografia e video: No Words Productions;

luzes, som e Dj: Xevents.

 

Marta Ramos

Sobre pessoas e emoções, por In Love

Na In Love | unique weddings desenha-se estacionário delicado para o casamento. A Inês Marujo e a Rita Pedro começam por conversar convosco e perceber exactamente aquilo de que precisam. Podem ser convites, menus e etc., mas pode também ser uma peça especial para o espaço do casamento, um presente espectacular para os convidados, adereços para photobooth ou um topo de bolo original. Ou outra ideia que vos surja – a In Love transforma as vossas ideias em peças únicas, exclusivas, desenhadas de raiz para vocês.
Para a Inês e a Rita, o seu trabalho não gira apenas em torno de casamentos e festas especiais. É um trabalho apaixonado e que se dedica às pessoas e às emoções. A dupla escolheu trabalhar nesta área porque se assume apaixonada por contar histórias de amor e por contribuir para a felicidade dos outros peça a peça, detalhe a detalhe, criação a criação. Orgulham-se de tratar cada cliente de forma única e especial. Todas as peças que criam são únicas – tal como o são todas as pessoas que as procuram. Vão buscar inspiração aos profissionais que mais admiram, na área dos casamentos, dos eventos e do design em geral, mas também à natureza e às suas vivências pessoais.
Olhando para o futuro, gostam de ver-se com serviços mais alargados, mais especializados e com uma equipa maior.

Olhando para hoje, gostam de ver-se exactamente como estão: apaixonadas pelo que fazem e empenhadas em criar peças e ambientes que contribuam para a concretização do dia de sonho dos casais que lhes pedem ajuda.

Para esta época de casamentos, a In Love | unique weddings lançou um vídeo de apresentação intimista e cativante, assinado por Hugo Sousa Films, e narrado na primeira pessoa. Em inglês, porque o seu público tem vindo cada vez mais a localizar-se além-fronteiras. Mas a mensagem que nos transmite é universal.

 

 

Não deixem de folhear todos os artigos que já publicámos acerca do trabalho da In Love | unique weddings. E falem com elas. A Inês e a Rita estão à espera de ouvir a vossa história para depois a contarem à sua maneira unique.