Created with Sketch.
Ana Apolinario

Let SB Inspire You: Elopement Wedding

O elopement wedding é um formato de casamento que tem agora particular expressão, face às necessidades restritivas que se impõe nas circunstâncias atuais. De qualquer forma, é uma tendência que vinha já a crescer entre casais do mundo inteiro, não apenas na sua essência de “fuga a dois para casar”, mas enquanto momento vivido tranquilamente por casais com uma ligação muito profunda e especial, que optam por viver o seu amor sem limites e numa forma de casamento mais intimista. Ou até mesmo enquanto solução para os casais que têm pouco tempo, que assim decidem casar por questões de dinheiro, gosto pessoal, pelo desejo de fugir das obrigações, por incompatibilidade de feitio com festas tradicionais ou até por falta de paciência para organizar uma grande festa!

 

Por isso, para quem está a pensar celebrar um casamento a dois, hoje debruçamo-nos sobre o elopement wedding nesta nossa permanente partilha de inspiração, com alguns exemplos de como tornar o vosso dia ainda mais bonito e especial.

 

foto hugo coelho fotografia

Liberdade & Personalização

Como o casamento é a dois, a verdade é que pode ser como os noivos quiserem. Não há regras: só muito romantismo e intimidade! O elopement wedding permite-vos escolher exatamente o que quiserem, sem amarras aos protocolos ou mesmo às pressões de desejos que não são vossos, mas de outras pessoas.

 

elopement wedding foto hugo coelho fotografia

De qualquer forma, uma sugestão de plano de dia pode passar por um first look, seguida da troca de votos entre os noivos, um ensaio fotográfico e um momento gastronómico, que pode ser apenas o corte do bolo ou um jantar a dois, com todo o requinte e um decor apropriado, com um centro de mesa de sonho, loiça requintada, uma garrafa de champanhe e todo o romantismo que a ocasião exige.

Espreitem esta sessão fotográfica desenhada para inspirar noivos que tenham em mente um elopement ou destination wedding.

 

sessão fotográfica destination wedding

sessão fotográfica destination wedding

sessão fotográfica destination wedding sessão fotográfica destination wedding sessão fotográfica destination wedding

Locais para um elopement wedding

A beleza do formato elopement wedding reside na liberdade de escolha de locais para realizar a cerimónia.  Os noivos podem, assim, escolher praticamente tudo, desde um cenário incrível e paradisíaco onde jamais caberia uma estrutura para festa – como em frente a uma cascata ou num espaço no meio da natureza – ou um lugar que faça parte da história do casal a parques ou edifícios públicos, um rooftoop incrivelmente romântico, com uma vista maravilhosa e um ambiente chic urbano ou até mesmo um destino mais radical, que lhes permita incluir uma entrada num balão de ar quente ou fazer body jumping a seguir…

 

foto it's all about

O que não faltam são lugares incríveis para dizer o “Sim”! Mais que não seja… a vossa casa! Sim, para quem procura um tipo de casamento marcado por um ambiente indescritivelmente íntimo e pessoal, diferente, mais flexível, com propostas mais versáteis e até mais criativas, trocar juras de amor no aconchego de casa – seja na residência ou mesmo numa casa de família ou amigos – pode ser uma experiência inesquecível.

Em casa

O casamento que partilhamos em baixo foi celebrado em casa, no quintal. Foi fotografado pela Feel Creations – Wedding Photo & Film e aconteceu numa gigante bolha de amor, de alegria e comoção, num sentimento de família e proximidade. Neste caso não foi um casamento a dois ou om meia dúzia de convidados, mas sim um mini wedding. Mas podia, perfeitamente, ter sido. Adorámos a ideia e a forma como o concretizaram. O pátio, os noivos, os detalhes, o decor… tudo estava lindo, cuidado, simples, colorido e aconchegante. Feliz.

 

foto feel creations wedding photo film

foto feel creations wedding photo film foto feel creations wedding photo film foto feel creations wedding photo film foto feel creations wedding photo film

Na natureza

Entretanto, um elopement wedding entre serras e montanhas ou na densidade de uma floresta é uma opção de tirar o fôlego. A proximidade da natureza proporciona uma conexão única e envolve os noivos (e eventuais convidados próximos) numa onda de amor e energia incrível. Como neste casamento em Asheville que nos apaixonou, fotografado por Cody & Allison Photography

 

elopement na floresta elopement na floresta elopement wedding na floresta elopement wedding na floresta elopement wedding na floresta

Na praia

É claro que o barulhinho do mar e a sensação maravilhosa do pé na areia de um casamento na praia constitui um cenário espantoso para este formato de casamento. E o mundo está repleto de praias paradisíacas, uma mais linda que a outra! Nós por cá também as temos, praias fabulosas que são escolhidas precisamente por quem, de fora, prefere vir aqui casar, neste jardim à beira-mar plantado, e fazer o seu elopement wedding. Como estes casais abaixo, que foram fotografados pela Aguiam Wedding Photography.

 

foto aguiam wedding photography foto aguiam wedding photography foto aguiam wedding photography foto aguiam wedding photography foto aguiam wedding photography

Dicas essenciais para organizar um Elopement Wedding

Apesar de acabar por ser mais simples de organizar, um elopement wedding tem algumas particularidades que exigem atenção e dedicação. Por isso, deixamos aqui algumas dicas que serão fundamentais para que nada, nem ninguém, estrague o vosso momento de comunhão exclusiva.

Ao início só vocês vão achar esta ideia fantástica

Sim, não tenham demasiadas expectativas quando revelarem a vossa decisão à família. Sobretudo aos vossos pais, avós, irmãos ou melhores amigos. Mesmo que não o verbalizem, o mais provável é sentirem-se frustrados por não estarem a ser convidados para participar num momento tão importante das vossas vidas. De qualquer forma, é sempre preferível avisar da vossa intenção do que surpreendê-los a posteriori com um simples “Casámos!”. E, se preferirem, podem sempre incluir os pais e irmãos (ou melhor amigo/a) na vossa “fuga”.

Não há volta a dar à burocracia

Informem-se sobre todos os trâmites que o mundo burocrático exige e, se forem casar no estrangeiro, garantam que têm a documentação toda em dia e verifiquem se será necessária alguma documentação específica ou outras formalidades.

 

foto it's all about foto it's all about

Contratações must have num elopement wedding

Por mais “simples e despreocupado” que um elopement wedding possa parecer, ter ao vosso lado um wedding planner evita muitas preocupações, nomeadamente com horários ou até mesmo com reservas de mesa, etc., ou com qualquer outra ideia que tenham tido para a vossa cerimónia. Além disso, se forem casar no estrangeiro e tiverem apoio no local poderão usufruir de lugares especiais que, geralmente, nenhum turista teria acesso.

 

Também o fotógrafo e o profissional de vídeo são, obviamente, fundamentais para eternizar o momento e para que possam partilhá-lo com os amigos e familiares que não estavam lá com vocês.

 

Por fim, makeup & hair. Fundamental! Lá por ser “despreocupado” um elopement wedding não é sinal de desleixamento. Um casamento exige um conjunto visual perfeito. Por isso, arrasem! Apesar de ser um casamento a dois, a preocupação com os visuais deve ser a mesma do que se tivessem 300 convidados. Afinal, é o vosso casamento. Brilhem no vosso dia.

 

noiva make up hair foto feel creations noiva make up hair foto feel creations

Festa posterior no timing perfeito

Há quem opte por fazer uma festa tradicional quando regressam a casa, para, aí, sim, poderem partilhar este marco nas suas vidas com quem mais gostam. Atenção apenas ao timing: a festa deve acontecer numa semana muito próxima à da cerimónia. Isto genericamente, claro, porque se tivermos em conta a atual situação pandémica, em que o elopement pode apenas ser a solução para manter um casamento que foi adiado, esta “regra” não se aplica.

 

Por fim, não esqueçam: antecedência, sempre. Sobretudo se optarem por um destino internacional, não esqueçam de programar tudo antecipadamente.

 

elopement wedding foto feel creations wedding photo film elopement wedding foto feel creations wedding photo film elopement wedding foto feel creations wedding photo film  foto feel creations wedding photo film

FAQs pertinentes

O que é, ao certo, um elopement wedding?

Elopement wedding é uma expressão em inglês que quer dizer, em tradução livre, “fugir para casar” (o termo “elope” quer dizer “fugir”). Antigamente, correspondia aos casamentos de noivos apaixonados que tinham de fugir para casar “às escondidas” ou de uma forma mais repentina e espontânea, viajando para um lugar distante ou fora da sua residência, sem avisar família e amigos. Mas o conceito evoluiu e, hoje em dia, é uma escolha de muitos casais que procuram um formato de casamento em que possam celebrar o seu amor e união com maior significado e mais íntima possível.

 

O elopement wedding significa, basicamente, um casamento a dois, mas tal não quer dizer que não possam convidar ninguém, embora neste caso os convidados serão apenas restritos membros da família (pais, filhos e irmãos) ou um amigo que seja muito próximo.

Com quem combina este formato de casamento?

O Elopement Wedding é o mais íntimo e romântico dos casamentos, um momento só dos noivos. Este estilo de cerimónia combina com casais apaixonados que querem um momento só deles, que optam pela intensidade, profundidade e significado. E, claro, remetendo-nos à atualidade, casais que querem viver o seu sonho com segurança.

 

É também um estilo de casamento indicado para divorciados que querem casar novamente em cerimónias menos tradicionais e também para casais que acabam por optar por este formato por causa de budget limitado.

Qual a diferença entre elopement wedding e destination wedding?

A principal diferença tem mesmo a ver com a quantidade de convidados. Enquanto o elopement wedding é realizado apenas com o noivo e a noiva – ou eventualmente os pais, irmãos ou um ou outro amigo/familiar muito próximos –  um destination wedding aplica-se a uma cerimónia onde todos os familiares e amigos podem ser convidados a viajar com os noivos. Por seu turno, e sendo que o conceito de elopement wedding já evoluiu, nem sempre implica uma viagem.

 

elopement wedding foto hugo coelho fotografia

E agora que já sabem mais algumas coisas sobre o elopement wedding, contem-nos como fariam o vosso casamento! E se ainda não decidiram bem o que vão fazer, continuem connosco desse lado, a ler as nossas partilhas, dicas e inspirações.

 

Até breve!

 

Fornecedores presentes neste post: Hugo Coelho FotografiaAguiam Wedding Photography | Free Creations – Wedding Photo & Film | It’s all about…

Ana Apolinario

Let SB Inspire You: Casamento ao ar livre

Um casamento ao ar livre não é nenhuma novidade. E ninguém dúvida que é uma opção ultrarromântica para a troca de juras de amor e para uma festa revestida de um estilo único e lindo, que conquista o coração de incontáveis casais apaixonados, não só em Portugal, mas no mundo inteiro. No entanto, em consequência do contexto pandémico que, infelizmente, ainda estamos a viver, tornou-se uma das principais tendências de casamento pós-covid, pois é uma das escolhas mais viáveis para quem quer dizer o “Sim”, tendo em conta os protocolos de segurança exigidos. É também um formato que combina com celebrações mais íntimas, com um menor número de convidados – tais como os mini e micro weddings – focado na experiência do casamento e no que é essencial.

 

Por seu turno, o verde do campo ou o areal da praia tornaram-se, também, uma das principais escolhas dos casais apaixonados que decidiram manter o seu sonho de casamento, a par dos cada vez mais procurados elopements weddings (o já célebre conceito de “casamento a dois”) e também de casamentos destination wedding, quer seja em ambientes mágicos no meio da natureza ou em os idílicos cenários do pé na areia.

 

casamento ao ar livre feel cretions

 

Por tudo isto, decidimos partilhar inspiração para quem está a pensar casar  e festejar ao ar livre, inaugurando mais uma rubrica que iremos publicar todos os primeiros sábados de cada mês, onde iremos expor as nossas ideias e as de inúmeros convidados profissionais da área, para facilitar “construção” de diferentes estilos de casamento.

 

Hoje, em particular, reunimos algumas ideias para um casamento no campo ao ar livre ao estilo boho.

Casamento ao ar livre no campo: estilo boho

A cerimónia

Começo por destacar este bonito altar, que serviu de pano de fundo para uma cerimónia de casamento ao estilo boho, com vibes dos anos 70. Um verdeiro paraíso floral, que resulta de uma mistura de flores frescas e secas, para criar um design selvagem e indomado, que combina na perfeição com um ambiente retro e relaxado. Se gostam desta sugestão, espreitem o casamento disponível no site Green Wedding Shoes.

 

cerimónia boho de casamento ao ar livre cerimónia boho de casamento ao ar livre

Para uma cerimónia boho no campo, deixo aqui também a sugestão do espaço Monte do Ramalho, que pertence à nossa seleção de fornecedores e tem uma solução minimalista perfeita para casar (e que, para dizer a verdade, se encaixa em qualquer estilo rústico-chic)

Veja aqui o casamento da Patrícia + Sérgio, que aconteceu neste espaço.

 

casamento ao ar livre monte do ramalho casamento ao ar livre monte do ramalho

Deixo ainda mais 5 ideias que adorei: a primeira para um estilo boho mais romântico, as duas seguintes enquanto exemplo de como a mesma ideia tem resultados fantásticos e diferentes – um estilo mais “lírico” e clássico vs um rustic chic minimalista  – e, por último, uma proposta mais irreverente e original, em plena comunhão com a natureza,, e uma das tendências atuais, um altar em triangulo com as famosas pampas. Tudo retirado do Pinterest (espreite o nosso Pinterest!)

 

cerimónia de casamento ao ar livre estilo boho romantico noivos beijo altar de casamento ao ar livre natureza flores casamento ao ar livre altar original natureza árvore

casamento ao ar livre natureza floresta boho

altar triangulo pampas noivos estilo boho

O decor da festa

No que diz respeito ao decor de mesas e o espaço, não preciso de ir muito longe para dar a uma sugestão. É só ir de novo até à nossa seleção de fornecedores de casamento e falar-vos, mais uma vez, do espaço Monte do Ramalho, pois será o local ideal para um casamento ao ar livre no campo estilo boho, com o plus de se encontrar numa das regiões mais bonitas do nosso País, o Alentejo, com planícies a perder de vista e uma paisagem que combina com sol, calor e um ritmo compassado.

 

monte do ramalho mesa madeira rustica chic noho arranhos florais monte do ramalho casamento outdoor ar livre mesas brancas estilo rustico chic boho monte do ramalho casamento outdoor ar livre mesas brancas estilo rustico chic boho monte do ramalho casamento outdoor ar livre noite luzes casamento iluminação

Entrando mais no campo dos detalhes, adorei este cantinho decorativo que mostro abaixo, sendo ideal para fotos e adornado com macrame, uma técnica de tecelagem antiga que voltou como tendência e que, hoje, é um must para os casamentos boho. Original e eco friendly, o macrame pode ser usado em tudo: nos detalhes decorativos, arranjos florais e até no vestido de noiva. Mais inspiração deste casamento lindo no site Wedding Chicks.

 

A noiva

E chegamos à noiva, o centro de todas as atenções (o noivo que me desculpe, mas vai já a seguir…). E aqui encaixamos o estilo boho chic, que os especialistas definem como uma mescla do folk, hippie, romântico e country. Sim, pode parecer uma grande salganhada, mas a verdade é que são estilos que conversam bem entre si e que convergem na leveza e no conceito “liberdade” que o boho chic exige.

 

Assim, os vestidos de noiva boho chic querem-se fluídos e esvoaçantes, não necessariamente simples e minimalistas – embora também o possam ser – e menos exuberantes do que os vestidos mais tradicionais. Destacam-se também elementos como a renda (a guipur, por exemplo), pouco brilho e pedraria, franjas e tule. Isto e: perfeitos num casamento ao ar livre! Aqui ficam alguns modelos que selecionei.

 

Começo com um modelo que adorei de Joana Montez, o Top Alice + vestido Vee, que é é leve, feito com um bonito tule de bolinhas e umas mangas e folhos de suspirar. Um pouco de folk, até de vintage, numa mistura super romântica, ideal para um casamento ao ar livre no campo, ao estilo boho. Aliás, a coleção Flowing 2021 da estilista é, toda ela, mais uma vez de inspiração boho.

 

Sigo com o Gio Rodrigues e dois modelos inseridos na sua coleção Bridal 2021, mais uma vez dirigida a mulheres que partilham o gosto pela expressão máxima da feminilidade, com peças de onde se destacam as  rendas, o tule e as transparências em tons branco puro, bem como saias esvoaçantes e doses extra de elegância.

 

Adoro o primeiro modelo de duas peças, que exala uma sensualidade recatada, é moderno e ideal para noivas com forte personalidade. O segundo tem um tom mais romântico, minimalista e leve, que combinado com aquela coroa magnífica de flores lhe dá o toque que se espera para um delicioso casamento ao ar livre.

 

vestido de noiva duas peças vestido gio rodrigues decote V fluído folhos noiva com ténis

Repararam nos ténis? Se é too much, mas a ideia do conforto, do toque moderno e da irreverência agrada, aqui fica um modelo mais girly. Também do Gio Rodrigues.

 

tenis noiva branco rosa gio rodrigues

O noivo

Para o noivo estilo boho, há varias opções: o fato com o lacinho ou um camisa com suspensórios e com laço ou gravata. No caso do fato, não me inclino tanto para a gravata, para fazer uma distinção dos casamentos mais tradicionais. Ah, e colete gosto do colete! Mas eis duas sugestões, a primeira retirada do Instagram SB e a segunda do portofólio de Feel Creations – Wedding Photo & Film.

 

boutonnier noivo camisa branca suspensórios

noivo em casa com camisa e suspensorios

3 conselhos para organizar um casamento ao ar livre

Não podia dar por terminado este nosso lindo quadro de inspiração sem reunir alguns conselhos para quem está a pensar casar debaixo do azul ou das estrelas do céu. Porque, se é verdade que é um estilo de casamento sinónimo de romantismo e beleza natural, mágico e tranquilo,  também envolve muita logística.

1. Casar ao ar livre num ambiente fresco

Se vai casar nas estações quentes do ano ou em localizações onde as temperaturas são habitualmente elevadas, pense na comodidade dos seus convidados (e na vossa!), preparando vários locais com água e outras bebidas refrescantes. Por seu turno, opte por espaços com árvores que proporcionem sobra natural e/ou pela montagem de alpendres ou tendas ao ar livre, que além de protegerem do sol e do calor, propiciam um charme adicional ao evento.

 

Pode também oferecer lembranças de casamento diferentes e/ou disponibilizar itens facilitadores, como sombrinhas, chapéus, leques personalizados, etc.

 

mesa casamento boho chic rustico madeira alpendre luzes mesa casamento boho chic rustico madeira alpendre luzes

Fotos ilustrativas retiradas do site Boho Weddings

2. Cuidados com a comida

Outra das preocupações a ter num casamento ao ar livre é com a comida e sua boa conservação. Por isso, não a exponha demasiado tempo ao calor e prepare um espaço de refrigeração (não esqueça o bolo!). Lembre-se também de a proteger da poeira, das folhas ou flores que fazem parte do seu cenário de amor.

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

3. Preparados para tudo!

Quem decide fazer um casamento ao ar livre deve ter algumas precauções extra, tendo em conta a envolvência. Não será demais ter um kit de primeiros socorros e repelentes de insetos. Não esqueça também sinalética no terreno, de aviso, caso este seja muito irregular.

Por fim, lembre-se também do Plano B para condições atmosféricas imprevistas, deixando toda a logística preparada caso seja necessário passar a festa para um local fechado ou para garantir aquecimento no exterior ou mantinhas para noites mais frias, etc.

 

fire foto de feel creations

Espero que tenham gostado. Até breve!

 

 

Ana Apolinario

Trends Station: tendências de casamento pós-covid

A viragem do ano prometia. Respirava-se um otimismo tão generalizado, que acabou por ter consequências perversas e conduziu-nos a um novo shut down em janeiro, com todos os eventos suspensos e a incerteza do dia de amanhã. No entanto, a grande diferença que existe hoje, em relação ao início desta pandemia da Covid-19, é que há um ano atrás não conseguíamos ver um horizonte, mas apenas uma autoestrada interminável, sombria e deserta. Já nos dias que correm, e apesar de ainda não termos chegado ao nosso destino, existe na sociedade uma esperança real, sendo possível vislumbrar sinalética pelas bermas da estrada, que indica um caminho. Temos mais conhecimento, mais ferramentas e, no nosso sector, a experiência dos casamentos que se efetuaram em 2020 e que acabaram por determinar novas tendências de casamento pós-covid, numa espécie de renascimento do nosso universo nupcial.

 

Então, o que mudou? Como será organizar um casamento lindo pós-Covid em 2021?

 

É esta reflexão que vamos agora fazer, no arranque de uma viagem pelas tendências nacionais e internacionais que começa hoje no Simplesmente Branco, com lugar marcado na primeira semana de cada mês.

 

Preparados?

 

beijo dos noivos cerimónia civil casamento ao ar livre

Regra número para um casamento pós-covid: Planos B e C!

Antes de mais, há que encarar uma realidade que é transversal a todos os que pretendem casar em 2021 e consensual entre todos aqueles que contribuem para a sua organização: não basta ter um plano B para o grande dia, é também imperativo ter um plano C.

 

Sei que ninguém gosta de falar em planos alternativos, quando o que se quer é um Plano A a correr na perfeição. Mas a verdade é que, tal como se faz um plano de contingência para o mau tempo ou para qualquer outra condicionante, neste momento temos de prever e cobrir todas as possibilidades, pois, infelizmente, ainda temos de conviver com este novo coronavírus e contar com a incerteza de regras governamentais e eventuais mudanças nas normas sociais.

 

Por isso, sejamos otimistas, mas sempre com os pés bem assentes na terra. É bom estarmos preparados. Assim – e só assim – será verdade que vai tudo correr bem!

 

Noivos em relvado por-do-sol jardim a dançar

Mudanças de paradigmas com o impacto da pandemia

A Covid-19 tem vindo a deixar marcas em todos os sectores de atividade e, obviamente, na vida das pessoas e na forma como acabam por perspetivar tudo o que nela acontece. No mercado nupcial, em particular, afetou alguns paradigmas  – e, quem sabe, alterou-os para sempre… – remexendo na própria experiência do casamento, com inúmeras tendências a demarcarem-se do conceito do casamento tradicional.

 

Um deles tem a ver, precisamente, com as condicionantes e exigências da nossa “nova normalidade”, nomeadamente com o impedimento de grandes ajuntamentos e do distanciamento social, que é obviamente uma parte muito importante dos casamentos que conhecemos. Deparamo-nos, assim, com a tendência crescente de um menor número de convidados e  – atenção – do desaparecimento do elemento dança, que, para mim, é algo quase anti natura, pelo que acredito genuinamente que não veio para ficar.

 

O que, muito provavelmente, veio para ficar, foi o conceito mais íntimo de casamento e o facto das pessoas começarem a fugir do pretensiosismo, tendo consciência de que o seu casamento não precisa de ser uma “grande montra” e que é possível – e apetecível – fazer algo mais natural. Parece haver, de facto, uma apetência mais reforçada do “simples”, enquanto sinónimo de “mais emocionante”.

 

Por seu turno, a pandemia permitiu que os casais tivessem muito mais tempo para pensar no que realmente querem de uma celebração, acentuando-se também uma preocupação pela sustentabilidade, por casamentos mais ecológicos e com menos desperdício, isto é, casamentos mais positivos do ponto de vista ambiental. Mas não só. Apesar de já nos termos dado conta de que o mundo, afinal, não mudou assim tanto, a verdade é que fomos surpreendidos por gigantes ondas de solidariedade, que se refletem também nos casamentos e no engrandecimento de tendências que já se vinham a afirmar no mercado, como optar por donativos para organizações sem fins lucrativos como presentes dos convidados. Casamentos, portanto, também mais positivos do ponto de vista social.

 

noivos a abraçarem-se cerimonia civil casamento ao ar livre

Friday, I’m in Love

Sim, os The Cure sabiam: é muito fácil apaixonarmo-nos pela sexta-feira.  Neste caso, como um dia perfeito para casar. Assim como o domingo. E até qualquer outro dia da semana. Pelo menos, foi isso que a pandemia da Covid-19 nos fez ver ou equacionar, não apenas porque se tornou mais difícil remarcar datas de casamentos que tiveram de ser adiados, mas porque a obrigação do teletrabalho  – que é mais uma alteração de paradigma que muitos defendem que também veio para ficar – permite uma maior flexibilidade aos convidados.

 

De qualquer forma, falar de casar a uma segunda ou terça-feira talvez ainda seja demasiado prematuro para a nossa realidade (a não ser que seja véspera de feriado…), mas sexta ou domingo é cada vez mais uma opção viável para os noivos portugueses, que conseguem ver já nestes dias as vantagens que há muito se vinha até a ressalvar, ainda que por força das circunstâncias.

 

E que vantagens tem casar a uma sexta-feira ou a um domingo? 

 

Entre outras, e em primeiro lugar, a liberdade de escolha de datas. Quer queiramos, quer não, serão sempre dias menos solicitados, pelo que permitirá escolher a data do casamento com mais calma e descontração.  Consequentemente, há também mais fornecedores disponíveis e opções de budget mais amigáveis. Por seu turno, terá menos hipóteses de estar a casar no mesmo dia da amiga que tem em comum com quase todos os seus amigos e ganha um fim-de-semana extra com os seus amigos e familiares, pois casando à sexta terá dois dias pela frente para poder estar com convidados que vieram de fora e se casar a um domingo terá a oportunidade de juntar todos os seus entes queridos um ou dois dias antes, para fazer um almoço em família ou, quem sabe, um jantar de ensaio, como tradicionalmente se faz em muitos outros países.

 

Noivos apaixonados noiva olhos bonitos cabelo preso e veu fato de noivo azul
Foto: Pedro Filipe Fotografia

Baby, It’s cold outside

E hoje só me lembro dos clássicos… Mas a verdade é que estar frio lá fora deixou também de ser um impedimento para casar. A pandemia da Covid-19 impulsionou a necessidade de mudança em quase todos os aspetos das nossas vidas e os noivos pelo mundo inteiro passaram também a perspetivar um casamento nas estações do ano mais frias como uma boa alternativa.  Assim, e apesar de, com toda a certeza, a maioria dos casais continuar a preferir as alturas do ano onde as incertezas climáticas são menores (atenção que o calor em excesso também não é nada agradável!), muitos casais já se aperceberam que um casamento de Inverno pode ser igualmente bonito e super elegante, e que dizer o “Sim” sob o crepúsculo do final de um dia de Outono, com aquela luz mágica e brilho dourado, pode ser o cenário de sonho e sofisticado com que sempre sonharam para a sua celebração de amor.

 

Corredor sparkles noivos
Foto: Feel Creations

“Sim, aceito” o casamento minimalista e ao ar livre

Uma das grandes “mudanças” que decorreu deste cenário de pandemia, como já fizemos referência, foi, então, a desconstrução do casamento num formato “monumental” – que, aliás, apenas acelerou, pois tem vindo a acontecer nos últimos anos – abrindo as portas para a viabilização de opções de casamentos mais descontraídos e pequenos, focados na experiência e no conceito de que o “amor está nos detalhes”, nomeadamente casamentos civis cheios de charme ou momentos mais íntimos apenas entre o casal.

 

Aliás, os casamentos, na prática, regressaram ao seu significado mais importante: amor e laços familiar. Como tal, há três formatos que têm conquistado um grande espaço no mercado dos casamentos: o Elopement, o Micro Wedding e Mini Wedding. Todos eles são apostas pós-COVID-19, porque a possibilidade de manter os protocolos de segurança é maior, tornando mais fácil o respeito das regras desta “nova normalidade”, que inclui a convivência com o Sars-Cov-2. Por seu turno, e no contexto de distanciamento social que nos é exigido, os casamentos em espaços ao ar livre ganharam, obviamente, grande destaque.

 

cerimónia civil casamento ao ar livre

cerimónia civil casamento ao ar livre

 

De qualquer forma, e apesar destas novas tendências e formatos, tenho a convicção de que os casamentos de maiores dimensões não irão acabar e uma certeza  com a qual podemos contar, no meio de todos estes receios e ambiguidades:  ninguém vai deixar de casar. Porque o  casamento é um momento marcante da vida de um casal apaixonado, seja apenas pelo seu simbolismo ou um ato movido pela fé que alimenta as mais diferentes religiões. Além de ser um dia único, em que os noivos partilham a felicidade de terem encontrado a sua cara-metade com os seus entes mais queridos, na celebração do amor!

Tendências de casamento pós-covid: envie os seus comentários

É com esta reflexão que termino, para não me alongar demasiado, ainda que com muito por dizer. Porque há, de facto, muito a dizer! Abro, no entanto, o caminho para os comentários, dou a palavra a quem nos está a ler, sejam noivos ou profissionais da área, com a promessa de voltarmos mais profundamente a este tópico, explorando as tendências, detendo-nos em detalhes e nos diferentes elementos que compõem a experiência do casamento.

 

Até breve!

Artigo ilustrado com fotos de: Edgar Dias Photography | Pedro Filipe Fotografia | Feel Creations – Wedding Photo & Film

 

 

Susana Pinto

Casamento a dois em tempo de pandemia: Isabel + Tiago

Hoje abrimos as portas a mais um bonito casamento em tempos de pandemia.

 

A Isabel + Tiago decidiram casar em Agosto, no registo, de forma muito intimista: apenas os dois!

E que bonito e doce tudo isto é, mostrado através da lente da Ana Teresa Miranda, amiga de longa data da noiva.

 

Dizemos tantas e tantas vezes por aqui: o mais bonito dos dias pode tomar muitas formas, se é a vossa cara, então está tudo certo.

Nem todos precisamos de uma centena de pessoas à nossa volta (ou mais, ou menos) para vivermos, olhos nos olhos, este momento tão pessoal.

A felicidade palpável que vemos nestas fotografias é a prova absoluta disso mesmo!

 

Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Imaginamos passar o nosso dia rodeados da família e amigos. Era o mais importante.

 

Perante a mudança de cenário, em que momento começaram a repensar o plano?

Planeámos o casamento com menos de um mês de antecedência. Com a pandemia, organizar uma festa estava fora de hipótese. Acreditamos que muitos convidados não iriam sentir-se confortáveis em estar presentes ou a recusar o convite. Sentimos que esta era a altura certa para darmos este passo e não quisemos adiar. Por isso, optámos por estar apenas os dois.

 

Bouquet de noiva campestre Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda

Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda

Como geriram esse processo e tomada de decisão? Foi mais difícil o processo logístico ou a decisão pessoal?

O casamento foi planeado desta forma desde o início e em segredo. Logo, não houve problemas do ponto de vista logístico. Combinámos não contar sequer à família mais próxima, porque não podiam estar todos connosco e não queríamos deixar ninguém de fora. Imaginamos o quão difícil seria não estar presente.

 

A experiência vivida é fiel à expectativa inicial ou acaba por ser muito diferente?

O nosso dia foi perfeito. Foi tal e qual como planeámos.

 

Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda

Para vocês, o que era fundamental? E sem importância?

Queríamos viver o nosso dia juntos. Temos a percepção que em alguns casamentos ditos normais os noivos estão tão preocupados que tudo corra bem que acabam por não usufruir do momento juntos.

Dispensamos uma grande festa.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Tratámos de tudo de forma relaxada, mas foi difícil levar emprestado os brincos da minha avó (afinal, ninguém sabia o motivo do pedido)!

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

O verdadeiro SIM!

 

Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda

Um pormenor especial…

O casamento foi organizado em segredo e só comeáamos a contar à nossa família e amigos no dia seguinte.

 

A vossa perspetiva do que é “o mais bonito dos dias!”, o seu formato, mudou ou haverá uma bela festa assim que possível?

Adorámos o nosso dia e não mudávamos nada! Se um dia mais tarde surgir uma oportunidade, gostávamos de celebrar o nosso casamento com quem nos é mais próximo, de uma forma simples e intimista.

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Usufruam de cada segundo. Deixem-se mimar. Este é o vosso dia!

 

Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda Casamento civil em tempo de pandemia, com fotografia de Ana Teresa Miranda

O amor é universal e não é preciso dizer mais nada. Que dia bonito este!

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

fato do noivo e acessórios: Sacoor Brothers, Timberland e Festina;

vestido de noiva e sapatos: Claud (Braga) e Elo Sapataria (Barcelos);

maquilhagem e cabelo: António Cabeleireiros (Guimarães)

bouquet de noiva: Flores com Amor (Barcelos);

fotografia: Ana Teresa Miranda Fotografia.

Susana Pinto

Dicas para casar: vamos pensar num casamento de outono ou inverno?

Hoje decidimos assumir um cenário muito provável e, nas nossas dicas para casar,  vamos falar de casamentos de outono e inverno, as principais diferenças que importa gerir e, também, todo o charme acolhedor que podem ter!

 

Toda a nossa escala de prioridades está, neste momento, virada de cabeça para baixo e esta mudança de hábitos forçada está a colocar muito do que tínhamos como normal ou expectável, sob outra perspectiva. E, claro, os casamentos também estão incluídos nesta lista de reflexões – falámos sobre isso na nossa newsletter da semana passada e retomamos hoje o assunto.

O meu palpite pessoal é pouco optimista: teremos uma janela de oportunidade entre Setembro e Novembro, um pós-isto-tudo e um pré-uma-possível-nova-vaga-invernosa. Os casamentos serão forçosamente diferentes, a forma como celebramos e que queremos desse dia, também, tal como o orçamento disponível e a forma como o investimos. Tudo factores muito pertinentes, que deixarei para outra ocasião. Reforço que isto é apenas uma opinião pessoal e muito cautelosa, e qualquer cenário melhor que este, desde que realista, será absolutamente fantástico.

 

Vamos à procura do charme dos casamentos de outono e inverno?

Junta-se a mim a Teresa Perdigão, da Something Borrowed, que faz planeamento e organização de casamentos, e partilha a sua experiência e visão connosco:

 

“Sabemos que não é a primeira escolha da maioria dos casais e em parte acreditamos que não seja apenas pelo inverno em si, mas porque não encaixa nas imagens coloridas e primaveris que aparecem assim que começamos uma pesquisa sobre ideias e inspiração para casar.

Por isso mesmo, quisémos mostrar que um casamento de outono ou inverno pode ter tanto ou mais encanto que um casamento de verão.”

 

Decoração de casamento de inverno, com Something Borrowed Wedding Planning Decoração de casamento de inverno, com Something Borrowed Wedding Planning Decoração de casamento de inverno, com Something Borrowed Wedding Planning

Decoração de casamento de inverno, com Something Borrowed Wedding Planning Decoração de casamento de inverno, com Something Borrowed Wedding Planning VEstido de noiva de Inverno Bouquet d enoiva de outono

A Teresa Perdigão deixa-nos algumas ideias simples e eficazes para desenhar o mais bonito dos dias.

Comecemos pela estrutura do dia e os horários, porque nesta altura há menos horas de luz e é importante ter isso em mente para criarmos momentos acolhedores, com tempo para tudo o que se quer:

 

“Porque os dias são mais curtos e normalmente nos guiamos pelo pôr-do-sol para esboçar os horários dos nossos casamentos – acreditem, os fotógrafos agradecem que lhes reservemos algum tempo durante a essa “hora dourada” de luz perfeita -, poderá fazer sentido um casamento de Inverno começar um pouco mais cedo.

Se a cerimónia começar por volta das 15h, podem acordar sem pressa, fazer um brunch com amigos ou família, e contam com tempo para se prepararem.

Nesta linha, o cocktail terminará por volta das 17h30, o que significa que os fotógrafos vos podem roubar mesmo na hora certa para umas fotografias ao pôr-do-sol, enquanto os convidados vão entrando para o jantar.”

 

Parece-vos cedo?

A verdade é que no Inverno, vai saber-vos bem sentarem-se num espaço acolhedor quando começar a escurecer. E, na verdade, a ideia é que ninguém olhe mesmo para o relógio durante a vossa festa. Quanto mais acolhedora e charmosa for, mais garantidas estão as melhores memórias deste dia!

Se se falamos de ambiente acolhedor e de conforto, vamos falar, claro está, da decoração.

 

A decoração inclui o design de ambiente, do mobiliário aos têxteis, passando pela decoração das mesas e acessórios (pratos, talheres, toalhas, fitinhas, tealights, jarras, candelabros, estacionário, etc.), a paleta de cores e a decoração floral. Todos estes itens devem apontar para um caminho e ambiente únicos, bonito, harmonioso e muito acolhedor. O foco nesta componente da festa será transformador do dia e do evento – se no verão passamos muito tempo ao ar livre, dentro de portas há menos horizonte e espaço, pelo que esse investimento na criação de um ambiente especial fará muito sentido.

 

“Em relação às flores o nosso conselho é simples e o mesmo durante todo o ano: escolham flores de época. Terão a garantia de que vão manter-se bonitas e frescas durante todo o dia e a adaptação que possam ter que fazer aos tons que idealizaram será certamente pouca.

É claro que podem considerar um ou outro apontamento de cor com alguma flor em particular que possa ser importada, mas tenham em conta que essas flores não só serão mais caras como menos resistentes ao ambiente quando forem trazidas para o inverno.

A nossa sugestão? Escolher talvez um tom forte – e aqui a aposta foi o bordeaux cujo contraste adoramos, e jogar com uma decoração em tons mais pastel que ilumine e destaque uns elementos dos outros.

Lembrem-se que além das flores, podemos jogar com muitos outros elementos decorativos e materiais gráficos para completar o look que idealizaram.”

 

A Teresa tem toda a razão – e se pensarem na oferta floral habitual em Novembro, o tempo das dálias, crisântemos, anémonas, amarilis, scabiosas, há todo um universo de flores bonitas, algumas para descobrir. E caso vos interesse explorar, sobretudo as meninas mais artísticas, há opções em papel, como as magníficas flores de papel da Ana Jordão.

Nos têxteis, não deixem de incluir o veludo e algumas cores ricas, como aquela paleta que os ingleses chamam de jewel tones. Funciona na perfeição e é transformadora do ambiente!

 

Decoração de casamento de inverno, com Something Borrowed Wedding Planning Decoração de casamento de inverno, com Something Borrowed Wedding Planning Decoração de casamento de inverno, com Something Borrowed Wedding Planning Decoração de casamento de inverno, com Something Borrowed Wedding Planning Decoração de casamento de inverno, com Something Borrowed Wedding Planning Decoraçãod e casamento de Inverno decoração de casamento de inverno

A Teresa Perdigão deixa ainda mais uns conselhos que podem responder às grandes questões, como o frio e a chuva:

 

“Apesar de ser impossível prever o tempo, entendemos que seja mais arrojado sonhar com um casamento de inverno sem chuva ou frio. A solução pode, no entanto, ser mais simples do que parece.

O primeiro passo será um cuidado redobrado com a escolha do espaço e garantir que este tem o conforto que um dia de outono ou inverno pede.

Adoram a ideia de espaços exteriores para o cocktail? E porque não? Garantam apenas que existem zonas cobertas e várias formas de proporcionar conforto e aquecimento a todos – podem ser aquecimentos de exterior (os habituais cogumelos),  ou umas mantas bonitas e quentinhas.

E claro, considerem idealmente o acesso a uma zona interior – alguns convidados vão preferir e caso tenham um dia com mais vento e as soluções de aquecimento no exterior não sejam suficientes, não terão que alterar muito a estrutura do vosso dia ou dos espaços definidos para os vários momentos.”

 

E as fotografias, perguntarão vocês a seguir?

Por muito românticas que possam ser algumas imagens com gotinhas de chuva brilhantes em contraluz, frio e água são péssimos companheiros e é importante que se mantenham secos e quentinhos.

 

“A verdade é que são vão casar no outono ou inverno, acolherem a ideia da chuva será um primeiro passo. E a melhor forma de o fazer, é estarem preparados e descontraídos sobre a inevitabilidade do assunto!

Que tal a encontrarem umas galochas coloridas que possam calçar para irem tirar fotografias, ou terem um guarda-chuva com graça para se abrigarem os dois juntos – sim, só um guarda-chuva!

E porque não multiplicar as galochas e guarda-chuvas para as fotografias de família?

 

O outono e o inverno pedem calor e detalhes que nos aqueçam o corpo e a alma. Porque não aproveitar para fazer o que no Verão não faz sentido?

 

“Mantenham uma pista de dança muito animada para ninguém sentir o frio e quando precisarem de descansar, sirvam-se de uma das vossas bolachas preferidas com uma caneca de chocolate quente.

Ninguém vai recusar o mimo e vão poder dar a conhecer essa parte de vocês que só se revela nos fins-de-semana de chuva – normalmente com aquele dresscode mais descontraído do pijama e pantufas!”

 

Óptimos conselhos da Something Borrowed, aos quais eu ainda acrescento estas ideias: garantam que há bebidas quentes para aquecer as mãos mais frias e pensem em refeições de forno e cozedura lenta, robustas e muito suculentas – uma carne que se desfaz ao toque, um arroz de forno, um bacalhau confitado. Tudo sabores e aromas invernosos, que acompanham com um belo vinho. Na mesa de doces, apelamos aos sentidos: especiarias e sabores de outono, citrinos, compotas e marmeladas, frutos secos e belos queijos, tudo o que seja rico e intenso, e acompanhe um vinho do Porto vintage ou um chá aromático. O chocolate quente e as bolachinhas à ceia, e, para o regresso a casa, frasquinhos de compotas do verão e granola caseira, para um pequeno almoço de festa.

 

Há formas fantásticas de celebrar um casamento no outono e inverno, ainda têm dúvidas?

 

Se estão a tratar da organização do vosso casamento, acompanhem as nossas dicas para casar, sempre à segunda-feira.

 

Passem pela ficha de fornecedor da Something Borrowed, espreitem o portefólio e entrem em contacto com a Teresa Perdigão, através do formulário, que vos vai ajudar a navegar estes tempos e a pensar no mais bonito casamento de outono ou inverno!

 

Fotografia de Jesus Caballero.

 

Susana Pinto

Wedwings: novo serviço de apoio aos noivos no cenário Covid-19

A Wedwings, empresa de wedding planning da Rita Soares-Alves, tem estado a observar este cenário que atravessamos e a pensar nas soluções possíveis que podem ser implementadas de forma a facilitar toda a incerteza em que de repente mergulhámos.

 

No seguimento dos últimos acontecimentos e no sentido de ajudar noivos e parceiros com os processos de adiamento das datas dos casamentos agendas para os próximos meses, a Wedwings decidiu disponibilizar um novo serviço, focado na gestão do adiamento do casamento devido ao COVID-19.

 

Organizar um casamento é uma tarefa complexa, mas na qual está incluído um final muito feliz. Gerir um adiamento, principalmente num contexto tão conturbado e que envolve tantas partes vem acrescido de uma boa camada de nervos, incerteza e, sem dúvida, acreditamos que alguma tristeza também.

Acreditamos que este serviço irá ajudar os casais a encontrarem as soluções mais adequadas para cada caso, apoiando também todos os fornecedores que estão envolvidos e são a outra metade desta equação.

 

Wedding Planner em Lisboa: Wedwings, by Rita Soares Alves Wedding Planner em Lisboa: Wedwings, by Rita Soares Alves Wedding Planner em Lisboa: Wedwings, by Rita Soares Alves

Conta-nos a Rita Soares-Alves:

“Por estes dias tão conturbados que o mundo vive, gerir todas as restrições que nos são impostas, a adaptação a uma nova realidade e a distância dos que nos são mais queridos, família e amigos, passaram a estar na linha da frente das nossas prioridades.

De repente, sem aviso prévio, temos de adiar planos, ideias, sonhos. E festas de casamento. O projecto a que tantos se dedicaram, muito provavelmente, no último ano, vai ter de ser adiado. E para quando? Como?

 

Foi para responder a estas questões que a Wedwings lançou este seu novo serviço.

Se precisam de ajuda, não hesitem em contactar a Rita Soares-Alves, ela irá contar-vos em detalhe tudo o que isto inclui e encontrar as respostas certas para o vosso caso, sempre com carinho e rigor.

 

Susana Pinto

Adiar o casamento – dicas do João makes Photos

Hoje voltamos a falar sobre este processo de adiar o casamento, que arquivamos junto com as nossas dicas para casar.

Apesar de parecer que estamos a andar para trás neste processo de planeamento, mas na realidade apenas alargámos o prazo deste caminho e incluímos algumas decisões novas que precisam de ser navegadas e tomadas.

O João Pedro Correia, que assina como João makes Photos e é um fotógrafo de casamento de mão cheia, decidiu, e muito bem, fazer a sua reflexão sobre este cenário que atravessamos, do ponto de vista da relação entre fornecedor e noivos.

 

Revemo-nos na íntegra neste texto que é claro, transparente e aponta caminhos para navegarmos isto juntos, numa fase de confusão e dúvida.

Partilho integralmente convosco, porque é nos bons conselhos e palavras sábias que nos devemos apoiar!

 

Esta é a minha reflexão enquanto fotógrafo para todos os casais que estão a pensar adiar o casamento devido à epidemia de Covid-19. Se puder contribuir para vos tranquilizar, e lembrar algumas opções que estão à vossa disposição, faço-o agora. Todos os meus clientes até final de Junho já tomaram as suas decisões, e em todos os casos encontrámos uma solução, inclusive por caminhos diferentes do que previa o contrato.

Comuniquem desde já com os vossos fornecedores, mesmo que ainda não tenham decidido o que fazer. E façam-no em simultâneo com todos os profissionais, sejam fotógrafos, espaços, ou audiovisuais, pois será muito importante agir de forma coordenada para evitar, por exemplo, contratar nova data com a quinta e descobrir depois que, entretanto, o fotógrafo ficou reservado.

 

Se ponderam passar o vosso casamento para 2021, sejam rápidos e sejam compreensivos: as datas mais procuradas, como os sábados de Maio e de Setembro, são rapidamente reservadas e podem até já estar ocupadas. Mas estou certo de que em coordenação com o vosso fotógrafo vão encontrar um desfecho que agrade a todos.

Equacionem realizar o casamento num dia útil. Bem sei que não haverá muitos feriados até ao final deste ano, mas pensem que com as transformações que o coronavírus está a impor-nos talvez não seja descabido fazer diferente, e confiar que os vossos amigos vão conseguir justificar no trabalho a ressaca do dia seguinte.

Se a data que escolheram, aquela de que vão ter de abdicar, tem simbolismo além do calendário (afinal, foi por vos dizer tanto que a marcaram), considerem um Elopment: uma cerimónia simbólica a dois, eventualmente com um amigo ou um celebrante, e o vosso fotógrafo, algures no meio do campo, numa montanha ou numa praia deserta — por enquanto as limitações ao abrigo do estado de emergência em Portugal ainda o permitem. E a festa, com a família e os amigos, far-se-á quando pudermos todos abraçar-nos de novo.

 

Só existe uma coisa mais stressante do que organizar um casamento: é adiá-lo. Sobretudo se a decisão nos é imposta por um surto epidémico de uma doença nova, e sob um estado de emergência nunca antes decretado no nosso país. Lembrem-se: estamos nisto juntos. Estamos todos um pouco assustados, vamos todos sofrer o impacto económico da recessão e da crise que vão seguir-se, e estamos todos preocupados com a saúde dos nossos. Vamos ultrapassar esta epidemia juntos, mesmo que, por agora, tenhamos de estar separados.

 

É isto. Calma, bom senso, muita comunicação e olho no caminho comum, de mãos dadas.

Os dias de sol voltarão e estaremos cá para todos os abraços apertados.