Created with Sketch.
Susana Pinto

Bolo dos noivos, sapatos de noiva e um belo bouquet: um trio perfeito!

Hoje escolhemos um bolo nos noivos, sapatos de noiva e bouquet de noiva em versão minimalista, no que toca a cores: preto e branco, sempre chique, sempre elegante, sempre impecável.
Para não ser serem escolhas demasiado frias, escolhemos a textura para dar interesse ao conjunto.

Para quem procura um bolo dos noivos diferentes, esta pode ser uma opção surpreendentemente simples: mudamos a forma de cilindro para cubo e já temos uma novidade interessante. Se o cobrirmos com flores de açúcar, como é este caso, o resultado é assim bonito, não vos parece?

E a combinar…? Pois estes magníficos botins pretos e brancos, bordados com flores e folhas, delicadíssimos e tão elegantes… Diria que pedem um vestido de mangas compridos, de tecido mais pesado e menos texturado, como um belo mikado, muito estruturado, e um casaquinho ou cobertura de ombros como este, este ou este.

Opções inesperadas, mas totalmente apropriadas e elegantes para um look de noiva diferente.

Fechamos com um bouquet de noiva escuro, com jarros (ou calla lily) em tons violeta quase negros, a contrastar com a pureza branca da astilbe e dos ranúnculos, em quantidades generosas. Muito diferente do habitual, também, e muito cheio de personalidade, a condizer com o espírito moderno e minimal das escolhas de hoje.

 

Bolo dos noivos diferente, decorado com flores de açucar

 

Botins de noiva, pretos bordados com flores brancas

 

Bouquet de noiva dramático, em tons de preto e branco

 

Drama!. Esta é uma versão moderna sem deixar de ser romântica, de um casamento minimalista e monocromático. Gosto muito!

De cima para baixo, bolo em forma de cubo, coberto de flores de açúcar, feito por Truffle Cake & Pastry, via WedLuxe; botins de noiva pretos, com bordados florais a branco, Zara, por 35,95 euros; bouquet de noiva dramático com ranúnculos e astilbe branca, e jarros quase negros, de Lisa Madigan, via The Lane.

 

Para acompanhar estes nossos trios perfeitos que publicamos todos os domingos, basta que sigam as nossas etiquetas (a partir da homepage) ou aqui no topo do artigo: sapatos e sunday shoes; cake! e bolo; bouquet e um belo bouquet.

Bom domingo!

 

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Susana Pinto

Bolo dos noivos alternativo, sapatos de noiva e um belo bouquet: um trio perfeito!

Um bolo dos noivos alternativo abre o post de hoje. Sim, porque o que estão a ver não são versões alternativas de Magnuns, mas sim porções individuais de bolo… Não é genial?

São da autoria de Raymond Tan, um baker de Seoul, que se dedica a fazer variantes desta ideia, sempre com cores e texturas incríveis e muito espectaculares. Uma ideia a reter e que merece a vossa atenção, porque será o ponto alto da festa! Falem com os vossos pasteleiros de serviço, testem sabores e combinações de cobertura e o sucesso e delícia estão garantidos.

Para um bolo alternativo deste calibre, os sapatos de noiva escolhidos têm de ser igualmente interessantes e alinhados no estilo.Por isso mesmo, escolhi estes botins de veludo rosa  com aplicações de brilhantes e pérolas, ligeiramente inspirados nos anos 70, mas que vão lindamente com um vestido boho com mangas de sino.

Rematamos o trio de bolo dos noivos, sapatos de noiva e bouquet de noiva com um ramo orgânico nestes tons de rosa velho e leite-creme,  com anémonas, heleborus, tão delicado e etéreo… uma maravilha!

 

Bolo dos noivos alternativo

 

Sapatos de noiva alternativos: botins de veludo cor de rosa com aplicações

 

Bouquet de noiva orgânico

 

Diferente, moderno e romântico. Meninas, se achavam que estes três adjectivos não combinavam entre si, espero que tenham ficado agradavelmente surpreendidas!

De cima para baixo, bolo dos noivos  em porções individuais, com diferentes coberturas, feito por Raymond Tan; botins de noiva em veludo rosa com aplicações, Zara, por 45,95 euros; bouquet de noiva orgânico com heleborus e anémonas de Myrtle et Olive.

 

Para acompanhar estes nossos trios perfeitos que publicamos todos os domingos, basta que sigam as nossas etiquetas (a partir da homepage) ou aqui no topo do artigo: sapatos e sunday shoes; cake! e bolo; bouquet e um belo bouquet.

Bom domingo!

 

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Susana Pinto

À conversa com: Jardin d’ Époque – flores para casamento

Hoje  converso com a Ema Ramos, da Jardin D’ Époque – flores para casamento.

A primeira vez que vi o seu trabalho, fiquei curiosa: é desarrumado, esquisito, tem qualquer coisa de bicho – e foi mesmo isso que lhe disse. Ao segundo olhar, percebe-se a inteção, o caminho, a conversa, e isso é muito especial. Porque é novo, porque é inesperado, porque é original e porque é bonito. Exige de nós uma atenção redobrada, uma pausa e foco para entrarmos nesse belíssimo diálogo em que somos recompensados.

Com esta conversa, descobri que temos muito em comum: o rigor, a curiosidade variada e um certo desassobramento em relação ao nosso trabalho. Gostei muito, mesmo!

Fiquem com o trabalho da Ema e, sobretudo, com as suas palavras. Façam uma pausa e deixem-se cativar!

 

Gosto de definir o Jardin d’ Époque como um projecto descomprometido com as regras sedimentadas no mundo da arte floral e extremamente focado nas particularidades daqueles que me procuram e que confiam no meu trabalho.

 

Como é que nasce a Jardin d’ Époque?

A Jardin d’ Époque nasce no momento em que tomo a decisão de regressar a Portugal. Depois de ter vivido alguns anos em França, comecei a sentir a necessidade de me dedicar a um projecto totalmente meu, onde o infinito fosse o limite e onde a criatividade fosse a matéria prima primordial.

 

Como defines a assinatura da Jardin d’ Époque?
Gosto de definir o Jardin d’ Époque como um projecto descomprometido com as regras sedimentadas no mundo da arte floral e extremamente focado nas particularidades daqueles que me procuram e que confiam no meu trabalho. Há uma frase dos fundadores do FLO Atelier Botânico (Antonio Jotta e Carol Nóbrega), uma das minhas referência no mundo das flores, que trago sempre presente e que me ajuda a manter o rumo: “É essencial não se limitar a regras, nem levar tão a sério o que já foi escrito sobre como montar um arranjo. É importante trabalhar com ingredientes frescos, de boa qualidade, mas também com itens menos convencionais. Depois, use sua bagagem estética e privilegie o que combina com você, com seu estilo de vida.”

 

Esse estilo faz parte do ADN da marca ou é um conceito que escolheste para explorar e trabalhar este ano? Porquê?
Mais do que o ADN da marca, creio que este estilo é o meu próprio ADN. Desconstruir linguagens e processos de trabalho sempre foi transversal a todas as áreas profissionais em que estive envolvida. Do ballet clássico à produção cultural, do design à arquitectura… Conhecer a história, o que já existe, o que é produzido… E permitires-te experimentar e dessa forma evoluíres e definires o teu percurso e a tua identidade.

Jardin d'Epoque - decoração floral para casamentos

 

Jardin d'Epoque - decoração floral para casamentos

 

Jardin d'Epoque - decoração floral para casamentos

 

As tendências da estação… São um assunto de trabalho ou apenas fait divers?

Inevitavelmente as tendências estão quase sempre presentes. O Pinterest e o Instagram estão à distância de um clique para toda a gente e é muito comum receber e-mails com pedidos de orçamento acompanhados de “imagens tendência”. O grande desafio, é desenvolveres um projecto a partir das premissas que são as expectativas daqueles que te procuram, em função do teu método de trabalho e das tuas convicções.

 

E as estações do ano, o ritmo de produção de cada época, são influências, contingências ou indiferenças nestes tempos globais?
O nome Jardin d’ Époque não foi escolhido de ânimo leve. Quis que o nome da marca fosse uma alusão directa à forma como gosto de trabalhar. E por isso, o ritmo e as características de cada estação do ano são, sem dúvida, a principal influência no meu trabalho.

 

Ter o controlo das decisões é importante? Tens uma perspectiva perfeccionista e específica sobre o resultado e a forma como queres que o teu trabalho seja mostrado e vivido ou é o prazer de discutir ideias, de criar e acompanhar o processo, que te interessa mais na relação com cada projecto, cada cliente?

Sou extremamente perfeccionista e picuinhas. E é por isso mesmo que discutir ideias e desenvolver um processo de trabalho é de extrema importância para mim. Nos tempos de faculdade, quando estudava arquitectura, na disciplina de Projecto tínhamos assiduamente as chamadas “críticas comparadas” onde discutíamos os exercícios que estávamos a desenvolver. Eram momentos de exposição e discussão que nos faziam repensar o que estávamos a produzir e assimilar novas possibilidades que surgiam na partilha e na crítica. Tento trazer esta dinâmica, hoje, para o Jardin d’ Époque, esteja com um cliente ou com um outro profissional. A partilha permite-nos chegar muito mais longe.

 

A melhor parte de trabalhar com flores e plantas é a energia que elas me dão. Claro que há momentos de tal forma intensos que a última coisa que quero fazer é levar flores para casa! Não sinto aquele cliché do “gosto tanto do que faço que não sinto que seja trabalho”. Eu gosto mesmo muito do que faço mas o sentido de responsabilidade que tenho para comigo e para com os meus clientes não me permite sentir este projecto como uma ocupação de Domingo à tarde. E é isso que torna o Jardin d’ Époque um desafio permanente.

 

Existem fórmulas vencedoras que aplicas ou cada projecto de decoração floral é pensado totalmente de raiz?

Não creio que aplique uma fórmula aos projectos. Desenvolvo-os, sim, de acordo com o meu método de trabalho e esse método evolui de acordo com as especificidades de cada desafio, criando propostas totalmente individualizadas e únicas.

 

Onde buscas inspiração para cada nova temporada de trabalho?

Ai… É muito difícil responder a esta pergunta! Sempre tive imensa dificuldade em focar-me apenas numa área porque tenho imensa curiosidade por uma série de temas, muitos deles, completamente díspares. E a inspiração tanto pode vir de uma peça gráfica ou arquitectónica da Bauhaus, como de um incrível espaço interior contemporâneo branquinho, com apontamentos de mármore de Estremoz e madeira clara de pinho… No fundo, ela pode espreitar de um qualquer pormenor que se cruze comigo nas tarefas diárias!

 

E nos momentos de fadiga criativa, como refrescas a mente e o olhar?

Esta é mais fácil! Pego na Margarida e na Bolota e vamos até à Praia da Luz… Eu tomo um café e elas fazem buracos na areia! É incrível o privilégio que temos na nossa localização geográfica. A proximidade com o mar é um bálsamo para os momentos mais intensos e o facto de ter vivido durante algum tempo longe dele, faz-me dar-lhe ainda mais valor.

 

Jardin d'Epoque - decoração floral para casamentos

 

Jardin d'Epoque - decoração floral para casamentos

 

Jardin d'Epoque - decoração floral para casamentos

 

Como é o teu processo de trabalho, como crias uma ligação com os teus clientes?

Gosto muito de conversar e, mesmo numa fase inicial, tento estar presencialmente com as pessoas que me contactam. Nem sempre são possíveis as visitas ao estúdio e por isso, muitas vezes, os contactos são feitos através de e-mail ou skype. Mesmo com as “imagens tendência” que referimos há pouco, é muito importante para mim perceber as expectativas, as estórias e os sonhos de cada um. E a partir daí, desenhar um plano. Começo pela definição de uma paleta de cores, selecção de espécies e construção das estruturas das peças florais no chamado mood board. E numa fase posterior, desenvolvo todo o processo através do desenho, fotografias e maquetas. Quando trabalhamos com elementos vegetais há coisas muito difíceis de definir… Não conseguimos adivinhar a dimensão exacta de determinada espécie… Nada nos garante que não existirá uma praga que colocará em causa a maturação “daquela” flor… Mas acredito que desenvolver um projecto de design floral à semelhança de um projecto de design de produto ou de arquitectura permite-me deixar portas abertas para soluções de eventuais problemas. E, acima de tudo, permite que os meus clientes percebam toda a minha dedicação e entrega.

 

Qual é a melhor parte de trabalhar com flores e plantas, em decoração? E o mais desafiante e difícil?

A melhor parte de trabalhar com flores e plantas é a energia que elas me dão. Claro que há momentos de tal forma intensos que a última coisa que quero fazer é levar flores para casa! Não sinto aquele cliché do “gosto tanto do que faço que não sinto que seja trabalho”. Eu gosto mesmo muito do que faço mas o sentido de responsabilidade que tenho para comigo e para com os meus clientes não me permite sentir este projecto como uma ocupação de Domingo à tarde. E é isso que torna o Jardin d’ Époque um desafio permanente.
Difícil, difícil… É ter de limpar o estúdio depois de dias intensos de trabalho em que todas as tesouras desapareceram e, afinal, estavam camufladas no meio dos desperdícios de folhas e pétalas!

 

Qual foi o casamento em que mais gostaste de trabalhar? Porquê?

O casamento que mais gostei de fazer foi precisamente o primeiro em que a primeira frase do e-mail de contacto dizia: “descobrimos o teu trabalho através do Simplesmente Branco”. Tinha terminado de empacotar as minhas coisas em França, a transportadora viria no dia seguinte e restava apenas o computador em cima de um pequeno aparador. O e-mail era escrito em francês!  E de repente, comecei o projecto de um casamento na deliciosa Comporta!
Todo o processo foi maravilhoso, pelos lugares e pelas espécies que a Justine e o Paulo elegeram. E o mais incrível foi o privilégio de desenvolver o projecto de design floral para um espaço como o Sublime Comporta, onde a articulação com a arquitectura e com as peças de mobiliário contemporâneos me deixaram como peixe num oceano!
O facto do casamento ter sido bem longe do Porto também me permitiu perceber que a ambição que tenho de executar projectos em todo o país e mesmo fora dele é possível e exequível, se meticulosamente planeado e com os maravilhosos e incansáveis fornecedores de flores de corte com quem trabalho.

 

Escolhe uma imagem favorita do teu portfolio e conta-nos porquê. 

Esta imagem é uma das minhas favoritas por várias razões. Foi o bouquet que construí para o primeiro editorial para o qual me convidaram a participar. A primeira vez que senti e vivi o trabalho de equipa entre vários fornecedores de serviços do mundo dos casamentos e a incrível confiança e liberdade que depositaram no meu trabalho. Liberdade que me permitiu construir uma peça “descabelada”, mesmo como eu gosto, utilizando flores de compra e amoras silvestres que colhi numa tarde de Agosto e às quais retirei todos os espinhos, bagas de campos abandonados, dálias oriundas de bolbos que já estiveram no jardim da minha avó e que a minha mãe replantou, hortênsias do jardim de casa dos meus pais… É uma imagem que me traz memórias e estórias.

 

bouquet de noiva Jardin d' Époque
Os contactos detalhados da Jardin D’ Époque estão na sua ficha de fornecedor. Espreitem a galeria, vejam as imagens bonitas e contactem directamente a Ema Ramos através do formulário: é só preencher com os vossos dados e mensagem, e na volta do correio, terão uma resposta simpática.

 

Acompanhem estas nossas conversas longas com fornecedores seleccionados Simplesmente Branco, sempre à quarta-feira!

 

Susana Pinto

Bolo dos noivos, sapatos de noiva e um belo bouquet: um trio perfeito!

Um bolo glorioso abre o trio de bolo dos noivos, sapatos de noiva e bouquet de noiva de hoje.

4 andares cobertos de creme e uma imensidão de flores naturais em tons de outono a decorar, fazem deste bolo dos noivos , com quase um metro de altura, o foco da festa, com certeza!

Para não competir pela atenção, fui à procura de uns sapatos de noiva finíssimos e com interesse acrescido. A escolha apontou para estes pumps de veludo cristal dourado, da Mango e em promoção, por um belíssimo e muito apetecível preço (também vale para as convidadas da festa, que são bem giros e versáteis!): 19,99 euros, com as promoções da meia-estação a supreenderem-nos de forma muito simpática.

Fecho o trio com um épico bouquet de noiva orgânico, com tudo o que há de bonito: rosas, ramagens de jasmim e de ácer, peónias e uma variedade de espécies que não sei o que são, mas de que gosto muitíssimo. Grande, vistoso, muito elegante.

Na vossa opinião, que tipo de vestido de noiva esta combinação de sapatos de noiva, bolo dos noivos e bouquet de noiva está a pedir? Renda ou mikado? Boho ou clássico? Contem-me tudo!

 

Bolo dos noivos com 4 andares, cobertura naked e decoração com flores naturais Sapatos de noiva em veludo cristal dourado Bouquet de noiva orgânico com rosas e jasmim, em tons de outono

 

Isto é o outono em todo o seu esplendor. Não vos parece uma boa altura para casar? Nós achamos mesmo que sim!

De cima para baixo, bolo dos noivos  com 4 andares, cobertura cremosa em versão naked e decoração com muitas flores naturais, feito por Amy Cakes, via Junebug Weddings; sapatos de noiva em veludo cristal dourado, Mango, em promoção de outono, por 19,99 euros; bouquet de noiva orgânico com rosas e ramos de jasmim, de Jardine, via Nouba.

 

Para acompanhar estes nossos trios perfeitos que publicamos todos os domingos, basta que sigam as nossas etiquetas (a partir da homepage) ou aqui no topo do artigo: sapatos e sunday shoes; cake! e bolo; bouquet e um belo bouquet.

Bom domingo!

 

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Susana Pinto

Bolo dos noivos, sapatos de noiva e um belo bouquet: um trio perfeito!

Começo sempre o meu trio de bolo dos noivos, sapatos de noiva e bouquet de noiva a partir dos sapatos, claramente o meu ponto fraco nestes assuntos de casar!

Encontrei estes delicados sapatos de veludo beige, a mais neutra das cores (e que, por isso, combina com tudo), com aplicações que parecem, em simultâneo, pequenas flores e fogo de artifício. Não são perfeitos para esta meia-estação e dias mais frescos? O saltinho kitten, baixinho e elegante, e a tira de elástico a segurar no calcanhar, faz deles perfeitos companheiros de baile. E em veludo, pois continuamos nisto das tendências para durar. Macios, sofisticados, apropriados: tudo em bom!

Mantendo o espírito outonal, encontrei a seguir este bolo dos noivos glorioso, coberto de folha de ouro e ligeiramente rústico – só para não ser demasiado sério, sem perder a sofisticação. Este tem um incrível trabalho manual, já que as suculentas e flores que estamos a ver são todas feitas de açúcar!

O bouquet de noiva é claramente diferente do habitual: uma inspiração selvagem, que junta tudo o que vem da floresta e é apanhado à mão. Bonito, livre, impressionante.

E vocês, meninas, arriscariam  um bouquet assim dramático e desarrumado?

 

Bolo dos noivos com flores de açúcar e cobertura de folha de ouro

 

Sapatos de noiva em veludo beige com aplicações bordadas e salto baixo, via Zara

 

Bouquet de noiva orgânico e selvagem

 

De cima para baixo, bolo dos noivos  com 2 andares, cobertura de folha de ouro e suculentas e flores feitas de açúcar, via Cakes Decor; sapatos de noiva em veludo beige com bordados e salto baixo, Zara, por 35,95 euros; bouquet de noiva selvagem e orgânico, de Merrin Grace Floral Design, via Nouba.

 

Para acompanhar estes nossos trios perfeitos que publicamos todos os domingos, basta que sigam as nossas etiquetas (a partir da homepage) ou aqui no topo do artigo: sapatos e sunday shoes; cake! e bolo; bouquet e um belo bouquet.

Bom domingo!

 

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Susana Pinto

Bolo dos noivos, sapatos de noiva e um belo bouquet: um trio perfeito!

Hoje o trio de bolo dos noivos, sapatos de noiva e bouquet de noiva foi combinado tendo os sapatos como ponto de partida.

Encontrei estes incríveis botins bordados com atacadores de veludo na Zara e fiquei logo apaixonada! Poderão achar que sapatos de noiva pretos é uma péssima ideia, mas eu acho sempre que esta combinação, desde que bem feita na relação entre estilos e modelo, é o equivalente muito feminino ao clássico e irrepreensível smoking do noivo. É intemporal, e este sapatos agora de noiva, terão uma vida longa a seguir porque são muito espectaculares. O importante é que, em termos de styling, tenham a companhia do vestido certo, e neste caso, diria que pedem estrutura e pouca textura, nada que um belo mikado de seda não resolva.

 

Mantendo este espírito clássico, elegante e muito contido, juntei-lhe um bolo de noiva com 3 andares, e cobertura de fondant com texturas sobrepostas e um ligeiro degradé crescente para um muito ténue tom de rosa, quase inesperado, mas muito romântico e feminino.

O bouquet de noiva junta uns discretos apontamentos de preto e um lado orgânico que aquece e equilibra tudo, com ramos de jasmim, anémonas, peónias e rosas, que acrescentam também textura ao vestido que imaginámos ser estuturado e de linhas simples.

E vocês, meninas, arriscariam com uns belos sapatos pretos?

 

Bolo dos noivos com texturas de açúcar

 

Sapatos de noiva pretos bordados com flores e atacadores de veludo

 

Bouquet de noiva orgânico e clássico com peónias, anémonas, rosas e jasmim

 

Clássicos que nunca saem de moda e são apostas com alguma irreverência bonita e inesperada. Estes incríveis sapatos de noiva merecem uma oportunidade e esta combinação acaba de mostrar quão perfeitos podem ser para o mais bonito dos dias – o vosso casamento!

De cima para baixo, bolo dos noivos com texturas de açúcar, via Jen Huang Blog; sapatos de noiva pretos bordados com atacadores de veludo, Zara, por 49,95 euros; bouquet de noiva orgânico, com anémonas, jasmim, peónias e rosas, via 100 Layer Cake.

 

Para acompanhar estes nossos trios perfeitos que publicamos todos os domingos, basta que sigam as nossas etiquetas (a partir da homepage) ou aqui no topo do artigo: sapatos e sunday shoes; cake! e bolo; bouquet e um belo bouquet.

Bom domingo!

 

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Susana Pinto

Bolo dos noivos, sapatos de noiva e um belo bouquet: um trio perfeito!

Bolo dos noivos, sapatos de noiva e um belo bouquet de noiva com estas cores ricas de outono são sempre sinónimos de elegância e sofisticação.

Hoje a paleta que escolhi é uma ode ao vinho do Porto, aos rubis e todos os seus derivados. Gosto muito destas cores outonais intensas. São fáceis de trabalhar e combinar, tanto nas variações de cores como de espécies e materiais. Pensem neste tom rubi: que bem que vai com rosas, do blush ao buganvílea, passando pelo bordeuax escuríssimo, quase negro e com a companhia do dourado. Pensem em dálias farfalhudas, rosas que parecem feitas de veludo, heleborus, urze, flor de cera, verónicas e uma infinidade de outras espécies que alinham nesta paleta de cores.

Escolhi um bolo romântico e de estilo inglês, porque acompanha lindamente os espectaculares sapatos de noiva de tapeçaria, nestes tons quentes e ricos, tão bonitos para casamentos de outono.

Juntei então um bouquet de noiva com o mesmo espírito romântico e outonal, que parece colhido num bosque. Tudo em sintonia com um outono que chega devagar, pede tons intensos e bebidas de sabores ricos.

Parece-vos bem?

 

Bolo dos noivos com flores de açúcar pintadas

 

Sapatos de noiva em tapeçaria com desenho floral

 

Sapatos de noiva em tapeçaria com desenho floral

 

Bouquet de noiva orgânico em tos de rubi e rosa

 

Elegância intemporal com sabor a outono, é a minha definição para este trio de sapatos de noiva, bolo dos noivos e bouquet de noiva. Um brinde aos noivos com um clássico vinho do Porto de colheita vintage é a companhia perfeita!

De cima para baixo, bolo dos noivos com flores de açúcar pintadas, via Love my dress; sapatos de noiva em tapeçaria, Mango, por 39,99 euros; bouquet de noiva em tons de rosa claro, fúcsia e verde seco, via Hello May.

 

Para acompanhar estes nossos trios perfeitos que publicamos todos os domingos, basta que sigam as nossas etiquetas (a partir da homepage) ou aqui no topo do artigo: sapatos e sunday shoes; cake! e bolo; bouquet e um belo bouquet.

Bom domingo!

 

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save