Created with Sketch.
Susana Pinto

Casamento no Funchal: Cristina + Tiago, o amor é partilhado

Fechamos mais um ano de publicações de casamentos bonitos, próximos, emotivos, pessoais e que são o espelho de cada casal que celebra desta forma o mais bonito dos dias. Publicamos quase meia centena de histórias de amor e de partilha, cheias de abraços apertados, algumas lágrimas, sorrisos que não terminam e muitas emoções.
As nossas sextas-feiras são sempre mais ricas, mais especiais, somos também convidados dos nossos queridos noivos e esta partilha colectiva de informação, conhecimento e memórias é um acto de generosidade. Agradecemos de coração cheio, com a responsabilidade e a honra que merece.

O último casamento que publicamos em 2017,  chega-nos do clima tropical do Funchal, é a festa da Cristina + Tiago, pensada com tanto carinho e entusiasmo, a duas cabeças, para que o dia fosse, dizem eles, “a nossa cara, simples, descontraído, natural e genuinamente carregado de bons sentimentos.”

De Coimbra para o Funchal, com dedinho da Molde Design Weddings, da In Love Unique Weddings e toucado da Cata Vassalo, fechamos 2017 com a mesma convicção: “é mesmo isto!”.

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Imaginámos um dia que fosse a nossa cara, simples, descontraído, natural e genuinamente carregado de bons sentimentos. Queríamos que tudo fluísse naturalmente, sem grandes imposições, nem preocupações em cumprir protocolos. Acima de tudo, imaginámos um dia com muita energia positiva com as pessoas que nos são mais queridas, presentes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Foi, acima de tudo, um caminho muito divertido. Adorámos cada fase do planeamento do casamento e vivemos esses meses (foi quase um ano!) em clima de grande entusiasmo. Idealizámos todos os pormenores e preparámos tudo com muito carinho e dedicação. Claro que também foi um caminho com algum stress. Principalmente porque tivemos de organizar tudo à distância (vivemos em Coimbra e o casamento foi no Funchal, terra natal da noiva).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Acho que sentimos isso muitas vezes. Sempre que sentíamos o entusiasmo das pessoas à nossa volta com o nosso casamento. Sempre que tínhamos alguma ideia e a concretizávamos… Mas o autêntico “é mesmo isto”, fomos sentindo verdadeiramente ao longo do próprio dia do casamento, em que vimos tudo o que idealizámos a acontecer e a conseguir até superar as nossas melhores expectativas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

Sabíamos bem qual o estilo de casamento que queríamos e tinha que combinar connosco. Queríamos algo descontraído, emotivo, intimista e intenso.

O maior problema foi mesmo surgirem muitas ideias e ter um noivo que embarcava em todas as loucuras, sem nunca colocar um travão. Todos os pormenores foram pensados por nós e deu-nos um gozo tremendo executar algumas coisas, como os rótulos das garrafas de cerveja que tínhamos para o primeiro brinde, os missais, os livrinhos para as crianças e parte do estacionário. Também contámos com a ajuda das meninas da Molde Design Weddings que conseguiram captar muito bem o nosso estilo e desenvolveram peças lindas. O nosso cunhado Maligno também se revelou uma preciosa ajuda ao executar diversas peças em madeira que idealizámos. O resultado final não nos podia ter deixados mais felizes, e os elogios e sorrisos genuínos das pessoas não nos podiam ter deixado mais orgulhosos.

 

 

 

 

 

 

 

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Fundamental era conseguirmos estar com as pessoas e vivermos tudo com grande intensidade. Demos importância a tudo o que fazia sentido para nós.

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

O mais fácil foi desfrutar em pleno aquele maravilhoso dia. Para o noivo o mais difícil foi encontrar o “pantone” certo da gravata. Para a noiva foi encontrar os brincos. Para ambos, foi pagar a conta no final!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Tivemos vários picos sentimentais durante o dia. Mas se só pudessemos escolher um, escolheríamos o momento na cerimónia onde lemos um texto escrito por nós e que relatava metaforicamente a nossa história e onde demos graças pelo sentimento que estávamos a viver. Tivemos a sorte de ser o Padre Tolentino Mendonça a fazer a nossa celebração e foi um momento verdadeiramente emotivo, do início até ao fim. Desde as palavras sabiamente escolhidas, a toda a serenidade e sensibilidade que só ele nos consegue transmitir. É algo que vamos guardar para sempre como um momento mágico e único!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E o pico de diversão?

A festa foi para nós tão divertida, que toda ela foi um longo pico, dando a sensação que estávamos nas nuvens. Mas a escolher um momento, escolhemos a loucura da nossa entrada na sala de jantar ao som da música “I was born to love you” dos Queen. Nada foi planeado, mas chegámos lá e foi como se disséssemos um ao outro “Isto é tudo nosso!”. Foi engraçado porque, tendo sido o casamento num hotel, vários turistas assistiram à nossa entrada, e deixaram-se também contagiar pela música e animação, fotografando e filmando o momento.

Mas tivemos tantos outros momentos. O discurso do noivo, num registo cómico-sentimental, deixou toda a gente a rir… A nossa primeira dança, que depois de tantos ensaios à porta fechada, saiu um pouco ao lado. Mas divertimo-nos imenso!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um pormenor especial…

A escolha da #bastaquesim logo que começámos a planear o casamento. Trata-se de um regionalismo madeirense, que exprime admiração por algo que aconteceu ou serve para quebrar o silêncio entre conversas. Foi engraçado porque, mesmo antes do casamento, os convidados interiorizaram o conceito e já se referiam ao nosso casamento como o “bastaquesim”.

 

 

 

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Não mudávamos nada. Talvez me tivesse preocupado um pouco menos com as flores e com a decoração e tivesse entrado na igreja um pouco mais devagar!

 

 

 

 

 

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Aproveitem e vivam com intensidade a fase de preparação do casamento. Apesar de dar muito trabalho e de a certa altura já não sabermos para onde nos virar, é tão bom sonhar e idealizar cada pormenor. É uma fase que deixa muitas saudades.

Não se deixem influenciar pelas opiniões das outras pessoas. O casamento é vosso e deve espelhar as vossas opções. E acima de tudo, não contem tudo, deixem algumas surpresas para o próprio dia. Ninguém viu o meu vestido e outros pormenores antes do dia do casamento. Foi difícil aguentar, mas valeu a pena!

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites e materiais gráficos: Molde Design Weddings, In love Unique Moments e os noivos;

espaço, catering e bolo dos noivos: Pestana Casino Park Hotel;

fato do noivo e acessórios: fato e botões de punho Dielmar; camisa Vicri; sapatos Aldo; gravata HolmesTies

vestido de noiva, sapatos e acessórios: vestido de noiva Inês Pimentel; sapatos Atelier Fátima Alves; brincos Juliana Bezerra Jewellery; toucado Cata Vassalo;

maquilhagem e cabelo: Ricardo Cecílio (Urban Hair Studio);

bouquet de noiva: A Tulipa;

decoração: idealizada e feita por nós, com a preciosa ajuda do nosso cunhado Maligno que executou grande parte dos materiais em madeira;

ofertas aos convidados: feitas por nós: um frasquinho de mel, da produção dos pais do Tiago;

fotografia e video: No Words Productions;

luzes, som e Dj: Xevents.

 

Marta Ramos

Brilha, brilha, estrelinha, por Molde Design Weddings

As primeiras árvores de Natal que eu decorei, já em casa própria, tinham um interesse sobretudo decorativo. Procurava temas, ou cores, ou texturas, e era por aí que me inspirava ano após ano. Mas com o passar do tempo (e, sobretudo, com o nascimento do meu filho) comecei a interessar-me mais por ir reunindo objectos com significado, ou com história, e tem sido um ritual muito bonito ver que a cada Natal a minha árvore tem mais histórias para contar acerca da nossa família.

Este ano a Molde Design Weddings propõe-nos uma peça delicada e personalizável para as decorações natalícias, e é precisamente o tipo de objecto de que vos falava há pouco: são estrelinhas em acrílico, disponíveis numa paleta de cores à escolha, cuja versão original traz a inscrição «O meu primeiro Natal», que vocês poderão substituir por outra (dentro do mesmo número de caracteres, aproximadamente).

Ocorre-me uma opção muito bonita para os casais recém-casados: que tal uma estrelinha que assinale o vosso primeiro Natal a dois? Ou, se ainda não chegaram a essa fase, digamos que uma estrela bonita em acrílico com a pergunta «Queres casar comigo?» dará uma excelente prenda-surpresa – merecedora, claro está, de um lugar de destaque na futura árvore de Natal do casal.

A Joana, da Molde, sugere: «A ideia é pendurá-las na árvore de Natal nesta altura do ano mas, se forem personalizadas com um texto mais genérico ou com um nome, por exemplo, podem ser usadas o ano inteiro como peça decorativa. Ficam muito giras penduradas na porta de um quarto, numa parede ou até num berço ou outra peça de mobiliário.»

 

 

 

 

 

 

 

Todas as estrelas têm 10 cm de largura e 3 mm de espessura. O modelo apresentado nas imagens, em acrílico e com o texto standard, tem o valor de 10 euros. A versão em contraplacado Kraft, sem pintura, tem o valor de 8,50 euros. No caso de preferirem personalizar o texto inscrito (dentro do mesmo número de caracteres visíveis nas fotos) os valores são de 12,50 euros para as estrelas em acrílico e de 11 euros para as versões em Kraft.
Em qualquer destes casos, a embalagem (com etiqueta + fio + postal + purpurinas) custa 4 euros.

Façam já a vossa encomenda que o calendário não pára! A melhor forma de fazê-lo será enviando um e-mail à Joana para o endereço designmolde@gmail.com. O pagamento deverá ser feito por transferência bancária, com envio do respectivo comprovativo para o mesmo email.  A entrega poderá ser feita por correio registado (nesse caso, claro, acresce ao preço final o valor dos portes, que corresponde a 4,50 euros) ou no atelier da Molde, em Benfica, perto de Alto dos Moinhos e do Colombo. Basta combinar com eles um dia e uma hora, durante a semana.

Boas compras!

 

Marta Ramos

Para imprimir: dos nossos fornecedores para os nossos leitores

No meio de tanta coisa bonita e nova, hoje venho chamar-vos a atenção para o nosso cantinho para imprimir – até porque já lá estão duas coisas que não quero de todo que vos escapem.

Já antes da remodelação do Simplesmente Branco tínhamos o hábito de vos oferecer pequenas peças bonitas e mimosas para complementar os detalhes da vossa festa; mas na nossa nova casa temos uma salinha reservada para elas. E começámos tão bem!

As meninas da MOLDE DESIGN WEDDINGS desenharam umas etiquetas para ofertas – que também podem ser usadas como cartão de agradecimento, com uma notinha pessoal escrita no verso

BASTA FAZER DOWNLOAD DO FICHEIRO AQUI, escolher um papel com uma certa espessura (recomendamos entre 180 e 200 gr, que passa numa impressora caseira), imprimir e cortar com cuidado. Outra opção, com um acabamento mais acetinado, porque se trata de impressão laser (em vez de jacto de tinta), é imprimir num bom centro de cópias, como o Arco-Íris, em Lisboa.

AMOR À PORTUGUESA também se juntou à festa e pensou numa forma bonita e  muito especial para convidar os padrinhos de casamento: um postal individual e muito bem desenhado, para a madrinha, e outro para o padrinho. São tão bonitos que combinam com tudo, independentemente do estilo de casamento que escolherem!

Basta fazer download do POSTAL DE MADRINHA AQUI, e do POSTAL DE PADRINHO AQUI, e imprimir em papel espesso. e cortar. Recuem um pouco no texto e sigam as nossas sugestões para uma impressão impecável!

 

Molde Design Weddings - etiquetas para lembranças DIY

 

Amor a Portuguesa - postais para padrinhos DIY

 

Amor a Portuguesa - postais para padrinhos DIY

 

Continuem a acompanhar as novidades para imprimir e aproveitem os miminhos dos nossos fornecedores. Pormenores bonitos e gentis nunca são demais – tal como os sorrisos que eles fazem brotar.

Marta Ramos

São pétalas, por Molde Design Weddings

Sempre que nos chega uma novidade Molde Design Weddings, é qualquer coisa de muito delicado, bonito de se ver e garantidamente útil. Hoje falamos-vos de pétalas biodegradáveis. Provavelmente nunca pensaram nisto, a tradição de atirar arroz, pétalas de flores ou confetti aos noivos é tão corriqueira que não proporciona grande debate em torno dela. Mas a verdade é que há alguns inconvenientes no uso de cada uma destas coisas e, se pudermos evitá-los, melhor. Se pudermos evitá-los com graça, melhor ainda!

Acontece que os confetti poluem, o arroz atrai pássaros e, na maior parte dos casos, aqueles grãos não lhes fazem nada bem à saúde, e as pétalas de flores deixam manchas (além de que pode sair cara a brincadeira).

Assim sendo, sempre atentas, as Joanas da Molde têm uma alternativa para vos propor.

 

Pétalas biodegradáveis, por Molde Design Weddings

 

Pétalas biodegradáveis, por Molde Design Weddings

 

Pétalas biodegradáveis, por Molde Design Weddings

 

São caixinhas de pétalas biodegradáveis, que podem ser personalizadas com um autocolante desenhado de acordo com a imagem gráfica do vosso casamento. Cada caixa contém pétalas suficientes para duas ou três pessoas. Lá dentro encontram elas peças delicadíssimas, em forma de coração, num tom creme muito clarinho, que fazem um efeito magnífico quando lançadas ao ar.

Dependendo de escolherem personalizar ou não as caixas, cada uma tem o valor de 1,20€ ou 1,30€ (valores sem IVA). Contactem a Molde para pedir mais informações e encomendar as vossas pétalas. Mas antes disso naveguem pelos posts que temos publicado com as coisas bonitas que as Joanas fazem – apostava que encontrarão mais alguns itens para juntar à encomenda.

E não deixem de espreitar as etiquetas para ofertas que a Molde desenhou e que estão à vossa espera na nossa secção para imprimir.

Susana Pinto

Etiquetas para ofertas, por Molde Design Weddings

Nesta colecção de pequenas peças bonitas e mimosas, que servem para complementar os detalhes da vossa festa, temos estas etiquetas para ofertas, que também podem ser usadas como cartão de agradecimento com uma notinha pessoal escrita no verso, desenhadas pelas meninas da Molde Design Weddings.

Basta fazer download do ficheiro aqui, escolher um papel com uma certa espessura (recomendamos entre 180 e 200 gr, que passa numa impressora caseira), imprimir e cortar com cuidado. Outra opção, com um acabamento mais acetinado, porque se trata de impressão laser (em vez de jacto de tinta), é imprimir num bom centro de cópias, como o Arco-Íris, em Lisboa.

 

Molde Design Weddings - etiquetas para lembranças DIY

Save

Susana Pinto

Lurdes + Hugo, uma nuvem de amor no Alentejo

Fechamos a semana com assomos de primavera e um casamento de Maio, na paisagem dourada do Alentejo, mais exactamente em Serpa. O dia da Lurdes + Hugo, envoltos numa nuvem de amor, contou com os impecaveis serviços a Foto de Sonho, Molde Design Weddings e Vestidus Atelier, todos fornecedores seleccionados da nossa distinta lista.

Acompanham os preparativos, por escrito e pelas imagens: o amor é assim, doce, intencional, consequente. Partilhado, para se multiplicar.

Bonito!

 

 

 

 

 

 

 

Quando a resposta foi “sim!”, como é que imaginaram o vosso dia?

Quando a resposta foi Sim, a pergunta que se seguiu foi: “E agora…?”

Para a Lurdes foi bem mais fácil, porque ela já sonhava com este dia desde sempre, mas a verdade é que uma coisa é uma cabeça a sonhar, outra coisa são duas pessoas a sonharem juntas. Desde cedo que imaginámos o nosso dia, acima de tudo, com as pessoas que nos querem bem e que são importantes para nós. Seria o nosso dia, mas também seria um dia para darmos uma fração de nós mesmos a todas as pessoas que nos são próximas. Sabíamos que queríamos simplicidade, elegância, muitos detalhes simbólicos e muita emoção. E conseguimos tudo isso!

 

 

 

 

Sentiam-se preparados ou foi um caminho com muitos nervos?

Em termos da relação, sim, sem dúvida que o pedido veio no momento certo. Apesar de ser um sonho mais da Lurdes, depressa se tornou algo também muito importante para o Hugo. Estávamos mentalmente preparados, apesar de desconhecermos a quantidade de fornecedores, ideias e mudanças que existem no mundo dos casamentos atualmente, principalmente porque não tínhamos grandes pontos de referência recentes nesta matéria. Mas sabíamos o que não queríamos, e quando encontrámos o site Simplesmente Branco, tudo se tornou muito mais fácil de encontrar.

 

 

 

 

Em que momento da organização do casamento é que sentiram, «é mesmo isto»?

Penso que a partir do momento em que começámos a reunir com fornecedores, tornou-se muito claro que “isto” estava a acontecer. Além disso fomos bastante selectivos ao escolher que fornecedores passariam do email para reunião, o que facilitou muito o processo, e quando as decisões finais foram tomadas o sentimento de “é mesmo isto!” foi crescendo.

A entrega dos convites , que optámos por fazer em mão, sempre que possível,foi um marco, por vários motivos. Esse foi o momento em que, principalmente o Hugo, conheceu familiares e amigos da família da Lurdes que não conhecia. E a quantidade de histórias que ouvimos nesses momentos não tem preço. Sentimos que nos redescobrimos um pouco pelas palavras de outras pessoas que nos conhecem desde pequenos. Foi talvez nessa altura que a certeza que o nosso casamento também seria importante para outras pessoas tornou forma na nossa mente e principalmente no nosso coração. Porque era exatamente essa partilha e proximidade que gostaríamos que estivessem presentes no nosso dia especial.

 

 

 

 

 

O resultado é fiel às ideias iniciais ou muito diferente? Contaram com alguma ajuda?

A nossa imagem do resultado final foi sendo criada ao longo do caminho. Desde cedo que nos apercebemos que a relação que estabeleceríamos com os nossos fornecedores marcaria o tom do nosso casamento. Podemos parecer super drásticos e exagerados com esta afirmação mas é a pura verdade. Tivemos o privilégio de conhecer profissionais extraordinários, cuja paixão por aquilo que fazem nos emocionou e nos inspirou. Todos os profissionais com quem reunimos nos deixaram uma aprendizagem e nos ajudaram imenso, indepentemente de terem sido contratados ou não. Desde decoração, fotografia, vídeo, vestuário, catering… a todos eles estamos muito gratos. Para nós foi muito simples: os fornecedores andam nisto há anos. Nós vamos casar pela primeira vez. Obviamente que levamos ideias e gostos pessoais, mas nunca fomos intransigentes. Pedimos sempre uma opinião e deixámo-nos guiar e sempre nos interessámos genuinamente pelo trabalho dos outros. No final podemos dizer que alguns deles se tornaram muito mais do que fornecedores. Talvez a coisa que tenha saído mesmo ao lado de todas as previsões foi o vestido de noiva (mais uma vez porque a Lurdes não levou a mente fechada). Chamámos a nós a organização de todo o casamento, embora na escolha do vestuário tenhamos contado com a ajuda das damas-de-honor e padrinhos. A Lurdes escreveu todo este percurso no seu blog de realeza, Tesouras & Tiaras. Foi o Casamento Real do ano!

 

 

 

 

O que era fundamental para vocês? E sem importância?

Para nós era fundamental que as pessoas que tão generosamente partilharam este dia connosco, se sentissem verdadeiramente parte do dia, e não meros convidados. Era o dia especial da Lurdes e do Hugo, mas para nós este dia, como noivos, só fazia sentido com aquelas pessoas, naquele espaço, em harmonia com o nosso amor. E sem falsas modéstias, foi uma missão plenamente cumprida.

No planeamento do casamento, a lua-de-mel não foi de todo um fator a ter em conta. Mas, como temos os melhores amigos do mundo, no dia do casamento fomos presenteados com uma viagem a Verona, Itália.

 

 

 

 

O que foi mais fácil? E o que foi mais difícil?

Tivemos um ano para organizar tudo e conseguimos fazer as coisas atempadamente com calma e segurança. O mais fácil foi sem dúvida o tipo de cerimónia e o espaço. Casámos em Maio numa cerimónia civil no Monte da Morena, em pleno coração do Alentejo. Muitas vezes ouvimos dizer que as cerimónias civis são muito impessoais. Também achávamos isso e apesar de termos tido muita sorte com a conservadora, quisemos dar um toque mais especial ao momento: trocámos votos entre nós e pedimos a duas pessoas muito especiais para nos dedicarem algumas palavras, abençoando a nossa união. Digo-vos que foram momentos emocionantes para nós e para todos os convidados. Não poderíamos sentir a nossa união mais abençoada do que ali, em plena comunhão com a Natureza e com palavras vindas de pessoas que nos amam e que amamos.

O mais difícil foi… a gravata do noivo! Parece mentira, mas foi a única “crise” no meio de tudo. Não, não aconteceu nada de catastrófico ao acessório da indumentária, mas foi uma verdadeira “luta” de opiniões entre o Hugo, o padrinho e as damas-de-honor da noiva, em busca da gravata ideal.

 

 

 

 

 

Qual foi o pico sentimental do vosso dia?

Boa pergunta… Só pode ser um? Para a Lurdes foi mesmo a leitura dos seus votos ao Hugo. Um poema de Alberto Caeiro e mais umas palavras suas. É muito emocionante e também desafiante dizer à pessoa que amamos o que sentimos num momento como este e perante tantas pessoas!

Para o Hugo, segundo as suas palavras, foi “aquela parte entre as 17h da tarde e as 5h da manhã do dia seguinte”. Fomos claros?

 

 

 

 

E o pico de diversão?

A nossa primeira dança foi ao som do “Melhor de mim” da Mariza. E de seguida foi a abertura da pista. Dançar, para a Lurdes, foi como encontrar uma nova paixão. Para o Hugo foi um desafio, mas penso que dançar uma música com tanto significado perante tantas pessoas foi também muito, muito divertido.

 

 

 

 

Um pormenor especial…

Damos dois: Não fizemos lista de presentes, mas fizemos uma campanha NUTRILITE para a aquisição de complementos vitamínicos orgânicos a favor da Associação Princesa Leonor-Aceita e Sorri, uma organização que apoiamos há algum tempo. Quisemos que o nosso amor se estendesse fora dos limites daquela sala e conseguimos mais de 600 euros em complementos que ajudaram a reforçar o sistema imunitário dos príncipes e princesas na luta contra a doença oncológica.

Além disso, escrevemos uma mensagem personalizada para cada convidado (fornecedores incluídos) que se encontrava num envelope fechado em cada lugar. Foi um gesto muito apreciado e que para nós fez todo o sentido, porque num dia de tantas emoções, não queríamos que nada ficasse por dizer.

 

 

 

 

Agora que já aconteceu, mudavam alguma coisa?

Nada! Foi maravilhoso a todos os níveis possíveis. Todo o processo de organização de casamento foi uma redescoberta pessoal. Foi um retorno às nossas essências e aquilo que realmente valorizamos. Foi um dia, em que claramente, uma página foi virada e um novo capítulo foi iniciado. Aprendemos muito, mas recebemos tanto por cada aprendizagem… E o maravilhoso é sentir que, para muitas pessoas, o nosso dia especial não foi somente mais um casamento. Foi “O” casamento. Não nos sentimos vaidosos por isso. Ficámos simplesmente gratos e felizes por o nosso objectivo principal de partilha e criação de memórias ter sido cumprido.

No ínicio dizíamos que o casamento não iria mudar o que sentimos… Sabem que mais? Muda! Mudamos enquanto pessoas, e enquanto casal. Enquanto filhos, netos, sobrinhos, amigos…

E muda para muito, muito melhor…

 

 

 

 

 

Algumas words of advice para as próximas noivas…

Cada pessoa é uma pessoa. Cada casal é um casal e não há conselhos perfeitos. Para nós foi muito importante sentirmos que estávamos a desfrutar e a partilhar cada momento, desde a organização até ao final do dia. Nervos e preocupações são para serem considerados mas não para serem vividos. Percebem a diferença? No aspetco mais prático do evento, contactem muitos fornecedores e reúnam apenas com os essenciais (5 no máximo dos máximos para cada matéria). A escolha será muito mais clara.

Oiçam, respeitem, mas definam o que querem desde cedo, e se não sabem, não se preocupem, vão descobrir pelo caminho: “Ouve o teu coração. Ele conhece tudo sobre ti, porque onde ele estiver é onde estará o teu tesouro”. E sejam gratos, muito gratos!

 

 

 

 

 

Os fornecedores envolvidos:

 

convites, materiais gráficos e ofertas aos convidados: Molde Design Weddings;

local: Monte da Morena;

catering: Eventos Magalhães;

bolo: Estefânia Chocosabor;

fato do noivo e acessórios: fato Dielmar; gravata e botões de punho Cortefiel, sapatos e cinto Made In;

vestido de noiva e sapatos: vestido Vestidus Atelier; véu Magia d’Agulha, sapatos Aldo;

maquilhagem: Adriana Brito;

cabelos: Fátima Pires;

bouquet e decoração: Art & Flor;

fotografia: Foto de Sonho:

luzes, som e Dj: Mário Costa.

 

Mónica Aragão

Golden Days Wedding Photography, no You+Us=Fun!

Tudo o que luz é ouro e o trabalho fotográfico da Golden Days Wedding Photography é luminoso e luxuoso… tal como as fotografias de casamento devem ser, não é verdade? Se só se casa uma vez na vida, esse dia deve ser eterno e assegurar que isso acontece é escolher um fotógrafo que esteja à altura desses golden days como Rui Gaiola, o rosto por de trás deste projecto e desta câmara, os gosta de chamar.

 

Segundo o fotógrafo “dias especiais, planeados e criados com carinho, trabalho e dedicação merecem ser tratados com a mesma atenção”. E é aqui que a máquina fotográfica da Golden Days Wedding Photography entra em acção e emoção, registando de uma forma natural e descontraída, contemporânea e criativa, os momentos dourados de celebrações que só merecem brilho, que só merecem brilhar!

 

 

 

 

Têm encontro marcado com o Rui Gaiola, no domingo, 15 de Janeiro, no Palacete Gomes Freire, a partir das 14h00. Smile!