Created with Sketch.
Susana Pinto

Casamento no Funchal: Cristina + Tiago, o amor é partilhado

Fechamos mais um ano de publicações de casamentos bonitos, próximos, emotivos, pessoais e que são o espelho de cada casal que celebra desta forma o mais bonito dos dias. Publicamos quase meia centena de histórias de amor e de partilha, cheias de abraços apertados, algumas lágrimas, sorrisos que não terminam e muitas emoções.
As nossas sextas-feiras são sempre mais ricas, mais especiais, somos também convidados dos nossos queridos noivos e esta partilha colectiva de informação, conhecimento e memórias é um acto de generosidade. Agradecemos de coração cheio, com a responsabilidade e a honra que merece.

O último casamento que publicamos em 2017,  chega-nos do clima tropical do Funchal, é a festa da Cristina + Tiago, pensada com tanto carinho e entusiasmo, a duas cabeças, para que o dia fosse, dizem eles, “a nossa cara, simples, descontraído, natural e genuinamente carregado de bons sentimentos.”

De Coimbra para o Funchal, com dedinho da Molde Design Weddings, da In Love Unique Weddings e toucado da Cata Vassalo, fechamos 2017 com a mesma convicção: “é mesmo isto!”.

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Imaginámos um dia que fosse a nossa cara, simples, descontraído, natural e genuinamente carregado de bons sentimentos. Queríamos que tudo fluísse naturalmente, sem grandes imposições, nem preocupações em cumprir protocolos. Acima de tudo, imaginámos um dia com muita energia positiva com as pessoas que nos são mais queridas, presentes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Foi, acima de tudo, um caminho muito divertido. Adorámos cada fase do planeamento do casamento e vivemos esses meses (foi quase um ano!) em clima de grande entusiasmo. Idealizámos todos os pormenores e preparámos tudo com muito carinho e dedicação. Claro que também foi um caminho com algum stress. Principalmente porque tivemos de organizar tudo à distância (vivemos em Coimbra e o casamento foi no Funchal, terra natal da noiva).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Acho que sentimos isso muitas vezes. Sempre que sentíamos o entusiasmo das pessoas à nossa volta com o nosso casamento. Sempre que tínhamos alguma ideia e a concretizávamos… Mas o autêntico “é mesmo isto”, fomos sentindo verdadeiramente ao longo do próprio dia do casamento, em que vimos tudo o que idealizámos a acontecer e a conseguir até superar as nossas melhores expectativas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Sabíamos bem qual o estilo de casamento que queríamos e tinha que combinar connosco. Queríamos algo descontraído, emotivo, intimista e intenso.

O maior problema foi mesmo surgirem muitas ideias e ter um noivo que embarcava em todas as loucuras, sem nunca colocar um travão. Todos os pormenores foram pensados por nós e deu-nos um gozo tremendo executar algumas coisas, como os rótulos das garrafas de cerveja que tínhamos para o primeiro brinde, os missais, os livrinhos para as crianças e parte do estacionário. Também contámos com a ajuda das meninas da Molde Design Weddings que conseguiram captar muito bem o nosso estilo e desenvolveram peças lindas. O nosso cunhado Maligno também se revelou uma preciosa ajuda ao executar diversas peças em madeira que idealizámos. O resultado final não nos podia ter deixados mais felizes, e os elogios e sorrisos genuínos das pessoas não nos podiam ter deixado mais orgulhosos.

 

 

 

 

 

 

 

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Fundamental era conseguirmos estar com as pessoas e vivermos tudo com grande intensidade. Demos importância a tudo o que fazia sentido para nós.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi desfrutar em pleno aquele maravilhoso dia. Para o noivo o mais difícil foi encontrar o “pantone” certo da gravata. Para a noiva foi encontrar os brincos. Para ambos, foi pagar a conta no final!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Tivemos vários picos sentimentais durante o dia. Mas se só pudessemos escolher um, escolheríamos o momento na cerimónia onde lemos um texto escrito por nós e que relatava metaforicamente a nossa história e onde demos graças pelo sentimento que estávamos a viver. Tivemos a sorte de ser o Padre Tolentino Mendonça a fazer a nossa celebração e foi um momento verdadeiramente emotivo, do início até ao fim. Desde as palavras sabiamente escolhidas, a toda a serenidade e sensibilidade que só ele nos consegue transmitir. É algo que vamos guardar para sempre como um momento mágico e único!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E o pico de diversão?

A festa foi para nós tão divertida, que toda ela foi um longo pico, dando a sensação que estávamos nas nuvens. Mas a escolher um momento, escolhemos a loucura da nossa entrada na sala de jantar ao som da música “I was born to love you” dos Queen. Nada foi planeado, mas chegámos lá e foi como se disséssemos um ao outro “Isto é tudo nosso!”. Foi engraçado porque, tendo sido o casamento num hotel, vários turistas assistiram à nossa entrada, e deixaram-se também contagiar pela música e animação, fotografando e filmando o momento.

Mas tivemos tantos outros momentos. O discurso do noivo, num registo cómico-sentimental, deixou toda a gente a rir… A nossa primeira dança, que depois de tantos ensaios à porta fechada, saiu um pouco ao lado. Mas divertimo-nos imenso!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um pormenor especial…

A escolha da #bastaquesim logo que começámos a planear o casamento. Trata-se de um regionalismo madeirense, que exprime admiração por algo que aconteceu ou serve para quebrar o silêncio entre conversas. Foi engraçado porque, mesmo antes do casamento, os convidados interiorizaram o conceito e já se referiam ao nosso casamento como o “bastaquesim”.

 

 

 

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Não mudávamos nada. Talvez me tivesse preocupado um pouco menos com as flores e com a decoração e tivesse entrado na igreja um pouco mais devagar!

 

 

 

 

 

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Aproveitem e vivam com intensidade a fase de preparação do casamento. Apesar de dar muito trabalho e de a certa altura já não sabermos para onde nos virar, é tão bom sonhar e idealizar cada pormenor. É uma fase que deixa muitas saudades.

Não se deixem influenciar pelas opiniões das outras pessoas. O casamento é vosso e deve espelhar as vossas opções. E acima de tudo, não contem tudo, deixem algumas surpresas para o próprio dia. Ninguém viu o meu vestido e outros pormenores antes do dia do casamento. Foi difícil aguentar, mas valeu a pena!

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Molde Design Weddings, In love Unique Moments e os noivos;

espaço, catering e bolo dos noivos: Pestana Casino Park Hotel;

fato do noivo e acessórios: fato e botões de punho Dielmar; camisa Vicri; sapatos Aldo; gravata HolmesTies

vestido de noiva, sapatos e acessórios: vestido de noiva Inês Pimentel; sapatos Atelier Fátima Alves; brincos Juliana Bezerra Jewellery; toucado Cata Vassalo;

maquilhagem e cabelo: Ricardo Cecílio (Urban Hair Studio);

bouquet de noiva: A Tulipa;

decoração: idealizada e feita por nós, com a preciosa ajuda do nosso cunhado Maligno que executou grande parte dos materiais em madeira;

ofertas aos convidados: feitas por nós: um frasquinho de mel, da produção dos pais do Tiago;

fotografia e video: No Words Productions;

luzes, som e Dj: Xevents.

 

Susana Pinto

Fun, fun, fun: Joana + Bruno, um casamento em Leiria

Aproveitamos o feriado para partilhar convosco, de forma generosa, o casamento divertidíssimo da Joana + Bruno, perto de Leiria, na Quinta das Silveiras, com catering de Iguarias do Tempo.

Esta festa tem graça do princípio ao fim, e as fotografias bonitas do Pedro Sifredo, nosso fornecedor seleccionado, mostram a emoção à flor da pele.

Sem mais delongas, peguem numa caneca de chá fumegante e vamos espreitar esta magnífica festa, no querido mês de Agosto!

 

 

 

 

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?
Não somos propriamente um casal romântico, porém sempre sonhámos com o nosso dia; não porque tínhamos pressa em «ser casados no papel», mas porque desejávamos muito festejar a nossa união, junto das pessoas que nos eram mais queridas e, claro, da nossa Malu (a nossa companheira de quatro patas). Queríamos um casamento que nos espelhasse. Teria de ser algo simples, mas diferente… e decididamente ao ar livre! Imaginávamos que o nosso dia acontecesse numa tarde de verão, ao som de boa música e com um ambiente de muita alegria e diversão, rodeados pelos nossos familiares e amigos.

 

 

 

 

 

 

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?
Muito preparados! Desejávamos tanto esse dia que sentíamos imenso prazer em tudo o que projetávamos, mesmo nos aspetos que poderiam ser mais extenuantes. Todo essa preparação nos deixa muitas saudades, pois vivemos tudo de uma forma muito descontraída. Até ao dia antes do casamento, não existiram nervos, por mais estranho que possa parecer.

 

 

 

 

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?
Quando escolhemos o local para a realização de todo o casamento. Para podermos fazer aquilo que desejávamos, tínhamos de encontrar alguém que aceitasse o nosso “desafio”, exigências e, claro, nos facultasse o espaço que necessitávamos. Durante algum tempo procurámos locais – hotéis, pousadas, monumentos históricos, etc. – onde existissem espaços abertos e verdes (porque nenhum de nós tinha interesse em quintas de casamento), mas sem sucesso, pois ninguém estava disposto a pôr em práticas as nossas ideias. Foi então que encontrámos a Quinta das Silveiras. Para quem andou sempre a evitar quintas de casamento, foi precisamente uma quinta que “nos acolheu”.

 

 

 

 

 

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?
Bastante fiel. Dentro daquilo que era possível fazer (sim, porque muitas vezes desejámos quase o impossível… mas quando se é noiva/noivo, tudo passa pelas nossas cabeças), o resultado foi muito bom! Tínhamos muitas “fontes de inspiração” que nos davam mais ou menos uma noção de como queríamos todo o ambiente do casamento. Para conseguirmos pôr em prática tudo o que desejávamos, contámos com a fantástica ajuda da Joana Conde, responsável pela Quinta das Silveiras, que encontrou a maior parte dos fornecedores que precisávamos e nos ajudou a alinhar o dia da melhor forma. Foi a nossa querida wedding planner.

 

 

 

 

 

 

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?
Sinceramente, tudo para nós tinha importância, até o mais ínfimo pormenor. Contudo, havia algo que era fundamental: que os nossos convidados se divertissem e desfrutassem do que tínhamos preparado, porque quando todos se sentem bem e felizes, tudo corre maravilhosamente. Queríamos que fosse um dia especial também para eles, por isso procurámos sempre mimá-los com pequenas coisas. Para além das lembranças, tentámos “enriquecer” o ambiente com apontamentos diferentes, como foi o caso do carrinho de gelados artesanais, do carrinho de gomas e da máquina de pipocas (porque temos tantos amigos doidos por gomas e pipocas!) e da fantástica «Gertrudes» – uma carrinha que na hora em que o frio apertou serviu caldo verde, preguinhos e pastéis de nata quentinhos, pela noite dentro. Enfim, pequenos detalhes que tinham o intuito de proporcionar o melhor aos nossos convidados, mostrando o quão gratos estávamos pela presença de todos.

 

 

 

 

 

 

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?
O mais difícil foi, sem dúvida, a escolha (ou melhor, a descoberta) do local. Seguidamente, foi o vestido, porque ambos sabíamos que a Joana ia ser muito indecisa no que toca à escolha do modelito perfeito para o dia, pois não se identificava com nenhum vestido de noiva. Podemos ainda incluir na lista do «mais difícil» a elaboração das mesas. Este é um aspeto que exige muito tempo e paciência porque queremos agradar a todos (o que é praticamente impossível). Relativamente ao mais fácil, achamos que foi a escolha do bolo (a imagem daquele bolo estava há anos guardada nos nossos telemóveis, pois já tínhamos decidido que um dia aquele seria «o bolo») e a escolha do fotógrafo e do videógrafo (o trabalho deles era o que procurávamos: captação da imagem de forma natural e elegante).

 

 

 

 

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?
Apesar de ter sido um miminho de aniversário (festejámos o 27.º aniversário da Joana à meia-noite), a chegada da Pixie (a nossa mais recente cadelinha) foi a maior emoção do dia. Já tínhamos pensado em aumentar a família, mas não estávamos de todo à espera que acontecesse naquele dia, que já por si era tão especial. As fotos captaram exatamente o que sentimos com a chegada dela. Foi muito especial e emocionante.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E o pico de diversão?
Pessoalmente, achamos que a diversão foi uma constante do início ao fim do casamento. Durante o dia, sentimos que o tempo voou e à hora do jantar, depois de nos termos sentado e reparado na realidade à nossa volta, conseguimos desfrutar da alegria que se fazia sentir naquele momento. Temos amigos muito palhaços (e adoramo-los por isso mesmo!) que fizeram do jantar um momento super divertido! Rimo-nos tanto!

 

 

 

 

 

 

Um pormenor especial…
O momento em que duas das pessoas mais importantes para nós disseram algumas palavras (tão especiais!) durante a cerimónia. Foi um momento muito querido e emocionante, que vamos guardar para sempre no coração.

 

 

 

 

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?
Se tivéssemos a oportunidade de voltar a viver o nosso dia, teríamos aproveitado para dançar mais… Alguns convidados, principalmente os mais velhos, quiseram despedir-se no momento em que a pista abriu. Como queríamos dar-lhes toda a atenção e uma palavra de agradecimento, a dança ficou para segundo plano.

 

 

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…
Por mais perfeccionistas que tentemos ser, existem sempre pormenores que nos escapam ou algo que não corre como havíamos previsto. Ouvimos isto inúmeras vezes, aquando da preparação do casamento, e sempre nos tentámos convencer que connosco seria diferente; iríamos tentar ter tudo bem organizado e controlado. Esqueçam, isso não irá acontecer! Há sempre algo que escapa, no meio de tanta preparação e azáfama.
Por isso, queremos aqui deixar um conselho: consciencializem-se que falhas irão existir sempre, mas serão tão mínimas que ninguém vai dar por elas, apenas vocês. O importante é que se divirtam porque é um dia que (infelizmente) não volta e tudo o que fizerem e sentirem naquele dia é o que ficará com vocês para sempre.

 

 

 

 

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Adjetivos de Papel;
local e decoração: Quinta das Silveiras;

catering: Iguarias do Tempo;
bolo: Brisa Norte;
fato do noivo e acessórios: fato, camisa e lenço Dielmar; sapatos Miguel Vieira; botões de punho – Massimo Dutti;
vestido de noiva, sapatos e acessórios: vestido de noiva feito por uma costureira cheia de imensa paciência, a amável Sónica Cerejo; sapatos Asos; Ainda a noite não tinha chegado e a Joana já tinha trocado os saltos pelas suas All Stars e o vestido de noiva por um “trapinho” curto de renda, da Asos;
maquilhagem e cabelo: Dressing Room;
bouquet, coroa de flores e coleira: Flores do Liz – Florista e Jardins;
ofertas aos convidados: saquinhos de biscoitos Ponto Rebuçado; pacotes com livro de atividades e canetas de feltro para as crianças (feitos pelos noivos); photobooth Arco-Íris Eventos;
carrinho de gelados artesanais: gelados artesanais Permarcati Creperie & Geladaria;
máquina de pipocas, som e DJ: A.Karaoke;
fotografia: Pedro Sifredo Photographer;
vídeo: Made My Day Films;

Susana Pinto

Um casamento no Alentejo: Maria + Tiago

Esta semana damos um pulinho a sul, para festejar o casamento no alentejo da Maria + Tiago, celebrado à luz dourada da planície e com um vibe bem moderno.

O trabalho bonito ficou a cargo da dupla  de fotógrafos D10PHOTO, o video é da Live Wedding Vídeo, e animada pista de dança, por conta da Jukebox, um belo trio de fornecedores seleccionados Simplesmente Branco.

Bem vindo, Dezembro, e bom fim-de-semana!

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Uma festa requintada e elegante, com poucas pessoas, a família e os amigos mais importantes, mas divertida.

A escolha do espaço refletiu o conceito que pretendíamos.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Eu senti-me sempre tranquila. Com excepção da escolha do vestido, também muito devido ao facto de estar sob pressão pois estava, nessa altura, a preparar-me para a minha oral de agregação.

O Tiago teve dúvidas, e andou muitas vezes tenso e saturado.

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Relativamente ao casamento em si, acho que nunca sentimos isso. Foi um caminho percorrido com alguma tensão mas naturalidade.

Relativamente à organização do evento, cremos que foi no dia em que escolhemos o espaço. E depois com o resultado final.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Totalmente fiel ao idealizado. TIvemos ajuda, sim. Suporte familiar, ajuda das amigas mais próximas, colaboração do próprio hotel onde celebrámos o evento. E ajuda por parte de todas as empresas com quem trabalhámos, principalmente com a Festa Aluga.

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Fundamental: que fosse um dia agradável, divertido e feliz para todos, tanto para nós como para os convidados.

Sem importância: num casamento não há qualquer detalhe que não mereça importância.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Mais fácil: concordarmos com as ideias um do outro, e apoiarmo-nos sempre.

Mais difícil: para mim, a escolha do vestido. Gerir o estado de saturação do Tiago.

Para o Tiago, gerir as opiniões de terceiros.

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

O momento dos discursos.

 

E o pico de diversão?

A noite na festa, sentimos que deixámos de estar preocupados.

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Um pormenor especial…

A alegria e a felicidade estampada no rosto dos nossos convidados, refletida nas fotografias e no vídeo que resultaram no final.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Não, nada.

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Escolham as coisas com antecedência, pois todos os pormenores são importantes e cada escolha leva o seu tempo.

A escolha do espaço é um momento importante pois reflete aquilo que os noivos pretendem transmitir.

Há pormenores que idealizamos mas que são impraticáveis. Às vezes a mudança pode levar a agradáveis surpresas.

Peçam ajuda e conselhos a profissionais.

Não se deixem levar pelas ideias de familiares ou amigos, porque no fundo o dia é vosso.

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

Casamento no Alentejo - D10Photo - fotografia de casamento

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

local e catering: L’AND Vineyards;

fato do noivo e acessórios: Hugo Boss;

vestido de noiva e sapatos: MOD – My Own Dress;

maquilhagem: Andreia de Almeida MUA;

cabelos: Tânia de Sousa Hairstylist;

decoração: Festa Aluga;

fotografia: D10PHOTO;

vídeo: Live Wedding Vídeo;

luzes, som e Dj: Jukebox.

 

Susana Pinto

Um casamento simples e elegante: Sofia + Paulo

Esta semana é fechada em modo singelo: com o casamento simples e elegante da Sofia + Paulo, em Coimbra.

Sabedores do que desejavam (e do que não queriam), prepararam um dia à sua medida: “o mais natural possível, rodeados dos amigos e família mais próximos”.

Escolheram os seus fornecedores com o mesmo foco e, entre eles, estava a Bouquet de Liz, fornecedora seleccionada Simplesmente Branco, que se esmerou na decoração e bouquet da Sofia.

Sem mais demoras, fiquem com o casamento simples e elegante da Sofia + Paulo e tenham um óptimo fim-de-semana.

 

Um aviso nosso: na próxima semana, estaremos em modo adormecido: vamos estar a arrumar a nova casa The Destination, com toda atenção e entusiasmo.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Não imaginámos propriamente o dia, mas sim uma vida inteira.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Sentíamo-nos preparados porque tínhamos bem presentes que queríamos um dia o mais natural possível, rodeados dos amigos e família mais próximos.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

No decorrer de todo o dia, foi tudo perfeito. Mas o sentimento de satisfação no final do dia foi especial.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

O resultado correspondeu 100% às expectativas que fomos construindo. Desde o início sabíamos bem aquilo que não queríamos, o que tornou muito mais fácil perceber o que queríamos.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Fundamental para nós era sem dúvida que o dia fosse à nossa imagem, de forma simples mas elegante. As coisas que valorizamos teriam de estar presentes, que eram na verdade muito poucas – amigos, família, um espaço agradável e um excelente serviço. Tudo o resto considerámos desde sempre acessório.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi a escolha do espaço e dos fornecedores que nos entenderam perfeitamente e com quem gostámos muito de trabalhar. O mais difícil foi perceber que o dia passava tão rapidamente e que iria terminar.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

A despedida

 

E o pico de diversão?

Um questionário surpresa que os nossos padrinhos e madrinhas organizaram para todos os convidados.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Um pormenor especial…

Não conseguimos individualizar um pormenor especial, porque todo o dia foi um pormenor. Mas o facto de ter sido um casamento muito jovem e simples, foi algo muito apreciado por todos.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Nada

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Não complicar. Perceber o que é realmente importante e imprescindível nesse dia. Nos pontos em que há dúvidas, não há dúvida.

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Casamento simples e elegante em Coimbra, com decoração Bouquet de Liz

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Markate;

catering e bolo: Encontrus;

vestido de noiva e sapatos: UHMA;

maquilhagem: Vanessa Kuzer Makeup;

bouquet e decoração: Bouquet de Liz;

fotografia: Luís Ala;

luzes, som e Dj: Dj Xico.

 

Susana Pinto

Casamento elegante no Porto: Rute + Diogo

Trazemos memórias de verão com um casamento elegante no Porto: é a festa da Rute + Diogo, elegantíssimos no seu fantástico dia!

Para a festa perfeita, os noivos empenharam-se convictamente no seu planeamento, como nos contam em detalhe, e contaram com uma bela lista de fornecedores seleccionados Simplesmente Branco: a Lounge Fotografia fez a fotografia, as meninas da Invite – Momentos Felizes trataram dos detalhes gráficos, a LSS – Produção de Eventos animou a pista de dança noite fora e a We Love Film tratou do vídeo.

Sem mais demoras, fiquem com este casamento elegante no Porto e leiam com atenção os conselhos finais: são óptimos!

Bom fim-de-semana.

 

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Imaginámos um dia concebido para nós a 100% e, também, para toda a nossa família e amigos. Sempre pensámos num casamento mais restrito e em que conseguíssemos dar atenção a todos os convidados, partilhando, verdadeiramente, o nosso dia com todos eles. O conseguir estar um pouquinho que fosse com todos, tornando-os ainda mais especiais no nosso dia, era essencial para nós.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

 Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Apesar de termos alguns receios, a preparação foi vivida com calma e segurança. Sentimo-nos sempre bastante certos das escolhas dos fornecedores, do que pretendíamos em relação ao espaço escolhido, à decoração, ao alinhamento do dia, etc.

Apesar disso, temos que admitir que os últimos dias, nomeadamente as duas semanas que antecedem o casamento, são de uma intensidade brutal. Até a mais segura das pessoas demonstrará, nesses dias, alguma ansiedade. Seja com o aproximar do dia, com alguma escolha que motive dúvida…  Este nervosismo faz, contudo, parte deste ritual de preparação e torna a chegada do grande dia ainda mais especial.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Sempre que pensávamos em algo, surgia a questão: “Será mesmo isto?”, “Será a opção certa?”. A dúvida é sempre algo que nos vai acompanhando durante o processo. Claro que existem processos mais fáceis e em que a decisão é imediata. Mas, mesmo assim, nos dias finais, a dúvida regressa sempre: “Será que escolhemos bem?”, “Será que vai resultar?”. O facto de se tratar de um dia irrepetível faz com que pensemos e repensemos os assuntos, isto, claro, até ao momento em que, perante os inúmeros dossiês e decisões em aberto, temos que colocar o sentido pragmático em acção.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Podemos dizer que o resultado final foi bastante fiel às nossas ideias iniciais. Existiram, naturalmente, alguns pormenores que “fugiram” àquilo que idealizámos. Pensámos, por exemplo, em realizar votos durante a cerimónia religiosa e, na última semana, não nos autorizaram a fazê-lo. Ficámos um bocadinho desanimados, mas aceitámos o “contratempo” e, hoje, percebemos que a cerimónia tem, além de um fio condutor, uma intensidade única só por si.

No que se refere à festa, tirando um ou outro aspecto, foi tudo concebido exatamente como tínhamos sonhado. Embarcámos, na última semana, na loucura de construir uma parede de origamis, que ficou “a meio,” tendo em conta as mil prioridades que tínhamos. Ainda assim, conseguimos ter, não uma parede, mas alguns “passarinhos” com a ajuda de alguns amigos e com os decoradores do Palácio.

Tratando-se de um dia tão “nosso”, a tendência para gerirmos todos os processos é enorme. Teimamos em não delegar tarefas e a não aceitar ajuda (mesmo do outro membro do casal, neste caso, do noivo). E a verdade é que os amigos e a família são (e, no meu caso, foram) importantíssimos neste processo. A família porque soube ouvir as ideias, os progressos e retrocessos e esteve sempre lá para apoiar e mimar. Os amigos por tudo isso e, ainda, porque nos ajudaram na conceção dos convites (obrigada Joana Lopes), na decoração floral da igreja, nos últimos preparativos (cones de arroz, fitinhas para os carros), etc. Pequenos pormenores, mas que nos tiram preocupações da mente.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Criarmos um dia especial e com o qual nos identificássemos. Foi, desde o primeiro dia, a nossa preocupação. Queríamos que a cerimónia tivesse uma música especial para nós, que a festa representasse a nossa essência e que espelhasse o nosso gosto pessoal – os tons claros, a luz ambiente, as velas, etc. Queríamos, ainda, que os nossos familiares e amigos soubessem que estavam a participar de um dia que havia sido preparado, não apenas para nós, mas também para eles.

A questão do carro, por exemplo, foi uma decisão um pouco mais acessória, mas ainda assim, algo que nos consumiu algum tempo de análise e decisão. Acho mesmo que, tratando-se de um dia tão importante, irrepetível, nenhuma noiva consegue ter um item na categoria “sem importância”.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

A escolha dos padrinhos, o conceito do dia, o estilo do vestido de noiva e do fato, as alianças… Estes aspectos essenciais estavam muito bem definidos. Claro que as inseguranças surgem e pensamos se tomamos a decisão certa e se era mesmo isso que pretendíamos. Mas, tirando algumas dúvidas existenciais, esses aspectos foram pacíficos.

A gestão do tempo foi o aspecto mais difícil, mesmo no nosso caso, que preparámos o casamento com alguma margem (cerca de 14 meses). O facto de sabermos que tínhamos um período razoável para planear os processos fez com que, no início, demorássemos imenso tempo a tomar qualquer decisão, o que acabou por nos desgastar em diversos momentos. Mesmo na entrega dos convites – em que tínhamos que gerir as nossas agendas com a dos convidados –, foi, uma vez mais, o factor tempo que nos causou mais stress. Nas semanas finais – em que temos imensos processos para finalizar, imensas reuniões, decisões para tomar, tudo isto a juntar aos compromissos profissionais – o stress atinge-nos de tal forma que é praticamente impossível impedir que as lágrimas de nervosismo apareçam.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Sem dúvida, a entrada na Igreja. Apesar de, no nosso caso, nos termos preparado no mesmo local (em divisões distintas, naturalmente), existe sempre aquele espaço de tempo (minutos apenas) em que estamos sozinhas e que pensamos: “É agora”. Fazemos todo o caminho até à Igreja a pensar no momento em que nos iremos encontrar no altar e, também, nas pessoas queridas que iremos vislumbrar nesse caminho. Apesar da curtíssima separação, é nesse momento que reencontramos a pessoa, aquela que aceitou partilhar a sua vida connosco… E isso é, sem dúvida, a melhor e mais intensa sensação, não só do dia, como da vida.

O momento em que nos dirigimos para o corte do bolo (e em que passámos, em conjunto, por todos os nossos amigos e família) e a mensagem surpresa preparada pelos nossos padrinhos foram, sem dúvida, outro dos momentos que mais nos marcaram e que guardamos com mais carinho no coração.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

E o pico de diversão?

Acho que não conseguimos eleger apenas um. O dia foi recheado de momentos divertidos: desde a preparação da parte da manhã – em que conseguimos reunir família e amigos –, até à abertura da pista. Ainda assim, acho que a nossa entrada na sala, imediatamente antes do momento do jantar, deverá ter sido um dos momentos mais engraçados. O facto de não termos preparado absolutamente nada tornou o momento espontâneo e muito divertido. Decidimos improvisar, dançar, interagir com os convidados… Que saudades…

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Um pormenor especial…

Tentámos que o nosso dia fosse “a nossa cara” e, por isso, empenhámo-nos em personalizá-lo em alguns aspectos, por exemplo com os origamis, com as placas que os meninos usaram na igreja ou mesmo com os vasinhos das lembranças, que foram preparados por nós nos dias anteriores.

Temos que destacar, contudo, o design floral, que estava perfeito e que fez toda a diferença; a mensagem criada para os sparkles: “Deixem o amor brilhar”, que os convidados adoraram e partilharam imenso nas redes socais; e, ainda, as polaroids. Todos os convidados conseguiram levar, assim, no final da noite, uma lembrança “sua”…

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Durante o processo, falávamos muito sobre como correria o dia. No dia seguinte, quando abordámos esse assunto, confessámos que o dia tinha sido ainda mais perfeito do que aquilo que tínhamos sonhado. Foi um dia único, o mais feliz das nossas vidas, com todos os pormenores previsíveis e imprevisíveis …

Olhando para trás, acho que, por vezes, a solução passa mesmo por simplificar. Para os noivos, e principalmente para a noiva, todos os pormenores são pensados e repensados, e isto quando falamos mesmo apenas de um pequeno pormenor. A verdade é que acabámos por nos desgastar com pormenores sem grande importância, ao invés de estarmos focados em nós e no nosso dia. Dito isto, acho que, se fosse hoje, decidiria ser apenas um pouco mais relaxada em alguns aspectos.

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Planeamento: Planear, planear, planear. Apesar do planeamento inicial sofrer, invariavelmente, mil alterações, é muito importante termos os aspectos gerais muito bem definidos na nossa cabeça, passando-os depois para o papel. Os esquemas ajudam sempre imenso…

Confiança: Confiarmos nas nossas escolhas e na nossa intuição é, sem dúvida, um dos pontos mais importantes. Só dessa forma conseguimos fazer um “check” definitivo num ponto e avançar para os seguintes.

Partilha: Trata-se de um dia único também para o noivo. É importante ouvir as expectativas do outro e encontrar um equilíbrio. Em conjunto as ideias fluem muito mais e as decisões tornam-se mais simples.

Serenidade: Para aproveitar ao máximo cada etapa e cada momento, principalmente porque o casamento é um processo super exigente, mas que passa a correr e que deixa imensas saudades…

Amor: Colocar todo o amor e dedicação na mais pequena tarefa. Quando damos o melhor de nós, só pode correr bem!

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Casamento elegante no Porto - Lounge Fotografia

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e ementas: conceito criativo da nossa querida amiga Joana Lopes e impressão gentilmente oferecida pela Vinil Forma;

marcadores de mesa e placa boas-vindas: Invite – Momentos Felizes;

sinalética dos pajens (entrada na igreja) e photoboth: Cor Púrpura;

local, catering e decoração: Palácio da Igreja Velha, em Famalicão;

bolo: Casa das Natas;

fato do noivo e acessórios: fato Gio Rodrigues, sapatos Aldo, boutonnière Rute Moreda;

vestido de noiva e sapatos: vestido Manuela Noivas, sapatos Haity;

maquilhagem: Patrícia Lima;

cabelos: Pedro Ferreira;

bouquet: Rute Moreda;

ofertas aos convidados: polaroids feitas pela Lounge Fotografia,  suculentas da Jardiland, com personalização feita por nós e lollipops chocolate da Chocolataria Equador;

fotografia: Lounge Fotografia;

vídeo: We Love Film;

luzes, som e Dj: LSS.

 

Susana Pinto

Um casamento romântico no Porto: Catarina + Nuno

Damos as boas-vindas a Novembro com o delicioso relato do casamento romântico da Catarina + Nuno, na Casa do Ribeirinho, no Porto.

Cheios de sentido de humor e com uma imensa descontracção (que inclui uns quantos bons conselhos e ideias com graça), estes noivos escolheram a bela dupla Vanessa & Ivo – filmes feitos à mão,para guardar as memórais do mais bonito dos dias.
O toucado da Catarina (que fez um vistaço, como vão ver!) é da Cata Vassalo e as ofertas aos convidados, dos nossos queridos parceiros, Operação Nariz Vermelho.

Fiquem com este belo vídeo e leiam tudo até à última linha. Catarina + Nuno, you did well!

Bom fim-de-semana!

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Romântico! Um dia de sol, num lugar maravilhoso, rodeados de quem nos quer bem, cheio de alegria e amor. Achamos que o conseguimos na perfeição!

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Não estávamos nada preparados! Ficámos noivos em outubro, só começámos a preparar coisas em dezembro para casar em junho! Tinha tudo para ser um caminho de nervos, mas fomos fazendo escolhas certas, que nos trouxeram bastante tranquilidade e correu tudo lindamente! Nervos só mesmo no dia, antes de começar.

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Quando nos aventurámos, num dia chuvoso de inverno, a conhecer a Casa do Ribeirinho. Foi o primeiro e único espaço que visitámos! Tinha tudo o que procurávamos, desde o romantismo da casa ao intimismo do jardim, passando pela disponibilidade e entusiasmo de quem nos recebeu, foi amor à primeira vista… e ainda bem! Depois disso, descemos a rua e sentimos exatamente o mesmo no estúdio do João Almeida! O melhor fotógrafo, que, afinal, se revelou um amigo “disfarçado” de fotógrafo!

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Ideias tínhamos muitas… Umas exequíveis, outras mais mirabolantes, mas todas foram possíveis (e impulsionadas) graças à paixão e profissionalismo com que o Sr. João, a Maria João, o Abílio Vieira e restante equipa da Casa do Ribeirinho sempre nos brindaram. Foram incansáveis ao agradar a noiva! E ao noivo, por extensão. Toda a logística e pormenores do(s) espaço(s) ficaram por conta da equipa da Casa do Ribeirinho. Só tivemos que lhes dizer o que pretendíamos. Aliás, tivemos esta experiência com todos os fornecedores! Além deles, contámos com a ajuda dos nossos padrinhos e madrinhas de casamento, nos pormenores finais.

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Queríamos que os convidados sentissem que a festa também era deles! Era um dia muito importante para nós e gostávamos que a nossa felicidade envolvesse e fosse partilhada por todos. E de facto, achamos que isso foi algo muito evidente no nosso casamento, um ambiente de harmonia e felicidade plenas partilhadas por todas as pessoas. Nada foi de menor importância, tudo foi pensado ao pormenor.

 

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Além da escolha do local e do fotógrafo, o mais fácil foi, sem dúvida, a escolha do vestido, sapatos e acessórios da Catarina! Saiu só para dar uma vista de olhos e voltou com tudo comprado. Já o Nuno, ui…! O mais difícil foi a interminável saga para encontrar os videógrafos. Ninguém nos enchia realmente as medidas… até que, sem querer, “tropeçámos” num vídeo da Vanessa e do Ivo (Vanessa & Ivo – Filmes feitos à mão) e ficámos absolutamente rendidos! A partir daí, difícil foi resistir-lhes!

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

A leitura dos votos na cerimónia! Apesar de nenhum de nós ter chorado, foi um momento muito emotivo para toda a gente, com muitos lencinhos de papel a salvar a makeup!

 

E o pico de diversão?

A entrada no salão de jantar! #BestDayEver! Tínhamos a musica escolhida, mas mais nada ensaiado ou pensado. No momento, improvisámos e foi muito giro porque toda a gente aderiu e se divertiu connosco. Também tivemos um vídeo preparado pelos nossos padrinhos/madrinhas e amigos, que arrancou muitas gargalhadas… e algum embaraço aos noivos!

 

Um pormenor especial…

Tivemos muitos pormenores, desde as lembranças e a forma como foram entregues (numa caixa personalizada escrita à mão), ao livro de honra, que incluía uma máquina fotográfica instantânea para que, além do que nos queriam transmitir, ficássemos com recordações de todos os que estiveram connosco a viver aquele dia em imagem… Mas aquele que, se calhar, destacamos, por ser o mais original, é o sitting plan. Partiu da ideia do save the date (fotos nossas do dia da comunhão, uma vez que o casamento decorreu no feriado em que geralmente se realizam as comunhões), pedimos a todos os convidados que nos enviassem uma fotografia sua em criança, que recriamos ao estilo polaroid, e misturamos em molduras grandes. Para saberem o seu lugar, os convidados tiveram que se encontrar “lá atrás no tempo” e foi muito engraçado. Além de se procurarem a si, quiserem também encontrar outros e acabou por ser um momento também de muita diversão. A mini-polaroid foi até acessório de vários convidados ao jantar.

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

A Catarina punha os brincos que ficaram esquecidos na azáfama de vestir, apesar de só ter reparado quando, já depois do jantar, lhe disseram que estava uma noiva “muito limpinha, sem brincos, a apostar todos os brilhos no toucado”. De resto, tudo perfeito! Mal podemos esperar pelas bodas de 25 anos!

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Não conseguimos fugir ao cliché do “aproveitem cada minuto porque passa a V-O-A-R!” Quando éramos noivos pensávamos, “outra vez? Hum hum…”, mas é mesmo verdade! Por isso, o nosso conselho é mesmo esse, aproveitar tudo! A escolha de fornecedores que percebam exatamente o que pretendem e que vos ajudem a concretizar as vossas ideias, é fundamental para que o percurso seja o mais tranquilo possível e para que, no grande dia, se foquem exclusivamente naquilo que é realmente importante: serem absoluta e simplesmente felizes!

 

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Faire-art Créatif e Abílio Vieira PDF;

local, decoração e catering: Casa do Ribeirinho;

bolo: Pshysalis Cake;

fato do noivo e acessórios: fato Prassa, sapatos Aldo;

vestido de noiva, sapatos e acessórios: vestido Pronovias, sapatos Haity e toucado Cata Vassalo;

maquilhagem: irmã da noiva;

cabelos: Isabel Queirós Cabeleireiros;

bouquet: Lisa Flores – Florista e Decorações;

ofertas aos convidados: Operação Nariz Vermelho;

fotografia: João Almeida Fotografia;

vídeo: Vanessa & Ivo – filmes feitos à mão;

luzes, som e Dj: Serbeats DJ.

 

Susana Pinto

Um casamento DIY: Bruna + César

Fechamos o doce Outubro de modo muito especial e igualmente doce: com um casamento DIY, o dia bonito da Bruna + César.

São muitas imagens, mais de meia centena, captadas pela Carina Oliveira, e vou explicar-vos o que é tão bonito nelas.

Começo por vos apresentar a Carina, que foi nossa cliente no projecto S Baby. Tem um trabalho muito delicado e feminino, e um olhar muito atento aos detalhes e aos pequenitos, o que faz dela uma óptima fotógrafa de famílias. Sem nos conhecermos pessoalmente, conhecemo-nos virtualmente há vários anos e temos muitas coisas que nos aproximam e sobre as quais gostamos de conversar. Acompanhar o seu trabalho, vê-lo crescer, chegar a sítios, é um prazer imenso, sempre.

Ora a Carina não foi apenas a fotógrafa de serviço no casamento da Bruna + César: é a irmã do noivo e a mãe do Hugo, o muito divertido menino das alianças. Com tanto amor no ar, não se espantem com a quantidade de fotografias de abraços que vão encontrar nesta selecção.

Este não é um casamento sobre detalhes, e os próprios noivos o afirmam. É um casamento sobre pessoas e o amor palpável, visível, que as une. As fotografias da Carina fazem, genuinamente, justiça ao momento. São feitas de amor, e por isso, são perfeitas.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Imaginámos sempre um dia tranquilo e super relaxado. Um dia em que estivessem presentes os nossos mais íntimos, para que estivéssemos todos rodeados de amor e mais amor. Procurámos, acima de tudo, fugir de um casamento tradicional com demasiada etiqueta e protocolo.

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Tentámos levar as coisas sempre na maior das calmas. Contudo, acabámos por perceber que estávamos demasiado relaxados! Digamos que começámos a organizar o casamento propriamente dito, no mês anterior. Mas claro, nas semanas antecedentes não poderíamos negar os nervos.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Nos dois dias imediatamente antes do grande dia, quando andávamos a colocar a iluminação e a tratar da decoração do espaço.

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Sim, sem dúvida. Ficou tudo como queríamos, graças à ajuda de todos os nossos queridos. Amigos, padrinhos, tios, tias, as senhoras responsáveis da Casa da Portela e claro, as nossas mães que foram uma ajuda fundamental. Tudo feito com muito amor, carinho e dedicação. O resultado só poderia ser mágico.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Era fundamental que todos os nossos convidados se sentissem confortáveis e que fosse um dia relaxado essencialmente para nós, pois sabemos aquilo que os noivos passam no dia do casamento. Só o queríamos aproveitar ao máximo e não ser ‘marionetas’ do dia.

Tudo o que se aproximasse de um casamento tradicional (nada contra, só não nos identificamos) como carros de luxo, foguetes, danças exóticas, cuspidores de fogo ou qualquer situação que não faz parte da nossa identidade, não era de todo importante.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi dizer o “sim” e comunicarmos ao mundo que íamos casar. O mais difícil foi tudo o resto!

 

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Da noiva: a coisa começou a ficar real no momento em que me vestiram o vestido,  puseram a coroa de flores e o pico foi, claro, o momento em que os meus dois irmãos (em representação do meu falecido pai) me abraçaram e levaram até ao altar civil, onde se estava o amor da minha vida à espera.

Do noivo: quando a noiva entra, como não poderia deixar de ser… Uma emoção indescritível.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

E o pico de diversão?

Logo após a cerimónia, quando nos juntámos aos nossos amigos e familiares, até noite dentro.

 

Um pormenor especial…

Os presentes que os amigos nos prepararam, nomeadamente o vídeo que nos dedicaram e os alunos da noiva que apareceram de surpresa, após o jantar.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Tentaríamos que fosse ainda mais relaxado. De resto, há sempre coisas que se podem mudar, mas não nos arrependemos de nada. Foi o casamento que queríamos.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Mandei fazer o meu vestido e este  passou por um odisseia que iria terminar muito mal. Por isso, caso mandem fazer os vossos vestidos, pesquisem bem sobre quem o vai confeccionar, incluindo historial da pessoa com as clientes.

Aconselho também a relaxar ao máximo, pois só assim conseguirão aproveitar não só todo o processo de organização, como também o próprio dia.

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Casamento DIY rústico na Casa da Portela, com fotografia de Carina Oliveira Fotografia

 

Vejam a reportagem completa na página da Carina Oliveira Fotografia.

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos:  o noivo, que é designer gráfico;

local e catering: Casa da Portela Eventos;

bolo: Feito e decorado pela mãe da noiva;

fato do noivo e acessórios: fato e camisa Sacoor, sapatos Massimo Dutti e laço Zara;

vestido de noiva e sapatos: vestido de noiva desenhado pela própria e executado por duas costureiras do Porto,  sapatos Uterque;

maquilhagem e cabelo: Alexandra Castro;

bouquet: Arte Bruna;

decoração: feita por todos nós;

ofertas aos convidados: feitas pelo marido;

fotografia: Carina Oliveira Fotografia;

vídeo: Ricardo Marques e Gonçalo Rodrigues;

luzes, som e Dj: amigos.