Created with Sketch.
Ana Apolinario

Casava-me aqui: Our Quinta

No dia em que arranca mais uma fase de desconfinamento e voltamos a sonhar juntos, animados pelo facto de podermos voltar a casar – ainda que limitados a 25% da capacidade dos espaços – apetece falar de tudo o que envolve esta celebração. No entanto, confesso que o que me desponta mais a vontade de escrever é o local onde tudo acontece. É para lá que a minha imaginação pictórica me conduz, para cenários perfeitos, repletos de amor, sorrisos e felicidade, onde os noivos se rendem ao amor, numa partilha de festa com os seus entes mais queridos. Por isso, hoje no Simplesmente Branco, dedicamo-nos a mais um Casava-me aqui! através do qual vos levamos mensalmente aos lugares mais apetecíveis para casar e celebrar, percorrendo uma infinidade de estilos e localizações.

 

E se o primeiro post desta rúbrica nos levou ao meu querido Alentejo, hoje levo-vos até a uma quinta que, por acaso, também se localiza num local que me diz muito – perto da Malveira, em Mafra -, embora o motivo principal seja mesmo o conceito de casamento mais intimista que faz deste espaço um local ideal para celebrar o amor, tendo em conta os contornos atuais e as tendências para casamentos pós-covid que tanto temos vindo a falar. Além disso, é uma quinta encantadora, totalmente independente e inovadora, que explora ainda a a vertente de Turismo Rural. Curiosos? Eu também. Vamos então, juntos, conhecer a Our Quinta.

 

our quinta casamentos malveira mafra

“Estamos ansiosos para voltar a celebrar momentos únicos com a casa cheia (…) Não precisam de muitos convidados para que o vosso dia seja especial. @ourquinta.oq é um espaço intimista, perfeito para momentos especiais!” – Our Quinta

Muito mais do um local para eventos

A Our Quinta surpreendeu o mercado em 2020, o ano que tirou a tapete ao sector e ao mundo, mas que não impediu que este espaço em Vila Franca do Rosário, na zona de Mafra e perto da Malveira, abrisse as suas portas e deixasse o público rendido à sua originalidade. A filha mais nova do grupo que possui ainda a Quinta do Casal Novo e a Casa de Reguengos, é destinada a eventos mais íntimos, com cerca de 40 a 80 convidados, e possui um charme encantador para os amantes dos casamentos no campo, ao estilo boho rustic chic, com uma decoração cuidada, original, irreverente e moderna.

 

our quinta

our quinta mafra malveira casamentos

Tudo na decoração desta quinta, aliás, me parece tremendamente sedutor, desde a mistura perfeita entre a natureza, o estilo campestre e a simplicidade, que encaixam  no romantismo e na elegância da essência do evento, até ao requinte e sofisticação dos elementos decorativos, como os enormes lustres, mesclados com objetos diferenciadores, como os livros, as cestas de verga ou as abóboras!

 

our quinta casamento rustico chique

our quinta casamento rústico chique mafra our quinta casamento rústico chique mafra our quinta casamento rústico chique mafra noivos casamento rústico boho our quinta mafra malveira our quinta casamento rústico chique mafra

our quinta casamento rustico chique our quinta casamento rustico chique our quinta casamento rústico chique mafra

Por seu turno, o cenário exterior é incrível. Com efeito, com um enquadramento perfeito no seio da Natureza, a quinta cativa-nos de imediato pela magnífica vista, pelo lago e toda a sua envolvência, bem como pela sua luz muito especial, concedida pela completa exposição a poente.

 

noivos ao por do sol natureza our quinta our quinta casal de noivos ao final do dia lago our quinta malveira mafra our quinta lago mafra malveira casamento our quinta casamentos malveira mafra our quinta casamentos malveira mafra

O espaço permite também realização de cerimónias civis e garante total exclusividade. Está equipado com sistema de iluminação LED, sistema de som, videoprojector, sistema de climatização e black out. 

 

Por fim, a cereja no topo do bolo é sua vertente de Turismo Rural, com a oferta de 16 quartos duplos, ideal para quem tem convidados de longe e desejem pernoitar ali após o casamento, podendo desfrutar da festa sem os constrangimentos de ter de fazer uma longa viagem no final. Ou, claro, para os noivos ali passarem a sua noite de núpcias.

 

alojamento our quinta mafra malveira

alojamento our quinta mafra malveira alojamento our quinta mafra malveira

Our Quinta parece-me uma aposta certeira para os noivos que querem um dia feliz mais íntimo, simples e com aquele toque campestre  e único cada vez mais procurado, sem descurar a elegância, a boa comida (têm catering próprio, incluindo opções para celíacos, kosher, vegans, vegetarianos e crianças.) e os serviços que tornam um casamento ainda mais especial (animação e bar aberto, por exemplo).

Our Quinta: um espaço recomendado

A Our Quinta é um fornecedor selecionado do Simplesmente Branco. Por isso, podem encontrar mais informações e contactos detalhados na Ficha de Fornecedor.  Cliquem também no play para ficarem a conhecer toda a vibe do espaço.

 

 

E já sabem se ficaram com vontade de casar aqui, marquem uma visita!

 

Até breve!

Ana Apolinario

Casava-me aqui: Monte do Ramalho

Se o vestido de noiva é a estrela do imaginário coletivo feminino de qualquer casamento, o local onde o mesmo decorrerá será, certamente, o elemento determinante para o sucesso do grande dia. E dos primeiros, claramente, a considerar.

 

Por isso, hoje iniciamos o «Casava-me aqui», que todos os meses vos levará até aos lugares mais apetecíveis para casar e celebrar, percorrendo uma infinidade de estilos e localizações.

 

Começamos com o Alentejo, mais concretamente com a sugestão de um espaço que é um dos nossos fornecedores selecionados: o Monte do Ramalho. Porquê? Destaco três de muitas razões: porque é lindo, porque é uma proposta perfeita para um casamento ao ar livre – que, em consequência do contexto pandémico que vivemos, é hoje das soluções mais procuradas pelos noivos de 2021 – e porque estou, assumidamente, a ser tendenciosa e a deixar-me levar minhas raízes alentejanas!

 

casar no alentejo monte do ramalho

Alentejo

A luz que te ilumina,

Terra da cor dos olhos de quem olha!

A paz que se adivinha

Na tua solidão

Que nenhuma mesquinha

Condição

Pode compreender e povoar!

O mistério da tua imensidão

Onde o tempo caminha

Sem chegar!…

Miguel Torga

 

O fascínio da genuinidade

Outrora casa agrícola, rodeada pela beleza muda da paisagem alentejana, em que as planícies douradas com oliveiras centenárias se prolongam sem fim, o Monte do Ramalho respira uma autenticidade natural encantadora.

Uma herdade típica, com 100 anos de história e com vários espaços para celebrar o casamento que mantêm o carácter puro e genuíno do campo e permitem uma celebração com charme rústico, num estilo descontraído e romântico.

 

ALENTEJO monte do ramalho espaço para casamento

Espaço para casamentos no Alentejo: Monte do Ramalho

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Espaço para casamentos no Alentejo: Monte do Ramalho

Espaço para casamentos no Alentejo: Monte do Ramalho

casamento rustico alentejo monte do ramalho

Para eventos indoor o ex-libris da casa é o Celeiro do Forno, sendo ainda indiscutivelmente cativante utilizar o Museu Agrícola – com peças de interesse que usam muitas vezes para decoração -, inclusivamente como sala de apoio ou o Casão do Baile, para eventos mais pequenos. O espaço conta ainda com uma capela centenária, para a realização de casamentos religiosos, o que é fantástico.

 

No entanto, aquilo que me parece mais adorável é a possibilidade de celebrar o copo-d’água nos seus diferentes espaços exteriores, em perfeita simbiose com a natureza e com o cenário da típica paisagem alentejana a servir de pano à mesa. O spot debaixo das amoreiras, salientado em entrevista por Manuela Estevinha e que remete às noites de verão próprias do Alentejo, debaixo de um céu estrelado, parece maravilhoso. Porque se o dia nos envolve na serenidade da vida do campo, quando a noite cai, volta a fazer-se magia: as luzes acendem-se e proporcionam ao monte uma tonalidade especial e algo muito mágico.

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Destaca-se também a possibilidade de realizar a cerimónia de casamento ao ar livre, no Jardim das Figueiras, onde se respira um ambiente verdadeiramente especial.

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casar no Alentejo

Há tanto para dizer sobre o Alentejo. Não faltam razões para casar aqui. Uma beleza natural de cortar a respiração, uma gastronomia rica que permite escolher menus de casamento que realçam o valor da simplicidade – é só pensar no pão, no vinho, nos enchidos, na sericaia, na açorda ou na deliciosa sopa de cação…! – ou as temperaturas quentes da Primavera ao Outono e pouca precipitação. E claro, maravilhosos por-do-sol e um dos céus estrelados mais bonitos do mundo!

 

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Casamento no Alentejo, no Monte do Ramalho, com fotografia de Madalena Tavares

Monte do Ramalho: um espaço recomendado

O Monte do Ramalho é um fornecedor selecionado do Simplesmente Branco. Por isso, podem encontrar mais informações e contactos detalhados na ficha de fornecedor. Espreitem também os casamentos bonitos que aconteceram neste espaço.

 

E se ficaram com vontade de casar aqui, marquem uma visita!

 

Até breve!

 

Susana Pinto

Dicas para casar: e se o tempo mudar de repente?

Nas dicas para casar de hoje, falamos sobre imprevistos: e se o tempo mudar de repente?

Passámos Março e Abril em casa, regressámos às camisolas de lã, choveu que se fartou e a uma semana de Junho parece que estamos todos de fim-de-semana num daqueles verões tórridos do Alentejo! Isto tudo para vos dizer que a improbabilidade das condições atmosféricas existe e ter um plano B quando estamos a planear um evento ao ar livre, é mesmo importante.

 

Na semana passada, quando vos mostrei um belíssimo casamento decorado pela Inspirarte na Pousada de Amares, foi precisamente isso que aconteceu.

Estava tudo planeado para uma bela cerimónia ao ar livre, no Claustro do Laranjal e em vésperas, toca a recolher para dentro de portas, replicando o mesmo ambiente mágico que estava nas expectativas e sonhos destes noivos. Estas mudanças repentinas, que parecem improvisadas, só correm bem quando os vossos fornecedores estão preparados e à altura da situação. E um bom profissional, maduro e experiente, saberá sempre levar tudo a bom porto: o resultado final e as expectativas iniciais dos noivos.

 

Vamos então falar sobre a mudança de planos (ou a importância de ter um plano B) quando o tempo promete instabilidade ou se altera de repente.

Sentamo-nos à conversa com a Joana Coelho, da Quinta da Quintã, que tem conselhos muito valiosos para vos dar – até porque a Quinta da Quintã tem um “plano de chuva” para que nenhuma surpresa climatérica possa estragar o brilho do vosso dia!

Hoje em dia, e cada vez mais, é complicado prever em antecipação o tempo que se vai fazer sentir na data escolhida com tanta antecedência para um evento. Mesmo os meses que costumavam ser garantia de dias de sol e noites agradáveis, já não são de fiar. – Joana Coelho

«O meu primeiro conselho para os noivos é que, na procura do local para a recepção, ponderem esta questão e escolham com alguma cautela um espaço que ofereça alternativas convenientes para um serviço ‘dentro de portas’, caso seja necessário. Espaços cobertos distintos para os vários momentos da festa, em que os convidados se sintam confortáveis, possam circular e mudar de cenário ao longo do dia (ou da noite, se for o caso), com boas condições térmicas e em que o espírito da festa que idealizaram seja penalizado o mínimo possível caso não possam depender do exterior.»

 

Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography

Assegurado este ponto, e se a previsão meteorológica não for favorável, Joana Coelho recomenda que se desenhe um plano B nas reuniões de planeamento do evento – «o que chamamos na Quinta da Quintã de “plano de chuva”» – para todos os momentos originalmente idealizados no exterior. O facto de se definir este plano com antecedência, e de se comunicar o mesmo aos intervenientes no evento, vai reduzir a tensão no dia e vai permitir que tudo se desenrole com a fluidez desejada. No caso de haver alguns serviços extra contratados exclusivamente para o exterior (como é o caso de fogo de artifício, sparklers, etc.), também é conveniente confirmar com antecedência quais as condições que os respectivos fornecedores oferecem para se alterarem ou até cancelarem os planos feitos. Assim, garante-se que não haverá dissabores no dia em que tudo se quer perfeito.

 

«No caso de haver crianças na vossa lista de convidados, estas não deverão ser esquecidas no planeamento do dia. Pode ser desafiante organizar jogos, brincadeiras e dinâmicas que não necessitem de tanto espaço quanto o que as crianças, quando estão todas juntas, exigem. A melhor forma será contratar animadores infantis que ajudem nesta tarefa e que os orientem ao longo do dia, e pensar num recanto giro para os acomodar. Para os mais pequeninos recomendo um berçário onde os pais possam refugiar-se de vez em quando ao longo da festa e que permita aos mais novos dormir uma sesta longe da confusão.»

 

Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography

Outro ponto que Joana Coelho considera muito importante, senão o mais importante, é a atitude dos próprios noivos, os anfitriões da festa:

«É essencial que se mentalizem de que o tempo é um factor que ninguém pode controlar e que não permitam que isso vos arruíne o dia. Antes pelo contrário, devem abusar da criatividade e boa disposição e tentar usá-lo como um ponto charneira para redefinir a festa e torná-la – porque não? – num casamento “de inverno” maravilhoso (os eventos de inverno são especialmente charmosos, acreditem!). Estou certa de que uma atitude positiva dos anfitriões perante a obrigatória mudança de planos vai ajudar e muito a que a festa seja um sucesso e a que os próprios convidados não sintam que se penalizou de alguma forma o plano original. Isto vai valer a recordação de uma festa fantástica, com uma excelente energia e algumas histórias divertidas de como o improviso tornou este e aquele momento ainda mais especial.»

 

Este improviso refere-se a alguns detalhes ou apontamentos que se podem acrescentar à última hora e que podem contribuir bastante para um evento inesquecível.

Imaginem que é um daqueles momentos de passadeira vermelha e contratem uma pequena equipa de hospedeiros que recebem e acompanham os convidados com guarda-chuvas até ao interior. Este detalhe vai conferir um toque extra de requinte à festa e os convidados vão sentir-se especialmente mimados.

Outra opção, semelhante, é oferecer guarda-chuvas giros aos convidados e fazer com eles uma fotografia fantástica de grupo à chuva, ou mesmo desafiá-los para um ou outro momento no exterior. Podem escolher guarda-chuvas completamente transparentes, para não serem muito ruidosos na fotografia ou, pelo contrário, personalizá-los com o vosso monograma e deixar que os convidados os levem no regresso. Um guarda-chuva a mais dá sempre jeito!

 

Para resguardar do frio (a chuva não é o único elemento do mau tempo), disponibilizem mantinhas que ajudam a contornar o frio num momento especial que se queira no exterior (a Joana conta-nos, por experiência própria, que os convidados gostam mais das mantinhas do que dos chinelos de praia para o baile!) e não se esqueçam de garantir que há aquecedores de exterior junto a conjuntos de sofás ajuda a criar recantos confortáveis de esplanada e a alargar o leque de espaços possíveis nos dias em que não chove mas está frio. Os fumadores vão ficar especialmente gratos!

Por fim, não há nada como exagerar na quantidade de velas dos centros de mesa (que aquecem e criam ambiente) para enaltecer o charme de um jantar brindado com a chuva que cai lá fora!

 

Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography Casamento na Quinta da Quintã, com fotografia de Pedro Lopes Photography

Excelentes conselhos da Joana Coelho! Tenho a certeza de que se sentem mais sabedores e preparados para o cenário imprevisto que todos temos pela frente.

Lembrem-se disto: a vida é feita de imprevistos e este ano está a lembrar-nos muito bem disso. O mesmo acontecerá no vosso dia, por muito bem que esteja alinhado, haverá sempre margem para surpresas, mas não é isso que vai definir as memórias que ficarão. A forma como vocês lidarão com isso, a energia que transportam para o momento é o motor e a âncora dessas memórias, como diz a Joana e muito bem! Um pouco de preparação, boa disposição e confiança na vossa equipa profissional farão a festa!

 

Sobram dúvidas? Falem connosco! E não deixem de acompanhar todas as dicas para casar que vamos publicando, sempre à segunda-feira, que vos ajudarão a sentir-se os anfitriões mais prevenidos do mundo! E se tiverem alguma dúvida, falem com a Quinta da Quintã. Eles são especialistas em fazer com que tudo corra maravilhosamente bem.

Susana Pinto

Dicas para casar: como encontrar o espaço certo para o casamento?

Hoje vamos dar sugestões para encontrar o espaço de casamento.

Depois de termos falado de orçamentos e de fornecedores, o passo que se segue é reservar o espaço que cumpre a visão que têm para o mais bonito dos dias. Nesta altura, já terão uma data preferida e um número de convidados alinhavado, o que ajuda a afinar as escolhas possíveis.

 

O espaço e o catering representam a fatia maior do orçamento, e isso pode ser um bocadinho assustador. Neste caso, a antecedência joga a vosso favor, não só porque há mais oferta disponível, como também vos permite ir reunindo um pé-de-meia com maior tranquilidade.

É muito comum planear este passo com um ano de antecedência. Se estão de olho num espaço particularmente concorrido e nas datas mais procuradas (como os dois primeiros fins-de-semana de Setembro), convém alargar esse timming, para garantir que conseguem o cenário que querem, como o querem.

Por outro lado, se a vossa agenda é mais apertada, uma das soluções passará por flexibilizar a data do grande dia: as sextas-feiras, os domingos, alguns feriados a meio da semana e os meses menos concorridos podem significar diferenças interessantes no orçamento final e assegurar a disponibilidade do espaço dos vossos sonhos – e tudo isto é, claro, válido igualmente para os restantes fornecedores.

 

Espaços para casar: Quinta do Hespanhol Espaços para casar: Quinta do Hespanhol Espaços para casar: Quinta do Hespanhol

Dominado este trio de agenda, data e número de convidados, passamos ao ambiente e decoração. O que procuram, qual é a vossa visão para este belo dia?

As possibilidades são quase ilimitadas: interior, exterior ou ambos? Um hotel urbano e moderno, um restaurante na praia, uma quinta rústica e com vinha, uma galeria  de arte ou sala bonita, um palácio, um jardim, uma casa de família, um monte no Alentejo?

Podemos dizer que qualquer sítio, desde que reúna as condições apropriadas, pode ser transformado no vosso local ideal para casar.

Mantemos a nossa recomendação de sempre, para qualquer tomada de decisão: saber é poder, por isso, façam as vossas pesquisas de fornecedores,  escolham cinco, contactem três. Se não encontram o que procuram à primeira, repitam o esquema.

 

O ponto de partida para sustentar a vossa decisão devem ser os números. A dimensão e tipologia da vossa lista de convidados irá, logo de início, excluir algumas opções, ou porque são muitos, ou porque são poucos. A seguir, o caminho divide-se, grosso modo, em dois: uma oferta do pacote completo ou um desafiante cenário em branco, onde a vossa visão e investimento (de tempo, dinheiro e energia) fará a magia. Ambos têm potencial e resultarão num dia espantoso, cabe-vos apenas perceber o que vos serve melhor, com mais conforto e menos dificuldades e angústias no processo.

 

Na hora de começar as visitas, não saiam de casa sem uma lista de perguntas e questões a esclarecer. Estas são algumas, que achamos fundamentais:

 

  • capacidade da sala;
  • o que está e não está incluído no valor;
  • hora de início e de fim de festa;
  • têm catering próprio ou permitem outros fornecedores da vossa escolha;
  • confirmem o que o espaço permite e o que proíbe (como decoração feita por terceiros ou aluguer de mobiliário extra, por exemplo). Se não gostam, não aceitem a “decoração da casa” com o argumento de que é tendência ou única opção, o diálogo e flexibilidade são sempre o melhor caminho;
  • se pretendem que a cerimónia decorra no mesmo espaço da festa, verifiquem a capacidade dos espaços exteriores, nomeadamente a oferta de sombra (façam contas à posição solar na hora da cerimónia);
  • inspeccionem casas de banho, acessos (estacionamento incluído) e espaços exteriores (sem esquecer, novamente, os pontos de sombra!) Tomem nota também do mobiliário de apoio, aquecimentos para as noites mais frescas, dimensões dos espaços e alguns detalhes de segurança, por causa dos mais pequenos e dos mais velhos;
  • peçam para ver as opções de atoalhados e loiça; caso tenham um ar desgastado, perguntem se é possível alugar outros (o custo deverá estar sempre do lado do fornecedor); e vejam também uma mesa montada, completa.
  • avaliem devidamente o espaço: se é escuro e está em mau estado, a decoração não resolverá tudo, há situações estruturais que não têm solução.

 

Esta visita deverá ser feita com tempo e calma, façam algumas fotografias e tomem notas. É fundamental que inquiram sobre todos os itens e anotem de tudo aquilo de que gostaram mais e menos. E, claro, estejam atentos à forma como vos recebem e como acolhem as vossas dúvidas e sugestões.

Uma boa equipa apresenta diferentes fórmulas e soluções: cada casal tem expectativas diferentes, vivências diferentes e culturas diferentes, e um bom profissional saberá ouvir, interpretar e ler o seu cliente.

E por falar em equipa, assegurem-se de que existe uma articulação bem oleada entre o espaço e todos os outros fornecedores envolvidos.

 

Espaços para casamento: Quinta do Hespanhol Espaços para casamento: Quinta do Hespanhol Espaços para casamento: Quinta do Hespanhol

Se a decoração é por vossa conta (particular ou de um profissional contratado), sejam exigentes e claros, façam as devidas apresentações antecipadamente e afinem e promovam a sintonia entre todas as partes. Detalhar é importante, e por isso acertar responsabilidades, tarefas, timmings e contactos é fundamental para que tudo flua de modo sereno, profissional e ágil. Não se esqueçam de confirmar horários e disponibilidades para as montagens e desmontagens dos fornecedores externos.

E, claro, para que não haja surpresas desagradáveis, deverão sempre conversar sobre um plano B. Certamente estão a pensar em dias soalheiros e temperaturas amenas, mas se o plano principal é ao ar livre, certifiquem-se de que há uma opção alternativa no interior, à vossa disposição e em perfeitas condições de utilização. Confiram a meteorologia na semana anterior, não confiem demasiado na sorte, e se for caso disso, ponham em marcha as alternativas planeadas.

 

Depois de visitarem os espaços que elegeram durante as pesquisas, listem prós e contras de cada um deles. Retomem o contacto com quem vos recebeu, para esclarecer dúvidas e considerar outras opções que não vos tenham ocorrido durante a visita. Façam-no por telefone, que é mais produtivo e poderão trocar ideias na hora, em vez de perder tempo a trocar e-mails.

Com a vossa decisão tomada, vamos às formalidades: confirmem que tudo o que negociaram está no papel, incluíndo informação detalhada sobre cancelamentos, imprevistos, responsabilidades de parte a parte e as condições e formato de pagamento. Se se sentem confortáveis com tudo o que está listado, assinem o vosso contrato.

 

Quinta do Hespanhol - espaco para casamentos

Espaço para casamentos - Quinta do Hespanhol

Na nossa romântica opinião, existe um espaço à medida de cada casamento, grande, pequeno, intimista, festivo, exuberante, singelo. E vocês vão encontrá-lo, não duvidem!
Estejam atentos a todos os detalhes de que falámos – é um investimento demasiado volumoso para ser decidido sem ponderação. Mas escutem, também, o bater dos vossos corações: se acelerar ao entrarem num espaço em particular, se conseguirem ver-vos, e aos vossos convidados, naquelas salas e naqueles jardins, se sentirem um aperto emocionado no peito ao imaginar a primeira dança daquele cenário, se é o sítio onde o “sim” vos põe uma lágrima no canto do olho… então, muito provavelmente, está encontrado o espaço dos vossos sonhos!

 

Sobram dúvidas? Falem connosco, têm a caixa dos comentários inteiramente à vossa disposição. E não deixem de acompanhar todas as dicas para casar que vamos publicando, sempre à segunda-feira.

 

Estas imagens bonitas são da Quinta do Hespanhol, um magnífico espaço nos arredores de Lisboa. Espreitem a sua ficha de fornecedor e marquem uma visita com a Ana Thomaz.

Save

 

Marta Ramos

Aqui podemos ser tantas coisas – na Quinta da Quintã

No início de Fevereiro, a Quinta da Quintã acolheu o já habitual wedding weekend: dois dias de portas abertas para uma demonstração ao vivo do espaço mas também do trabalho do leque de fornecedores exclusivos da quinta. A anfitrião, Joana Coelho, aproveitou a oportunidade para dar asas à sua criatividade e ao seu bom gosto numa pequena sessão de inspiração, fotografada por João Almeida:
«A Quinta da Quintã é uma quinta que está na minha família há muitos anos. A quinta original foi totalmente restaurada e ampliada para acolher a realização de eventos, projeto encabeçado pela minha mãe durante os primeiros anos. A dada altura eu e o João, que vimos ambos de áreas criativas, fomos desafiados pelos meus pais a integrar a equipa, a trazermos eventualmente uma abordagem refrescante a um projeto grande, num mercado imenso e cada vez mais exigente. Na altura tínhamos um atelier de design e outros projetos paralelos, também relacionados com as nossas áreas de estudo – eu tenho formação em design nas Belas Artes e o João em marketing e publicidade.»

Aqui podemos ser tantas coisas, podemos desenhar, esculpir, ilustrar, criar, conhecer pessoas, inspirar, concretizar visões e sonhos, sempre no plano do Amor. E assim foi: viemos já há 11 anos e foi-nos impossível não ficar.

 

Quinta da Quintã - Fotografia de João Almeida Quinta da Quintã - Fotografia de João Almeida Quinta da Quintã - Fotografia de João Almeida Quinta da Quintã - Fotografia de João Almeida Quinta da Quintã - Fotografia de João Almeida Quinta da Quintã - Fotografia de João Almeida Quinta da Quintã - Fotografia de João Almeida Quinta da Quintã - Fotografia de João Almeida Quinta da Quintã - Fotografia de João Almeida Quinta da Quintã - Fotografia de João Almeida Quinta da Quintã - Fotografia de João Almeida

 

Créditos:

 

espaço, styling e flores: Quinta da Quintã
fotografia: João Almeida Fotografia
vestido: Gio Rodrigues
maquilhagem e cabelo: Estefânia Genovese
modelo: Ana Jorge

 

Para saberem mais sobre este belo espaço, o que por lá se faz e como se faz, ACOMPANHEM OS NOSSOS POSTS acerca do trabalho sempre impecável da Quinta da Quintã.Save

Marta Ramos

Wise words: e se o tempo mudar de repente?

Ainda agora recebemos a Primavera de braços abertos – e que bonitas dias ela nos trouxe – e já temos neve no cimo das nossas serras mais altas. O que levanta uma questão preocupante em relação ao vosso casamento: e se o tempo mudar de repente?
Para ficarem descansados, falámos com Joana Coelho, da Quinta da Quintã, que tem conselhos muito valiosos para vos dar – até porque a Quinta da Quintã tem um “plano de chuva” para que nenhuma surpresa climatérica possa estragar o brilho do vosso dia!

Hoje em dia, e cada vez mais, é complicado prever em antecipação o tempo que se vai fazer sentir na data escolhida com tanta antecedência para um evento. Mesmo os meses que costumavam ser garantia de dias de sol e noites agradáveis, já não são de fiar. – Joana Coelho

«O meu primeiro conselho para os noivos é que, na procura do local para a recepção, ponderem esta questão e escolham com alguma cautela um espaço que ofereça alternativas convenientes para um serviço ‘dentro de portas’, caso seja necessário. Espaços cobertos distintos para os vários momentos da festa, em que os convidados se sintam confortáveis, possam circular e mudar de cenário ao longo do dia (ou da noite, se for o caso), com boas condições térmicas e em que o espírito da festa que idealizaram seja penalizado o mínimo possível caso não possam depender do exterior.»

Assegurado este ponto, e se a previsão meteorológica não for favorável, Joana Coelho recomenda que se desenhe um plano B nas reuniões de planeamento do evento – «o que chamamos na Quinta da Quintã de “plano de chuva”» – para todos os momentos originalmente idealizados no exterior. O facto de se definir este plano com antecedência, e de se comunicar o mesmo aos intervenientes no evento, vai reduzir a tensão no dia e vai permitir que tudo se desenrole com a fluidez desejada. No caso de haver alguns serviços extra contratados exclusivamente para o exterior (como é o caso de fogo de artifício, sparklers, etc.), também é conveniente confirmar com antecedência quais as condições que os respectivos fornecedores oferecem para se alterarem ou até cancelarem os planos feitos. Assim, garante-se que não haverá dissabores no dia em que tudo se quer perfeito

«No caso de haver crianças na vossa lista de convidados, estas não deverão ser esquecidas no planeamento do dia. Pode ser desafiante organizar jogos, brincadeiras e dinâmicas que não necessitem de tanto espaço quanto o que as crianças, quando estão todas juntas, exigem. A melhor forma será contratar animadores infantis que ajudem nesta tarefa e que os orientem ao longo do dia, e pensar num recanto giro para os acomodar. Para os mais pequeninos recomendo um berçário onde os pais possam refugiar-se de vez em quando ao longo da festa e que permita aos mais novos dormir uma sesta longe da confusão.»

Outro ponto que Joana Coelho considera muito importante, senão o mais importante, é a atitude dos próprios noivos, os anfitriões da festa: «É essencial que se mentalizem de que o tempo é um factor que ninguém pode controlar e que não permitam que isso vos arruíne o dia. Antes pelo contrário, devem abusar da criatividade e boa disposição e tentar usá-lo como um ponto charneira para redefinir a festa e torná-la – porque não? – num casamento “de inverno” maravilhoso (os eventos de inverno são especialmente charmosos, acreditem!). Estou certa de que uma atitude positiva dos anfitriões perante a obrigatória mudança de planos vai ajudar e muito a que a festa seja um sucesso e a que os próprios convidados não sintam que se penalizou de alguma forma o plano original. Isto vai valer a recordação de uma festa fantástica, com uma excelente energia e algumas histórias divertidas de como o improviso tornou este e aquele momento ainda mais especial.»

 

Casamento intimista na Quinta da Quintã, com fotografia de Menino conhece Menina.

Este improviso refere-se a alguns detalhes ou apontamentos que se podem acrescentar à última hora e que podem contribuir bastante para um evento inesquecível, como por exemplo:
– contratar hospedeiros para receberem e acompanharem os convidados com guarda-chuvas até ao interior. Este detalhe vai conferir um toque extra de requinte à festa e os convidados vão sentir-se especialmente mimados;
– oferecer guarda-chuvas giros aos convidados e fazer com eles uma fotografia fantástica de grupo à chuva, ou mesmo desafiá-los para um ou outro momento no exterior;
– disponibilizar mantinhas que ajudam a contornar o frio num momento especial que se queira no exterior (Joana Coelho assegura, por experiência própria, que os convidados gostam mais das mantinhas do que dos chinelos de praia para o baile!);
– prever alguns aquecedores de exterior junto a conjuntos de sofás ajuda a criar recantos confortáveis de esplanada e a alargar o leque de espaços possíveis nos dias em que não chove mas está frio;
– por último, não há nada como exagerar na quantidade de velas dos centros de mesa para enaltecer o charme de um jantar brindado com a chuva que cai lá fora.

 

Obrigada, Joana! Sentem-se mais bem preparados agora? Claro que sim! Lembrem-se disto: se correr alguma coisa mal no vosso dia – ou se acontecer alguma coisa fora dos planos, como chuva, por exemplo – não é isso que vai definir as memórias que ficarão. O que as definirá será a forma como vocês lidarão com isso! Um pouco de preparação e muita boa disposição farão milagres.

As fotos que ilustram este artigo foram tiradas pela dupla Menino conhece Menina – na Quinta da Quintã. Sobram dúvidas? Falem connosco, têm a caixa dos comentários inteiramente à vossa disposição. E não deixem de acompanhar todos os artigos de wise words que vamos publicando, sempre à segunda-feira.

Marta Ramos

Um passeio primaveril pelo Monte do Ramalho

O Monte do Ramalho é uma herdade em pleno Alentejo, junto a Avis. Com diferentes espaços amplos dentro e fora de portas, permite a criação de vários ambientes, com total privacidade e conforto e em perfeita harmonia com a tradição e arquitectura local – uma combinação óptima para a realização de uma bela festa. Entre os espaços reservados à produção de eventos, dispõe de três pavilhões cobertos com diferentes capacidades, uma bela eira tradicional alentejana, uma capela com mais de 100 anos que permite a realização de eventos religiosos, uma piscina biológica, um olival a perder de vista e muitos espaços verdes em seu redor.
Conta-nos a Manuela Estevinha: «Éramos apenas uma quinta de turismo rural, quando em 2013 fomos descobertos por um casal, ela de Lisboa e ele de Itália. Adoraram o espaço e principalmente o facto de nunca termos tido nenhum casamento, foram os nossos primeiros noivos. O evento ocorreu em Junho de 2014, totalmente ao ar livre, com a nossa iluminação de arraial e mesas corridas, tudo no exterior. Não tínhamos espaço para plano B e felizmente o bom tempo ajudou. Ainda no mesmo ano, recebemos outro casamento no início de Setembro, e para que se pudesse realizar, fizemos obras numa das nossas salas, porque a existência de um plano B era condição para que o nosso espaço fosse escolhido. Foi também nesta data que o colocámos em prática, choveu torrencialmente no dia do casamento. Em 2015 voltámos a fazer obras no espaço para podermos receber os casamentos com melhores condições, e desde aí até agora temos vindo em crescendo.»
Hoje, na continuação das nossas celebrações pela chegada da Primavera, convido-vos a um demorado passeio por este espaço fabuloso. Mergulhem nas bonitas fotografias de Madalena Tavares, que nos contam em detalhe como foi o dia feliz da Patrícia e do Sérgio. Com calma, com tempo, a contemplar – como pede o Alentejo.

 

 

Tão bom, não é? Espreitem ainda a galeria do Monte do Ramalho, feita de imagens maravilhosas, e contactem a Manuela Estevinha directamente através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.